sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Puff quê?


Esta quinzena da Dorie às Sextas aparece mais tarde. Um pequeno lapso aquando da apresentação da receita, fez com que a data fosse alterada para esta semana.

Nada que a mim me afectasse, porque se na semana passada, me queixei que ia ter que fazer o post em cima do joelho, ainda assim com mais uns dias, o post é quase feito da mesma maneira.

O que não foi feito em cima dos joelhos, foi a receitinha. Assim que a vi aproveitei o dia de folga e meti as mãos na massa. Sim porque voltam as famosas massas da Dorie. Esta mulher é fantástica!! Se há coisa que gosto dela, são estas massas a que carinhosamente chamo de diabólicas! E que apesar de serem um pouco mais difíceis de trabalhar, são a recompensa máxima no final.

Ora a juntar a isto, uma vaga de frio polar que nos afectou por estes lados! Bufff... Foi mais de uma semana!! E daquelas que são muito duras de passar!

O frio fez-se notar e a neve também! A isto juntava-se o vento, e o trio estava completo. E a prova disso são os blocos de gelo que se criam nas casas. Perigos iminentes que podem causar danos irreversíveis. Mas há quem aproveite esse frio polar, e use a janela como frigorífico, e a foto que a seguir mostro, aparte de mostrar os blocos de gelo, era para ilustrar o dito frigorífico exterior. Mas os "toristas" foram-se e eu fiquei só com as janelas vazias! Enfim....








A receita desta quinzena da Dorie são umas bolachinhas. Ou melhor dizendo, uns Pufflets. Procurar uma tradução é tarefa impossível e como tal deixo ficar o nome tal qual nos é fornecido na receita. Quanto a alterações, NÃO fiz nenhuma! Bem... Só mudei o aspecto dos ditos! Que tinham que ser pequenos triângulos, mas acabaram mais parecidos com umas empanadas. É que eu e os quadrados não nos entendemos e como tal, decidi usar um cortador redondo de 6 cm de diâmetro.



Cottage Cheese Pufflets
(Receita retirada do livro Baking de Dorie Greenspan) 
Tradução: Susana Figueiredo







Ingredientes:
- 225 gramas de manteiga sem sal à temperatura ambiente
- 2 colheres de sopa de açúcar
- 1/4 colher de chá de sal
- 225 gramas de requeijão (usei ricotta)
- 1 colher de chá de extrato de baunilha
- 210 gramas de farinha sem fermento
- 1/4 de chávena de doce ou compota espessa à escolha (usei uma mistura de frutos vermelhos)

- Açúcar em pó para polvilhar

Execução:
Colocar a manteiga,o açúcar e o sal num processador de alimentos, processando por 2 minutos até a manteiga estar em creme e raspando de vez em quando os lados do recipiente. Juntar o requeijão e a baunilha e processar durante mais 2 minutos. A mistura ficará aveludada, como queijo creme batido. Juntar a farinha e pulsar até esta estar apenas incorporada. Deitar a mistura num pedaço de película aderente. Moldar a massa num retângulo, espalmá-la um pouco, cobrir completamente e refrigerá-la durante 3 horas ou até 3 dias (poderá também ser congelada durante 2 meses e descongelada no frigorífico).

Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-lo a 205ºC. Forrar 2 tabuleiros com tapetes de silicone ou papel vegetal. Cortar a massa ao meio e estendê-la entre folhas de papel vegetal ou numa superfície enfarinhada até uma espessura de 3 milímetros. Como vai ser cortada em quadrados, é melhor estender a massa num formato quadrado ou retangular. Se em algum momento a massa ficar muito mole, levá-la ao frigorífico para endurecer. Cortar a massa em quadrados com entre 4 e 6 cm de lado. Colocar um pouco de compota no centro de um quadrado e, com um dedo molhado, humedecer os extremos da massa. Dobrar a massa de modo a formar um triângulo, fechando bem o doce e vedando bem os lado. Repetir para todos os quadrados, colocá-los nos tabuleiros com um espaço de 1 cm entre eles e fazer um pequeno furo no centro de cada para sair o vapor (também podem ser congelados nesta fase, devendo ir directamente ao forno sem descongelar). Cozer entre 10 e 12 minutos (1 tabuleiro de cada vez) ou até estarem inchados, firmes e bem dourados. Polvilhar com açúcar em pó e deixar arrefecer.


Notas da Mamã: Foi completamente impossível encontrar requeijão por aqui e, como tal, a única alternativa mais viável, era o ricotta. O qual coloquei a escorrer dentro de um coador de rede fina, durante 30 minutos.
Quanto à compota ser espessa, tem que ser mesmo espessa, porque o calor faz com que a mesma se fluidifique, o que faz com saia do interior da massa. ( O tabuleiro vai parecer um campo de batalha!!!)








Depois de tanto dobrar mini empanadas, fiquei cansada!! E nota-se na forma das últimas, que as coloquei num tabuleiro de mini cakes e deixei que ficassem assim. Ao menos consegui evitar que o doce ficasse fora da massa.

Em resumo.... Mais uma massa fantástica da Dorie, que de diabólica não tem absolutamente nada, e mais umas bolachinhas que foram aprovadas cá em casa, visto a velocidade a que desapareceram.

Muito boas de fazer, e melhor ainda? De se comer!

Aceitam um chá?


10 comentários:

  1. Olá Mena
    Essas bolachinhas fazem esquecer o frio num instante! Têm um aspecto delicioso! Sabes que não tenho nenhum livro da Dorie...mas devia ter! Já tenho visto receitas no blogue e são muito boas!
    Um beijinho e bom fim de semana
    Lena
    Cooking

    ResponderExcluir
  2. Parece ficar delicioso ao ponto de compensar o trabalho de andar a dobrar a massa

    ResponderExcluir
  3. Por acaso neste exato momento estou a tomar um chá por isso aceito uma bolachinha que me parece bem apetitosa e ficaram lindas.
    Bom fim de semana
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Sempre que aqui venho (não tantas como gostaria) ficou completamente rendida a estas iguarias e a estas fotografias.
    E, mais uma vez assim foi, saio daqui a salivar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu ainda não fiz as minhas mas ao ver as tuas fiquei ainda com mais vontade.

    Beijinhos,
    Clarinha

    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2015/02/preparar-o-dia-dos-namorados-4-menu.html

    ResponderExcluir
  6. tem um aspeto maravilhoso, comia uns 3 ou 4 agora, dá muita vontade de comer sim

    ResponderExcluir
  7. Ficaram tão bonitas com esse formato de rissol. Aqui padeço do mesmo problema Mena, vou substituir o requeijão por ricotta (sobrou-me de uns canelonis) e vou experimentar.
    Espero que o frio passe depressa.
    Bom fim de semana e beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Olá Mena!
    Já os fiz e Pufff... desapareceram num sopro. Completamente aprovados :)
    Bom domingo e bjnhos

    ResponderExcluir
  9. Ficaram bem apelativos os teus "pufflets"!
    Que pena estares tão longe! (He,he). Assim não posso provar!
    Mas levo a receita para poder experimentar. um abraço para ti, da Bombom

    ResponderExcluir
  10. Opa, destes rissois é que gosto! Que delícia, e acho que já percebi o nome, deve ser de puff e já desapareceram, não?
    Beijinhos

    ResponderExcluir