quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Batatas ou Bananas?



Con esta receta participo en el reto del mes de Agosto, de la comunidad Cocineros del Mundo de Google+, en el apartado salado y en el apartado dulce.





Já há uns tempos que não tinha oportunidade de participar nos desafios dos Cocineros del Mundo. Ou porque não me gostavam os ingredientes e desta última vez porque não encontrei a bendita massa para o desafio. Entre isso e o tempo que às vezes falta, desta vez quando vi o desafio, pensei, é desta! E assim foi... Aproveitando o primeiro dia de folga depois de dois meses sem descanso, meti-me na minha cozinha. Sim já sei, deveria estar a descansar, mas acaba por ser descanso também e acabo por desconectar do corre-corre diário a que estou acostumada estes últimos dias e, não vá eu perder a prática, o melhor é aproveitar.

Ora os ingredientes são simples, encontram-se por todo lado e, aqui por casa, há sempre batatas e bananas. As bananas normalmente ficam sempre muito maduras e eu aproveito para fazer o banana bread ou algo parecido, como tal esta hipótese estava descartada.

Apesar de não ter muito tempo, quando vejo alguma coisa de que goste nalgum livro ou em alguma revista, fica aquela imagem guardada. Ontem enquanto punha o Tico e o Teco a decidir o que ia fazer, tinha uma imagem na cabeça. Rebusquei as minhas revistas e não encontrava a que tinha aquela imagem.... Mas que procura sempre alcança não é? Pois a bendita revista apareceu e depois de ler a receita, mudei tudo. Estou de folga e gosto de cozinhar, mas não está nos planos por a cozinha patas ao ar. Se bem que acaba sempre por acontecer, seja simples ou complicada.

E como o tempo não ajuda, o post de hoje, é dois em um. Prato principal e sobremesa! Mas só tem direito a sobremesa, quem comer o principal, eh?



"Vol au vent" de Batata, Cogumelos, Passas e Ovo
(receita adaptada daqui).






Ingredientes:
- 2 batatas medianas
- 1 gema
- salsa picada q.b
- 2 chalotas
- 125 gramas de cogumelos de Paris laminados
- 1 colher de sopa de passas
- 2 colheres de sopa de vinho branco
- 5 colheres de sopa de natas
- 2 ovos
- Sal e pimenta negra q.b
- Flor de sal 
- Saco de pasteleiro com bico em forma de estrela

Execução:

Cozer as batatas em água com sal. Depois de cozidas reduzir a puré. Adicionar a gema e misturar bem. Juntar um pouco de salsa picada e rectificar os temperos e adicionar uma pitada de pimenta negra.

Numa frigideira colocar a chalota picada com um pouco de azeite. Deixar refogar e quando estiver suave, juntar os cogumelos laminados. Temperar com sal e pimenta e deixar que libertem a água que têm, a lume médio, mexendo ocasionalmente. Juntar as passas e o vinho branco e deixar que este se reduza. Rectificar temperos e adicionar as natas. Assim que ferva, retiramos do lume e reservamos para rechear os "vol au vent" de batata.

Pré aquecer o forno a 190ºC.

Colocar o puré de batata no saco de pasteleiro e num tabuleiro revestido com papel de forno, fazer espirais de 6 cm de diametro, aproximadamente, tendo o cuidado de não deixar espaços abertos.

Depois de criada a espiral fazer um círculo sobre a mesma, mas só sobre o rebordo. Fazer 2 ou tres voltas.

Levar ao forno durante 10 minutos para que ganhe um pouco de cor. Retiramos, recheamos com os cogumelos e colocamos uma gema de ovo em cada "vol au vent". Levamos novamente ao forno e assim que a gema do ovo, comece a estar cozida, retiramos.

Servimos de imediato colocando uma pitada de flor de sal sobre a gema.






Dado à forma dos "vol au vent" um ovo inteiro não cabe. Daí ter colocado o ovo inteiro numa tacinha e com a ajuda de uma colher, retirar a gema e um pouco da clara. Para que se possa colocar o ovo inteiro, é necessário que o tamanho seja maior.






De facto é uma alternativa ao famoso puré de batata. Para uma ocasião especial acho que pode servir perfeitamente, como prato principal, ou como entrada. Seja como seja, hoje era especial!



E apesar de eu ser uma gulosa imperdenida, hoje a sobremesa é do mais simples que pode existir. Uma receita do livro Bake, da Rachel Allen, que usa as bananas como ingrediente principal e que sugere depois várias alternativas. Aparte de ter usado umas passas e ter substituido a nata batida por gelado de doce de leite, a receita segui-a na íntegra.


Bananas Assadas com Rum e Passas





Ingredientes:
- 2 bananas maduras, mas firmes
- 4 colheres de sopa de rum
- 2 colheres de sobremesa de açúcar mascavado escuro
- 2 colheres de sobremesa de passas
- gelado de doce de leite (ou nata batida como no original)
- praliné (opcional)

Pré aquecer o forno a 200ºC.

Descascar as bananas e cortar longitudinalmente. Cortar um rectangulo de papel de forno, o suficientemente grande para fazer um embrulho.

Colocar ao centro as metades da bananas, polvilhar com o açucar mascavado e colocar 2 colheres de sopa de rum. Por fim colocar as passas e fechar bem o embrulho.

Levar ao forno durante 20 minutos. Retirar do embrulho com cuidado e servir com o acompanhamento preferido. Devem comer-se mornas.






A banana é daqueles frutos que não me deixa chegar a um consenso. Gosto dela tal qual, mas também gosto dela quando a uso para bolinhos e afins, mas no que toca à parte de usar o calor para a transformar, já não acho muita piada à textura.

Mas isso era dantes! Agora a minha opinião mudou e com pontos a favor! É óbvio que a textura se transforma, mas fica o seu sabor ainda mais acentuado e doce o quanto baste, para contrastar com o belo do gelado de doce de leite.






O porquê do gelado de doce de leite?? Porque o Tico e o Teco, tinham na ideia a banoffee pie. E como tal, achei que a associação só podia ser perfeita! O praliné vem apenas dar o toque crocante nesta mistura de texturas, que muito me surpreendeu! O que também não é dificil, porque eu gosto de tudo! Ou quase tudo....


"Life is uncertain. Eat dessert first." (Ernestine Ulmer)


domingo, 24 de agosto de 2014

Olh'ó tempo!!


Fazer o que quer que seja para poder alimentar este blogue tem sido muito complicado! A falta de tempo e o cansaço, têm sido reis e senhores desta casa, na ausência dos outros. Mas quando estão eles, o cansaço é diferente, né?

E aparte disso uma Mamã queixa-se sempre de alguma coisa! Ora eu não ia ficar atrás! Há sempre qualquer coisa para dizer ou para me queixar! Se bem que não são aquelas lamentações que nos levam ao despero, mas sim apenas desabafo!

Enfim, isto tudo para dizer, que estou CANSADA!

Mas mesmo assim, há coisas às quais eu não posso dizer que não e desta vez são mesmo as bolachinhas recheadas, que nos pediu a Manuela, do Cravo e Canela - Uma Cozinha no Brasil, para esta edição. E deu-nos tempo.... E como boa portuguesa que sou, apesar de perdida algures na Sibéria (risos) deixo tudo para a última! Bem quase tudo, mas nestas coisas, o que importa é fazer! Por isso, #VamosFazerBolachas!

E aqui estão elas! Depois de várias vezes experimentadas, cheguei à conclusão que por mais voltas que dê à receita, vão ficar sempre assim. A primeira vez que me cruzei com a receita, foi num programa com o Hollywood e a Mary Berry, da BBC, chamado The Great British Bake Off, e fiquei com elas debaixo de olho. E ficaram tão debaixo que foi delas que surgiu a ideia para o bolo de aniversário que publiquei. O problema mesmo era que não aparecia a receita e por isso ficaram em stand-by neurológico. O que significa dizer que estão ali guardadas, mas não esquecidas e que mais cedo ou mais tarde tinha que as experimentar.

Cruzei-me com uma receita da Donna Hay com o mesmo nome, mas com aspecto diferente e depois desta muitas se seguiram, e só aí é que esta maluquinha se deu conta o porquê do nome e o porquê de se encontraram tantas receitas iguais, ou com pequenas alterações.

Resumindo e concluindo, usei a base da receita de um livro que me chegou de prenda no dia dos meus anos, ou melhor na segunda feira, porque no dia em que recebi o aviso o serviço de alfândega não trabalhavam e tive que esperar 2 dias!! Nem no dia de anos se abrem excepções! Eram livros, não havia nada suspeito dentro da caixa.... Cambada....

O melhor de tudo foi poder deliciar-me com os livros e com esta receita. Ainda assim, não contente com os primeiros resultados, repeti-a umas quantas vezes! Pssttt, isto não quer dizer que não sejam boas, porque as malditas desaparecem em menos de nada! Era a forma, com que ficavam, que me deixavam exasperada! Mas da última tentativa rendi-me, ainda assim com esperança de melhorar no aspecto final.

A receita orginal tem como recheio um creme de mascarpone e maracujá! Ora como o maracujá é coisa nao vista por aqui e o mascarpone custa os olhos da cara e ainda por cima não é dos meus preferidos, olhei para o móvel e dei com os olhos nuns frascos que chegaram até mim, vindos directamente dos Alpes, e que até ao dia de hoje, esperavam que se usassem.... O problema mesmo é abrir o primeiro e este, é pecadinho!






Ora de entre os frasquinhos que aguardam que os utilize, este foi o primeiro em ter sentenciado o seu uso. É um creme de chocolate branco e morangos, que para estas bolachas, foi perfeito!

A autora destas bolachas la no tal programa britânico, coloca corante em gel directamente no saco de pasteleiro. Para dizer a verdade, não achei muita piada porque não consigo imaginar um corante, sem ser misturado. Vai daí, andava perdido um spray numa gaveta, que ainda não tinha experimentado. Em lugar de usar o corante em gel, usei o spray. Não, não é a mesma coisa. Em lugar de ter riscas de gel, fiquei com a bolsa toda vermelha. Mais uma para aprender!


Sandwich Cookies de Creme de Chocolate Branco e Morangos (Melting Moments)
(receita retirada do livro Family Baking, de Sarah Randell, pág. 50)

Para as bolachinhas:
- 500 gramas de manteiga a temperatura ambiente
- 100 gramas de açúcar em pó peneirado
- 400 gramas de farinha T55
- 100 gramas de amido de milho (Maizena)

Recheio:
- O recheio usado pode ser a gosto. A receita original usa um cream cheese com mascarpone e maracujá, mas este pode ser a nosso critério. Com o que se tenha por casa ou até mesmo um simples doce de morango, ou de cerejas como também utilizei, assentam na perfeição.
- Colorante alimentar vermelho em spray da Wilton (opcional)
- Saco de pasteleiro
- Bico nº1 M da Wilton





Execução:

Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Colocar o açúcar em pó peneirado numa taça juntamente com a manteiga à temperatura ambiente e, bater com a ajuda de uma batedeira até obter uma mistura pálida e suave.

Misturar a farinha e o amido de milho numa taça e, peneirar. Juntar à mistura de açúcar com a manteiga em três vezes, mexendo bem entre cada adição. 

A consistência da massa não deve ser muito dura e se assim for, é sinal que não está bem batida. Deve ter uma consitência cremosa para que se possa colocar no saco de pasteleiro e possa sair sem exercer muita pressão.

Colocar o corante vermelho no saco de pasteleiro munido com o bico. Encher com a massa e fazer pequenas rosas, num tabuleiro forrado com papel de forno, em altura e não em largura, visto que no forno têm tendência a espalhar.

Levar ao forno durante 12 minutos ou assim que rebordo esteja ligeiramente dourado.

Retirar do forno e deixar arrefecer no tabuleiro. Depois de arrefecidas ligeiramente, colocar numa rede e deixar arrefecer por completo.

Depois de frias podem ser recheadas com o recheio preferido, neste caso o creme de chocolate branco com morangos, ou doce de cerejas.

Polvilhar com açucar em pó e servir.





Notas da Mamã:
- Este tipo de massa permite fazer várias alterações, por exemplo subsituir uma parte da farinha por cacau em pó.
- Se não quiserem usar o saco de pasteleiro, podem fazer pequenas bolinhas e as quais se podem achatar com um garfo.
- Não fazer com muito tempo de antecedência, porque de certeza não chegam à parte de colocar o recheio.
- Devem ser guardadas numa lata hermética, para evitar que fiquem moles.
- São altamente viciantes, mesmo sem o recheio.








O que é mesmo viciante é misturar as duas coisas! O creme de chocolate e o doce de cerejas, que neste caso não é muito doce, e o contraste, simplesmente perfeito! Como dizia antes, mesmo sem recheio, são viciantes....







E agora entendo perfeitamente porque lhe chamam "Melting moments"!!!! É tipo os famosos M&M's, derretem na boca e não nas mãos.

Para descobrirem, só têm que experimentar!

Uma coisa vos posso dizer, nem as migalhas vão sobrar e com chocolate, são um pecado maior!!!

E mais não digo!