sábado, 27 de junho de 2015

Em modo... Férias!!


Em outros tempos a chegada das férias, fazia com que andasse a contar ansiosamente os dias para que chegassem. Desta vez sem os contar, chegaram sem quase eu me dar conta e a única coisa que tinha na minha cabeça era a palavra descanço.

O simples facto de não ter que fazer malas e ficar por aqui, também ajudou. Nem sempre as coisas estão previstas da maneira que queremos e no fim das contas, estás bem onde estás.

Pronto, pronto... As saudades também apertam, mas não será o fim do mundo! Afinal a montanha até é bonita para dar uns passeios se o tempo ajudar.

O sol tem aparecido em todo o seu esplendor. Os pequenos andam um bocado perdidos no tempo, porque não é normal estarem tanto tempo em casa com a Mãe e quando as férias acabarem é que se vão dar conta.

Aproveitando o tempo de "não fazer nada", e aproveitando a receita do Dorie às Sextas, saiu um geladinho para nos animar.

Os mirtilos têm sido presença habitual cá por casa e mais quando o preço é convidativo. E se vos digo a verdade, cada vez que experimento uma receita, mais gosto desta pequenas "pérolas negras". É a primeira vez que faço um gelado com os mesmos, mas ao ler os ingredientes, o resultado era o que se imaginava.

Super cremoso e de sabores intensos!








Gelado de Mirtilos e Crème Frâiche
(receita retirada do Livro Baking, pág. 434, de Dorie Greenspan)
Tradução: Susana Figueiredo






Ingredientes:
-200 gramas de mirtilos(frescos ou congelados. Se for dos congelados, descongelar e escorrer bem)
- 80 gramas de açúcar
- 1 pitada de sal
- Raspa e sumo de 1/2 de limão ou lima (ou mais sumo a gosto)
- 180 ml de natas
- 240 ml de crème frâiche 

Execução:


Colocar os mirtilos, o açúcar, o sal e o limão num tacho médio e cozinhar em lume médio mexendo sempre até a mistura ferver e as bagas amolecerem, durante cerca de 3 minutos. 

Triturar a mistura até ficar um puré homogéneo, durante cerca de um minuto (nunca irá ficar completamente suave, o que é normal). Juntar as natas e as natas azedas e bater até estarem misturadas. 

Provar e, se necessário, juntar mais açúcar ou sumo de limão. Deitar numa taça e refrigerar sté estar bem fresco. Deitar na máquina de gelados e seguir as instruções do fabricante. Quando estiver pronto, levar ao congelador por duas horas.





Quando há que experimentar alguma receita nova, a Maria normalmente é a primeira que vem ter comigo. Sempre foi a mais curiosa e especialmente quando as cores são diferentes.

Desta vez fez birra e o primeiro a querer provar foi o Tomás. Só tive tempo de perguntar se tinha a certeza e a resposta não se fez esperar.

Resultado? A taça vazia em tempo record!

Vai um geladinho?

sábado, 13 de junho de 2015

Posso provar, Mãe?


Já não é a primeira vez que cá por casa aparecem receitas com frutos vermelhos, isso sim, normalmente são congelados, o que não causam tanta curiosidade nos pequenos.

Para esta quinzena no Dorie às Sextas a sugestão tinha ruibarbo. Coisa nunca vista à venda aqui pela Sibéria e por casualidade andava perdido no congelador um saquinho de ruibarbo. A quantidade não era a pedida pela receita, daí que aproveitei para juntar framboesas e mirtilos, aos morangos e ruibarbo da receita.

Quando andei a tirar fotografias o Tomás não me ligou nenhuma, enquanto que a Maria estava muito curiosa, Ora prova aqui, ora prova ali, e fizeram uma festa com estes pequenos frutos. Eu cá para mim estavam mais emocionados com as cores deles. 







A Maria é muito mais curiosa que o irmão e quando me vê de máquina na mão no cantinho do costume, já sabe o que ando a fazer. Então anda sempre à minha volta e faz um milhão de perguntas e eu entre click e click tento explicar. Acho piada quando experimenta novos sabores e depois, porque não gosta, olha para mim e diz com cara de pena: Oh Mãe, olha que eu não gosto muito! É sempre uma aventura trazer novos sabores e texturas. Eles são sem dúvida os meus maiores critícos e sei que quando gostam, gostam mesmo e não se cansam de pedir para que se repita.


Esta receita tinha esse segredo. Duas texturas diferentes e uma mistura de sabores absolutamente incrível. O toque do gengibre é muito subtil fazendo com que se realce o sabor da fruta. Não tinha a quantidade de ruibarbo suficiente, com muita pena minha, ainda assim, o resultado é simplesmente delicioso!



Strawberry-rhubarb double crisp 
(Receita retirada do livro Baking de Dorie Greenspan pag. 420)
Tradução: Susana Figueiredo


Ingredientes:

Para o crisp:

- 130 gramas de farinha
- 150 gramas de açúcar amarelo
- 100 gramas de flocos de aveia
- 1/2 colher de chá de gengíbre em pó
- 1 pitada de sal
- 1 pequena pitada de canela
- 50 gramas de nozes, picadas finamente
- 40 gramas de gengibre cristalizado, picado finamente
- 120 gramas de manteiga, derretida e arrefecida



Para o recheio:
- 150 gramas de ruibarbo congelado
- 3 colheres de sopa de amido de milho
- 125 ml de água fria
- 250 gramas de morangos fatiados
- 75 gramas de framboesas
- 75 gramas de mirtilos
- 75 gramas de açúcar
- 1/2 colher de chá de gengibre moído
- 1 colher de chá de extrato de baunilha





Execução:

Para o crisp:
Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-lo a 175ºC. Colocar um pirex quadrado com 23 cm de lado num tabuleiro forrado com papel vegetal ou um tapete de silicone.
Colocar a farinha, o açúcar, a aveia, o gengibre, o sal e a canela numa taça e misturá-los com os dedos, tentando desfazer qualquer grumo de açúcar. Misturar as nozes e o gengibre cristalizado e juntar a manteiga derretida. Misturar tudo com um garfo até todos os ingredientes estarem bem humedecidos. Deitar metade da mistura na forma e calcar levemente os ingredientes até formar uma base grossa. Reservar.



Para o recheio:
Colocar o ruibarbo congelado directamente sobre a base. Dissolver o amido na água fria e reservar. Levar os morangos, os mirtilos, as frambuesas, o açúcar e o gengibre ao lume num tacho médio e esmagar uns quantos morangos. 
Levar a lume médio, mexendo ocasionalmente, e deixar ferver. Continuar a mexer durante cerca de 3 minutos, até o recheio estar grosso e transparente. Retirar do lume, misturar a baunilha e deitar sobre o ruibarbo. Deitar o restante crisp sobre o recheio, espalhando-o com os dedos para ficar uniforme.
Levar ao forno durante 60 minutos ou até a cobertura estar dourada e o doce a borbulhar pelos lados da cobertura. Deixar arrefecer e servir morno com uma bola de gelado de baunilha ou crème frâiche.






Não tinha o tabuleira quadrado de 23 cm, nota-se não se nota? Como tal decidi colocar em ramequins. Assim não tive que andar cá a cortar e as tacinhas até são muito mais fotogénicas.

Apesar de ser uma variante da receita, é sem dúvida daquelas que se podem repetir vezes sem conta e sempre que o tempo o permita. E como não pára de chover, é o motivo para se ligar o forno.

Ou não?