quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Mais um ano.



Costumo dizer que passa o dia, passa a romaria. Desta vez não levo tão à letra tal expressão e acabo por publicar em modo atrasado a receita daquele que foi um dos meus bolos de aniversário.


Se é dia de anos, tem que haver bolinho! A vontade não era muita porque sobre mim pairava o cansaço, mas a teimosia era maior e este bolo, ou melhor o seu aspecto pairava sobre mim desde a primeira vez que se cruzou comigo.


A primeira vez que vi um "vertical layer cake" os ingredientes predominantes eram o chocolate. Mas eu não queria chocolate. Queria limão e mirtilos. Depois de muita pesquisa, a receita do bolo é daqui e a do frosting de mirtilos daqui, e algumas adaptações às receitas, o resultado não foi tão extraordinário como eu pensava. Em outras alturas de menos cansaço, tenho a certeza que eu tinha ficado mais contente. 





Bolo vertical de Limão com Frosting de Mirtilos









Ingredientes:

Para o bolo de limão
- 180 gramas de farinha + 2 colheres de sopa de farinha custard
- 1 1/2 colher de chá de fermento em pó
- 1 colher de chá de sal
- 6 ovos
- 200 gramas de açúcar
- 100 gramas de manteiga
- 1 1/2 colher de sal de essência de baunilha
- 2 colheres de sopa de limão
- 1 1/2 colher de sopa de raspa de limão

Para o bolo de mirtilos
- 150 gramas de farinha
- 150 gramas de açúcar
- 4 ovos
- 1 colher de chá de fermento
- 80 gramas de manteiga
- 2 colheres de sopa de puré de mirtilos

Para o frosting de mirtilos
- 1000 ml de natas MG > 35% 
- 400 gramas de queijo creme Philadelphia
- 10 colheres de sopa de açúcar em pó
- 1 colher de chá de essência de baunilha
- Puré de mirtilos
- Mirtilos para decoração.

Para o puré de mirtilos
- 250 gramas de mirtilos congelados
- 1 colher de sopa de água
- 2 colheres de sopa de açúcar
Colocar o mirtilos, a água e o açúcar num tacho e levar ao lume durante aproximadamente dez minutos. Com um garfo esmagar os mirtilos e deixar arrefecer. Coar esta mistura, pressionando bem no coador com a ajuda de uma colher, para que desta maneira se obtenha a maior quantidade de puré possível. Aproximadamente obtém-se 150 gramas de puré. Desta quantidade usamos 2 colheres de sopa para o bolo de mirtilos e o restante para o frosting.








Execução:

Para o bolo de limão

Pré aquecer o forno a 180ºC.
Numa taça colocar o açúcar e a raspa de limão. Com as pontas dos dedos mexer o açúcar para que este se impregne com com a casca de limão. Juntar os ovos e bater a velocidade média até duplicar o volume. Juntar a manteiga derretida e arrefecida. De seguida juntar o sumo de limão e a baunilha e por fim, a farinha misturada com o sal e com o fermento, envolvendo bem na massa.
Untar o um tabuleiro, de 40 x 50 cm e forrar com papel vegetal. Colocar a massa e levar ao forno aproximadamente 10-12 minutos ou até que esta comece a ter um aspecto dourado.
Colocar um pano limpo sobre a mesa e polvilhar com açúcar. Com muito cuidado, desenformar o tabuleiro sobre o pano, de modo a que não se parta o bolo.
Enrolar o bolo e deixar arrefecer.


Para o bolo de mirtilos

Numa taça bater a manteiga com o açúcar até obter uma mistura cremosa. Juntar os ovos um a um, batendo bem entre cada adição. Juntar a farinha envolvendo bem na massa.
De seguida juntar o puré de mirtilos misturando bem na massa, de modo a obter uma cor homógenea.
Dividir a massa por duas formas de 22 cm, devidamente untadas e forradas com papel vegetal.
Levar ao forno durante aproximadamente 20 minutos ou até que o palito saia seco.
Desenformar e deixar arrefecer sobre uma grade.


Para o frosting de mirtilos

Numa taça bater com uma espátula o queijo creme de modo a obter uma textura cremosa. Reservar.

Bater as natas com o açúcar em pó e a baunilha. Para que as natas fiquem firmes, devem ser batidas numa taça bem fria e as mesmas estarem também bem frias. Inicialmente devem ser usada na batedeira uma velocidade mais baixa, aumentando a mesma à medida que começam a emulsionar. 
Depois de batidas e firmes as natas, com uma espátula adicionar o queijo creme, com movimentos suaves. Retirar 1/3 desta preparação e reservar no frigorífico até serem necessárias para a decoração.
Adicionar o puré de mirtilos às natas restantes envolvendo bem de modo a obter uma cor homogénea. Reservar no frigorífico.


Montagem do bolo

Desenrolar o bolo e cortar pela metade no sentido longitudinal. Cubrir uma das tiras de bolo com frosting e enrolar como se fosse uma torta. Depois de enrolar, pressionar ligeiramente para que mantenha a forma. 
Cubrir a outra metade de bolo com frosting e unir com a torta antes formada e enrolar sobre si mesma. Pressionar ligeiramente e colocar o bolo na horizontal.(ver aqui)

Num prato de servir, colocar um disco de bolo de mirtilos e um pouco de frosting. Em cima colocar a torta. Ajustar o diâmetro do disco retirando o excesso. Na parte superior da torta vertical, colocar mais frosting e de seguida o último disco de bolo de mirtilos, que deve também ser ajustado o diâmetro.

Cobrir todo o bolo com o restante frosting com a ajuda de uma espátula, dando o efeito que mais gostarmos. 

Para a decoração da parte superior, encher um saco de pasteleiro munido com um bico em estrela (usei o da Wilton M), e fazer pequenas rosas. Decorar com mirtilos e deixar repousar 2 horas no frigorífico antes de servir.










Um dos defeitos de trabalhar com corantes naturais, neste caso o mirtilo, é que nunca sabemos muito bem o resultado final. Por esse motivo o bolo de mirtilos tem este tom mais azulado que o frosting. 

E a teimosia dá nisto! Sem ter tempo de experimentar a receita antes para que depois se possa ajustar, o resultado não é de todo o que eu esperava a nível visual, porque a nível gustativo os sabores que eu queria juntar saltam todos à vista.

A teimosia é o meu pior melhor defeito e espero que por causa dela, possa continuar a desafiar-me a mim mesma por muitos mais anos!

Obrigado a todos os que deixaram uma palavrinha e se lembraram de mim neste dia!

sábado, 27 de junho de 2015

Em modo... Férias!!


Em outros tempos a chegada das férias, fazia com que andasse a contar ansiosamente os dias para que chegassem. Desta vez sem os contar, chegaram sem quase eu me dar conta e a única coisa que tinha na minha cabeça era a palavra descanço.

O simples facto de não ter que fazer malas e ficar por aqui, também ajudou. Nem sempre as coisas estão previstas da maneira que queremos e no fim das contas, estás bem onde estás.

Pronto, pronto... As saudades também apertam, mas não será o fim do mundo! Afinal a montanha até é bonita para dar uns passeios se o tempo ajudar.

O sol tem aparecido em todo o seu esplendor. Os pequenos andam um bocado perdidos no tempo, porque não é normal estarem tanto tempo em casa com a Mãe e quando as férias acabarem é que se vão dar conta.

Aproveitando o tempo de "não fazer nada", e aproveitando a receita do Dorie às Sextas, saiu um geladinho para nos animar.

Os mirtilos têm sido presença habitual cá por casa e mais quando o preço é convidativo. E se vos digo a verdade, cada vez que experimento uma receita, mais gosto desta pequenas "pérolas negras". É a primeira vez que faço um gelado com os mesmos, mas ao ler os ingredientes, o resultado era o que se imaginava.

Super cremoso e de sabores intensos!








Gelado de Mirtilos e Crème Frâiche
(receita retirada do Livro Baking, pág. 434, de Dorie Greenspan)
Tradução: Susana Figueiredo






Ingredientes:
-200 gramas de mirtilos(frescos ou congelados. Se for dos congelados, descongelar e escorrer bem)
- 80 gramas de açúcar
- 1 pitada de sal
- Raspa e sumo de 1/2 de limão ou lima (ou mais sumo a gosto)
- 180 ml de natas
- 240 ml de crème frâiche 

Execução:


Colocar os mirtilos, o açúcar, o sal e o limão num tacho médio e cozinhar em lume médio mexendo sempre até a mistura ferver e as bagas amolecerem, durante cerca de 3 minutos. 

Triturar a mistura até ficar um puré homogéneo, durante cerca de um minuto (nunca irá ficar completamente suave, o que é normal). Juntar as natas e as natas azedas e bater até estarem misturadas. 

Provar e, se necessário, juntar mais açúcar ou sumo de limão. Deitar numa taça e refrigerar sté estar bem fresco. Deitar na máquina de gelados e seguir as instruções do fabricante. Quando estiver pronto, levar ao congelador por duas horas.





Quando há que experimentar alguma receita nova, a Maria normalmente é a primeira que vem ter comigo. Sempre foi a mais curiosa e especialmente quando as cores são diferentes.

Desta vez fez birra e o primeiro a querer provar foi o Tomás. Só tive tempo de perguntar se tinha a certeza e a resposta não se fez esperar.

Resultado? A taça vazia em tempo record!

Vai um geladinho?