quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Chegou o Outono!!!



Desde que vim para a minha Sibéria, que deixei de ter Outono.... e se vos digo a verdade, tenho saudades do meu tempo do liceu! Porque o caminho que fazia de casa até lá estava cheio de folhas secas no chão e era uma alegria ouvir o som que faziam quando as pisavas. Não era tão engraçado era quando estavam molhadas, mas se a memória não me falha, nunca fiquei espatarrada por causa das folhas molhadas!

Com o destrambelhada que sou às vezes, quando tenho que cair, caio mesmo sem obstáculos! Ainda há poucos dias me aconteceu e ainda hoje, de cada vez que me lembro, não sei como raio aconteceu!

Enfim, coisas minhas, e coisas da minha Sibéria!

Ora hoje, dia de folga, yupiiiii, é dia de meter a mão na massa! E desta vez volto com bolachas, que eu nem gosto nada, para o #VamosFazerBolachas, do blog Cravo e Canela - Uma Cozinha no Brasil. O tema deste mês são bolachas recortadas e aproveitando uma ideia que vi no blog Maria Lunarillos, adaptei e transformei as saudades do Outono em bolachinhas! 

A única pena que tenho, é que duraram pouco para poder matar as saudades! Assim que os catraios chegaram a casa para lanchar, desapareceram como se lhes tivesse atingido uma rajada de vento.

Um receita simples de bolachas, à qual podemos atribuir as cores que queremos, como vi no blog que mencionei atrás! Mas como aqui em casa não abundam corantes e eu com duas cores tenho suficiente, ficaram as tonalidades que a mim me aquecem a alma. Sim porque guardo na memória as imagens das vinhas por estas alturas, dos castanheiros e da tílias do passeio do Liceu.

Enfim, podia ser pior, mas há dias em que me lembro destas coisas!!








Bolachas de Outono
(receita retirada do livro Le Grand livre de La Pâtisserie Facile, pág.296)


Ingredientes:

- 125 gramas de manteiga sem sal amolecida 
- 110 gramas de açúcar
- 1 ovo
- 1 colher de café de essência de baunilha
- 250 gramas de farinha
- 2 colheres de sopa de cacau
- 2 colheres de sopa de leite
- corante cor de laranja a gosto


Execução:

Bater a manteiga com o açúcar, o ovo e a essência de baunilha, até obtermos uma mistura homégenea, com a ajuda de uma batedeira.

Incorporar a farinha em 2 vezes até estar bem incorporada na massa.

Dividir a massa em dois e numa delas misturar o cacau e o leite, até obter uma cor uniforme. Na parte sem cacau, juntar o corante a gosto, neste caso corante laranja.


Cobrir as massas com película aderente e colocar no frigorífico como minimo 30 minutos.


Pré aquecer o forno a 180ºC e cobrir os tabuleiros com papel vegetal.

Cortar pedaços de massa de cada cor, como explicado aqui, ou fazer bandas com 2 cores, como eu fiz.






Esticar a massa com 3 a 4 mm de espessura, e cortar as bolachas com o cortador desejado. Neste caso uma folha.

Colocar nos tabuleiros e levar ao forno 10-15 minutos ou até que o lado cor de laranja comece a ficar mais escuro.

Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma grelha. Guardar numa lata hermeticamente fechada, para que o vento não as leve! (risos)







Eu já me tinha proibido a mim mesma de ver blogs como o que vos mostrei atrás, mas as coisas aparecem-me assim como quem não quer a coisa! E sinceramente eu só tenho a agradecer a imaginação daquelas meninas, porque me têm presa pelos olhos ao blog.

Presas não ficaram as folhas muito tempo, porque os catraios deram-lhe logo sumiço e como tal, nem sei que tempo duram dentro de uma lata...








Há uns tempos decidi começar a fazer um curso de catalão! Mais um idioma a juntar aos que já falo, mas este com intenção de poder ajudar os pequenos na escola e eu aprender mais qualquer coisinha! E o Outono, tem um nome tão lindo.... Tardor!


E não querendo influenciar, foi mesmo o que disseram os catraios assim que as viram! Eles não têm folhas secas no caminho da escola, mas certamente se lembrarão das bolachas do Tardor!!



E como é Outono, o chá já se agradece! Alguém quer uma bolachinha?

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Em vez do pão....



Hoje é dia da Alimentação. É também o dia de anos da minha irmã mais nova. É também o dia da minha folga e eu ja fiz quase uma maratona, entre subidas e descidas a Andorra. É também o dia que a blogosfera culinária se enche de Pão para celebrar e eu como sou uma despistada de primeira, não o fiz.


Na minha cabecinha tinha a ideia que o dia 16 era só para o fim de semana, logo teria tempo de preparar uma receitinha e publicar.... To late! O dia chegou e o pão por fazer! Coisas que acontecem quando o tempo anda desgovernado! E o meu anda!


Aproveitando o desafio do grupo do Facebook, Quinze dias Com...., surge esta receita. Por sinal de um senhor que faz Pão como ninguém e que me tem apaixonada por essa arte. Sim, sim, porque eu acho que tudo tem arte, e fazer Pão é uma arte!

Falo pois claro do Paul Hollywood, com o qual já aprendi uma coisinhas! Mas ainda assim não o suficiente para fazer um pão express, como tal hoje a receita é mesmo de Crumble, e uma das preferidas deste senhor.


Quando recebi o livro dele, How to Bake, assim que o abri fiquei boquiaberta com as receitas e com os passos de cada. Pensava eu prós meus botões que não iria complicar-me a vida e que mesmo que não experimentasse nenhuma, não havia problema. Oh oh.... Experimentei um pão assim que chegou e porque era simples. Depois compliquei-me a vida com a Danish Pastry, que é qualquer coisa do outro mundo e que depois de tanto trabalhinho, não consegui publicar porque os pastelinhos desapareceram e desta última, um Crumble. 



Crumble de Pêras, Nozes e Chocolate
(receita retirado do livro, How to Bake, de Paul Hollywood, pág.217)





Ingredientes:

- 4 pêras maduras mas firmes (usei Conference)
- 2 colheres de sopa de xarope de arce (maple syrup)
- 50 ml de vinho branco
- 50 gramas de farinha
- 50 gramas de flocos de aveia
- 25 gramas de açúcar
- 1/2 colher de chá de canela em pó
- 50 gramas de manteiga sem sal fria
- 50 gramas de nozes (na receita pecanas, mas usei normais)
- 25 gramas de amêndoas fileteadas
- 50 gramas de pepitas de chocolate negro ou 50 gramas de chocolate grosseiramente picado (usei Lindt 88% de cacau)


Execução:

Pré aquecer o forno a 180ºC. Untar um recipiente de 28x18 cm oval, ou similiar como no meu caso que usei rectangular. Reservar.

Descascar as pêras e retirar o coração, partindo em quartos. Colocar no recipiente e deitar o maple syrup e o vinho branco.

Colocar no forno durante 10 minutos.

Preparar o crumble misturando todos os ingredientes, excepto, as nozes e as amêndoas, esfregando com as pontas dos dedos, de modo a obter como uma areia grossa. Este passo pode ser feito num processador de alimentos.

Juntar as nozes e as amêndoas e misturar.

Retirar o recipiente do forno e polvilhar com o chocolate, seguidamente do crumble. Levar ao forno durante 15-20 minutos, até que esteja dourado e borbulhante.

Retirar do forno e deixar arrefecer um pouco antes de servir acompanhado com uma bela colherada de crème frâiche, ou gelado de baunilha.








O Paulinho na receita aconselha o crème frâiche como acompanhamento... e eu como nem gosto nada, né?, fiz o que me pedia! Segundo ele é a receita de crumble preferida e eu assino por baixo! Não que se tenha transformado na minha preferida, porque um Crumble será sempre um Crumble. e até descobrir o meu preferido, acho que tenho que experimentar muitos mais!








Uma coisa é certa.... Continuo a preferir os Crumbles com uma bela bola de gelado de baunilha!! Ohhhhhh.... E como agora as cores do horizonte já vão mudando com o passar do meu desgovernado tempo, há lá melhor do que enrolar-se numa manta, com uma tacinha de Crumble de Pêras?

Até pode haver, mas não é a mesma coisa!!!