sexta-feira, 27 de março de 2015

Caramelooooo!



Na última quinzena do Dorie às Sextas não consegui participar. Li a receita e andei a pensar nela durante uns dias, mas depois varreu-se-me... E ainda por cima era um Bundt. Não tenho perdão... Ou melhor tenho... Eu gosto muito da Dorie, mas há aquelas receitas que não apelam ao meu lado mais guloso. Será porque era um Bundt e já não me rendo? Isto não pode acontecer, ai não pode não...


Seja com for, desta vez aconteceu! Ficou-me no esquecimento, mas quando me lembrar vou buscar a receita e experimento.


Ora para sair dos bolos e bolinhos, esta quinzena a receita é de comer à colher! E acreditem que cada colherada vale a pena.


É um pudim de caramelo, se é que lhe podemos chamar assim. Eu chamo-lhe tentação, porque estes pudinzinhos são de bradar aos céus.


A receita chamou-me à atenção pelo modo de execução e fiquei a matutar naquilo. Uma base de caramelo, que é feita acrescentando pequenas quantidades de açúcar. Eu que sempre faço o caramelo de uma vez, não entendia. Ainda assim fiquei sem descobrir o porquê desta maneira de fazer caramelo, visto que decidi fazer só metade da receita! (Erro grandioso, porque quando se acaba um pudinzinho, já temos vontade de comer outro!) 


Deixo-vos a receita completa, apesar de ter feito só metade.... Ai se o arrependimento matasse!










Pudim de Caramelo (Caramel Pots de Crème)
(receita do livro Baking, de Dorie Greenspan, pág. 388)
Tradução: Susana Figueiredo


Ingredientes:
- 500 ml de natas MG>35%

- 250 ml leite gordo
- 150 gramas de açúcar
- 2 ovos grandes
- 5 gemas de ovos grandes

Execução:

Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-lo a 150º. Forrar um tabuleiro grande e alto com duas camadas de papel de cozinha. Colocar 8 taças de 120 ml no tabuleiro e ferver água numa chaleira.

Misturar as natas com o leite a aquecer no micro-ondas ou num tacho em lume médio. Reservar.

Medir 50 gramas de açúcar e reservar. 
Levar a lume médio-alto um tacho de tamanho médio e deitar duas colheres de sopa do restante açúcar. Quando começar a caramelizar, mexer e juntar mais duas colheres de açúcar, continuando a mexer até ficar escuro. 


Repetir o processo com o restante açúcar, juntando sempre 2 colheres de sopa de cada vez. Quando estiver escuro, da cor do mogno, juntar a mistura das natas com o leite. Cuidado, irá borbulhar e salpicar, mas é normal. Continuar a mexer até ficar suave. Retirar do lume.


Juntar numa taça os ovos, as gemas e o açúcar e bater com uma vara até ficar pálido e engrossar ligeiramente. Sem parar de bater, juntar um pouco do caramelo para aquecer os ovos de modo a não talharem. Continuar a bater e deitar lentamente o resto do caramelo. Retirar a espuma que se forma no cimo o creme e deitá-lo nas taças.
Encher o tabuleiro com água quente até subir a metade das taças. Cobrir o tabuleiro com película aderente, fazer dois furos nas extremidades da película e levar cuidadosamente ao forno.


Cozinhar entre 35 e 40 minutos, até escurecerem ligeiramente e abanarem apenas no centro. Retirar do forno e deixar arrefecer ainda na água durante 10 minutos. Retirar a película, tirar as taças da água e deixar arrefecer completamente.










Vou continuar a não perceber a diferença entre fazer um caramelo da maneira tradicional e, desta, em que vamos adicionando açúcar ao processo de caramelização. Ao fazer metade da receita, é mais complicado dar conta da diferença pela quantidade de açúcar que se usa, mas ainda assim tentei.


Eu e o caramelo só somos melhores amigos, depois de este estar feito! Enquanto o faço tenho muito respeito ao dito, visto já ter tido alguns altercatos com o mesmo. Mas ainda assim, faço e não lhe tenho medo! (risos) Porque afinal de contas, sou uma gulosa incorregível!








A Dorie diz que estes pudinzinhos não necessitam qualquer acompanhamento. Quizás uma pontinha de chantilly... Tenho que discordar com a Dorie... Não me apeteceu colocar o dito chantilly e, em lugar deste coloquei umas pitadinhas de flôr de sal.


Bem... Se era bom sem esta pitadinha, com ela, é qualquer coisa de muito indulgente. Desaparecem rapidamente a cada colherada, por isso usem uma pequenina, para se poderem deliciar mais tempo. (risos)


E como devia ter feito a receita na totalidade, agora vou ali repetir mais meia... (risos)!

24 comentários:

  1. Nunca fiz caramelo e confesso que que é uma coisa que me stressa um pouco, mas gostei tanto do aspecto desses potes que fiquei tentada a experimentar, vamos ver se me consigo organizar para os fazer no fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca fizeste caramelo? Pois aqui tens uma primeira vez!
      Experimentaaa!
      :)

      Excluir
  2. Ai mana Bundette que coisa magnífica e linda!!!!
    Lá vou eu ter de fazer estes pontinhos dos céus!!!
    Até estou a salivar acreditas e concordo contigo, acho que esses salpicos de flor de sal foram bem pensados, pois caramelo com sal é algo de muito indulgente mesmo e divino! Olha, deste fim de semana não passam, garanto-te!!!!
    Beijinhos aos 3,
    Lia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu faz os potinhos dos céus, porque isto é uma viagem muito próxima ao paradise!
      São mesmo bons, pa!
      Beijinho triplicado

      Excluir
  3. Ficou maravilhoso, que cor linda.

    Bj
    http://nacozinhacomafilipa.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Que bom que deve ser este pudim! Fiquei literalmente a salivar! (logo eu que me pelo por caramelo) :)
    Beijinhos e bom fim-de-semana!
    http://petiscana.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois se te pelas por caramelo, estes são qualquer coisa de maravilhosos!
      Beijinho

      Excluir
  5. Lindos, Mena! Adorei a ideia do sal, que copiei mas no caramelo. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindos e bons!! Que é o mais importante!
      Também me lembrei de pôr o sal no caramelo, mas resisti. Quando os provei simples, disse falta qualquer coisa... Daí a pedrita de sal!
      Coisa mais boa!
      Beijinho

      Excluir
  6. Olá Menita,

    pois também não entendi as diferenças, mas acho que isso é o de menos, o importante é que a receita fique bem boa, tipo estes teus pudins :)
    Estão gulosos não estão, e a textura, ai que boa, mas a cor é uma perdição, esta Dorie é uma desafiadora, que mulher.
    Hoje fiz um caramelo para um bolo de ananás, mas nada como isto claro, um copito para mim.
    Já te disse que estão com um ar tentador?

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já voltei a repetir a receita, mas só metade da dose Sandra. E desta vez prestei mais atenção e a mim querer-me parecer, que será para evitar que o açucar caramelize tão rápido. Mas isto sou eu a divagar, né?
      Olha textura e cor de perder o norte! E estes desafios da Dorie cada vez me convencem mais!
      Olha... Eu gosto muito de bolinho de ananás! Fazemos uma troca?
      Beijinho triplicado

      Excluir
  7. Tem um aspecto delicioso!
    Que delicia!
    Grata pela partilha, muito bom! :)
    Beijinho

    ResponderExcluir
  8. Olá Mena!
    Estes teus pudins parecem ter uma textura perfeita. Fiquei com muita vontade de experimentar porque adoro pudim de caramelo.
    um beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então experimenta, Paula. Tenho a certeza que te surpreendem!
      Beijinho

      Excluir
  9. Ai meu Deus, isto deve ser maravilhoso.. aquela imagem da colher deixa qualquer um a "bater" mal. Obrigada pela partilha, um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou mais gulosa, Marmita! Tenho que ver a tacinha para ficar a "bater" mal!
      Beijinho

      Excluir
  10. Oi Mena
    Se eu fosse a ti rendia-me e fazia logo a receita inteira! Eu vou fazer essa, já sei que era para as Dories mas ando sempre desfasada. Essa história do caramelo aos poucos é que não me convence, já tentei. Lá em Portugal tratava-o por tu, aqui não sei que raio põem no açúcar...e na manteiga...e no leite....e já sei tenho as frutas!!
    Beijinhos e boa Páscoa!

    ResponderExcluir
  11. Adorei a receita e vou experimentar mas surgiu me uma duvida: coloca se a película aderente por cima do tabuleiro cubrindo todos os potinhos e vedando? Não condensara vapor de agua para dentro do pudim? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, colocar a película aderente vedando tudo. Há uma ligeira condensação mas nada que afecte o resultado do pudim. Também se pode fazer sem a película aderente, mas ficará uma crosta mais espessa. Beijinhos

      Excluir
    2. Muito obrigado =) Fiz e ficaram divinos! Publiquei no meu blog: http://dentesedoces.blogspot.pt/2016/08/pudinzinhos-de-caramelo.html

      Muito obrigada pela receita maravilhosa

      Excluir