domingo, 31 de maio de 2015

Chipsters?


A proposta desta quinzena no Dorie às Sextas, foram umas bolachinhas. Quando vi a receita e vi que um dos ingredientes era manteiga de amendoim, pensei "é desta que acabas com o frasco que tens no frigorífico".

E assim foi! Para aproveitar o dia de folga com os pequenos, fiz a massa na noite anterior e enquanto esperava que passassem as duas horas no frigorífico, tive um encontro de primeiro grau com o ferro de engomar. Resultado: depois de duas horas a passar a ferro não há mãos para fazer bolachas. E a massa passou toda a noite no frigorífico e as bolachas só foram feitas no dia seguinte depois de um dia passado entre baloiços.


Verifiquei a textura da massa depois de duas horas no frigorífico e o resultado é o mesmo depois de toda a noite. Em vez de usar a colher de sopa como medida, alertada pela Susaninha, fiz uma colher de sobremesa, e ainda assim as bolachinhas ficaram com um tamanho considerável.

Ainda assim foram alvo de discussão, porque o Tomás queria as grandes, e a Maria dizia que não gostava das grandes e queria as pequenas.


- Maria vamos tirar fotografias para o blog?
- Não.
- E tu, Tomás, queres ajudar a Mãe?
- Simmm!
- Mas prometes que não fazes caretas, ouviste?
- OK, OK!







É simplesmente impossível tirar uma fotografia a este rapaz sério! Ou com um ar tranquilo. Tem sempre que me fazer alguma careta, mas que no fim me deixa a rir às gargalhadas!

A irmã disse que não queria ajudar, mas lá deve ter reconsiderado, porque depois de terem quase acabado com as poucas bolachas que restavam, também quis tirar... Isso sim, não queria ter lá o irmão e queria uma bolacha pequena porque só gosta das pequenas. Que lhe vamos fazer?




Chipsters de Aveia,  Manteiga de Amendoim e Chocolate
(receita retirada do livro Baking, de Dorie Greenspan, p. 73)
Tradução: Susana Figueiredo.






Ingredientes:
- 270 gramas de flocos de aveia
- 130 gramas de farinha
- 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
- 2 colheres de chá de canela
- 1/4 colher de chá de noz moscada ralada
- 1/4 colher de chá de sal
- 225 gramas de manteiga sem sal à temperatura ambiente
- 200 gramas de manteiga de amendoim (com ou sem pedaços)
- 200 gramas de açúcar branco
- 200 gramas  de açúcar amarelo
- 2 ovos grandes
- 1 colher de chá de extrato de baunilha
- 200 gramas de pepitas de chocolate


Execução:
Colocar duas grades no forno, dividindo em terços. Pré-aquecê-lo a 175ºC e forrar 2 tabuleiros com papel vegetal ou tapetes de silicone. 
Misturar a aveia com a farinha, o bicarbonato, as especiarias e o sal. 

Numa taça grande, bater a manteiga com a manteiga de amendoim e os dois açúcares em velocidade média até estar suave e cremoso. Juntar os ovos, um de cada vez, batendo 1 minuto entre cada adição, e juntar depois a baunilha, continuando a bater. 

Reduzir a velocidade para o mínimo e juntar lentamente os ingredientes secos, batendo apenas até estarem misturados. Juntar os pedaços de chocolate. Se possível, refrigerar a massa durante duas horas para fazer bolachas mais perfeitas, retirando a massa com uma colher, fazendo uma bola com as mãos e colocando-as no tabuleiro com 5 cm de distância entre elas e pressionando-as gentilmente com a palma da mão até terem cerca de 1,25 cm de altura; se não for possível esperar, deitar apenas as colheradas de massa nos tabuleiros com 5 cm de distância entre elas.

Levar ao forno durante 13-15 minutos, rodando os tabuleiros e trocando-os em altura ao fim de 7 minutos. Deverão ficar douradas e apenas firmes nas extremidades e deverão ser retiradas dos tabuleiros com uma espátula para arrefecerem. Repetir o processo com a restante massa.









Antes de fazer este post, vi as publicações das outras Dories. E pensei para os meus botões: "voltaste a fazer asneira!!".

Só que neste exacto momento não sei muito bem onde é que cometi o erro e talvez possa ter sido na temperatura do forno, que normalmente tenho sempre muita atenção.

O aspecto destas bolachinhas não é dos mais bonitos, é certo, mas nem sempre podemos julgar as coisas pelo aspecto. E por isso desapareceram à velocidade da luz porque são altamente viciantes.





E estes diziam que não gostavam, ou porque eram grandes, ou porque eram pequenas.

Vai uma bolachinha?
 

quarta-feira, 20 de maio de 2015

19º Round Up da BundtMania - Neapolitan Bundt Cakes


E como é dia 20, cá estou eu para vos mostrar o resultado de mais uma Edição da BundtMania.

Como todos o mundo mundial sabe, ou pelo menos deveria saber(risos), o tema desta edição é Neapolitan Bundt Cakes. 

O desafio não era difícil, porque bastava juntar as três cores que caracterizam este tipo de bolo, mas o melhor disto, foram as diferentes abordagens a este tema.

Obrigado por nos dedicarem um bocadinho do vosso tempo e tentarem dar sempre um twist ao que vos pedimos!

As palavras sobram, onde reina a cor, e a continuação deixo-vos os Bundts desta Edição. Depois de verem já sabem que o próximo tema já está desvendado no Lemon&Vainilla.



Do outro blog responsável por esta BundtMania, o Lemon & Vainilla, este Neapolitan Cake.

























Do blog, A Cozinha da Kinhas,





Do blog Dona Biscoito,






Do blog That Cake Sweet,






Do blog, Doce de Fim de Semana,






Do blog, Basta Cheio,






E este foi mais uma das minhas aventuras,





Oram digam lá, que não são os Bundts mais lindos e tricolores? São pois e quem diga o contrário terá que se ver comigo! (risos)

Depois desta lufada de cor, para animar os meus dias brancos (sim, tem nevado na Sibéria), vamos até ao Lemon&Vainilla ver o que nos trás a próxima edição.


Contamos convosco!

domingo, 10 de maio de 2015

Brownie ou Blondie? Whatever...


Este post já devia estar publicado na sexta feira! E olhem só o dia que é?

Há coisas que têm muita força e neste caso a receita desta quinzena do Dorie às Sextas ficou pendente até ao último minuto de domingo.

A semana foi de loucos e o fim de semana não lhe ficou atrás, e como tal as forças e a vontade, por muita que se tenha, não chega para tudo.

Louca vou acabar eu por causa das definições e expressões usadas em alguns termos culinários. Pensava eu que os brownies, eram sempre de chocolate escuro, e que os blondies seria o nome dado quando se usa chocolate branco. Pois pelos vistos não! O Tico e o Teco desistiram de procurar explicações e sinceramente neste momento, não estou mesmo preocupada com isso.

A única coisa que eu sei, é que o Brownie de Chocolate Branco e Framboesas é assim qualquer coisa do outro mundo. A receita é a original que nos foi dada no grupo, a qual copiei tal qual, mas que no final mencionarei as alterações feitas... Sim porque eu e os merengues é tempo perdido! (risos)




Brownies de chocolate branco
(receita do livro Baking de Dorie Greenspan)

Tradução: Susana Figueiredo





Para os brownies:

Ingredientes
- 85 gramas de farinha
- 50 gramas de amêndoa moída
- 1/2 colher de chá de sal
- 120 gramas de manteiga sem sal, cortada em 8 pedaços
- 115 gramas de chocolate branco, picado grosseiramente
- 200 gramas de açúcar
- 2 colheres de sopa de raspa de laranja
- 4 ovos grandes
- 1 colher de chá de extrato de baunilha
- 1 chávena de framboesas frescas (usei uma mistura de frutos vermelhos congelados)

Para o merengue*(não fiz o merengue)
- 3 claras de ovos à temperatura ambiente
- 1 pitada de sal
- 1/2 chávena de açúcar
- Açúcar em pó para polvilhar


Streusel de Amêndoas
- 80 gramas de farinha
- 65 gramas de açúcar amarelo
- 60 gramas de manteiga bem fria cortada em cubos pequenos
- 1/4 de colher de chá de sal
- 50 gramas de amêndoas em palitos

Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-o a 165ºC. Untar com manteiga uma forma de 23x33 cm, forrar com papel vegetal, untar o papel e polvilhar com farinha, sacudindo o excesso.

Misturar farinha, amêndoas e sal. Colocar uma tigela à prova de calor sobre um tacho com água a fervinhar. Deitar a manteiga na tigela, juntar o chocolate e mexer frequentemente até o chocolate estar apenas derretido (cuidado, o chocolate branco talha com facilidade). Retirar do lume e reservar.

Numa taça grande, esfregar o açúcar com a raspa de laranja até ficar húmido e aromático. Juntar os ovos e bater em velocidade média-alta até ficar pálido e espumoso. Juntar a baunilha, baixar a velocidade para o mínimo e misturar a manteiga e o chocolate. Juntar os ingredientes secos, batendo apenas até desaparecerem. Deitar a massa no tabuleiro, cobrir uniformemente com os frutos vermelhos congelados e reservar.

Para o merengue*
Numa taça grande, bater as claras com o sal até fazerem espuma. Aumentar a velocidade da batedeira e juntar lentamente o açúcar, batendo até ficarem firmes e brilhantes.
Cozinhar entre 30-35 minutos ou até o merengueestar acastanhado e quebradiço e os brownis começarem a descolar-se das laterais da forma. Deixar arrefecer.

Cobrir um tapete de silicone ou papel vegetal com o açúcar em pó e, muito gentilmente para não estragar o merengue, virar os brownies sobre o papel ou tapete. Retirar o papel da cozedura, inverter cuidadosamente sobre uma tábua e cortar em 32 barras com cercade 5,7x3,8 cm.

Polvilhar com açúcar em pó servir simples ou com coulis de framboesa.


*Para fazer o streusel, colocar todos os ingredientes numa taça à excepção da amêndoa. Com as pontas dos dedos ou com um "pastry blender", misturar todos os ingredientes a fim de obter pedaços de massa do tamanho de ervilhas. Juntar as amêndoas e misturar. Colocar esta mistura sobre o brownie e seguir as indicações de cima.






Quando preciso de framboesas, não encontro. Sejam elas congeladas ou frescas. Não fosse um pacote de frutos vermelhos no congelador, esta maravilha tinha ficado na lista dos pendentes! Hesitei entre usar os frutos congelados, sob pena que o resultado fosse um fracasso, mas o resultado ficou muito parecido aos que usaram as framboesas frescas.





Esqueçam-se lá da textura normal de um brownie. Isto não tem nada a ver. Tem uma textura muito parecida a um bolo, muito suave e fresquinha.
A fruta dá-lhe um toque de frescura e contrasta perfeitamente com o doce do brownie. O streusel foi para que ficasse mais arranjadinho na falta de merengue. E não é, que lhe dá um toque maravilhoso?

Vai um brownie ou um blondie?

domingo, 3 de maio de 2015

Serei sempre muito chata!



Retirada de um Expresso há muito tempo atrás, uma folha com estes dizeres, está pendurada na porta do meu frederico.... E por aí estará até que eu deixe de ser chata! Ou seja... Nunca! (risos)






E porque não mudaria uma só palavra deste texto, eu vou continuar a ser resmungona. E a dar sermões quando saímos da escola porque não fizeram as coisas bem e a colocá-los na parede de pensar ( é o castigo aqui de casa, quando se portam mal e ajuda a reflexionar sobre o que fizeram)!


Aparte dos castigos e sermões, há sempre muito mais para compensar né? O coração de Mãe é assim. Incluído metermos todos as mãos na massa e inventarmos qualquer coisa para este dia. O problema é que são mãos a mais! Quando dou conta há farinha por todo lado, tantas são as vontades de ajudar.


E então resolvemos fazer um bolinho para este dizem que é da Mãe! E se é meu, pois que seja muito docinho!



Rosas de Brioche com Doce de Morango







Ingredientes:

Para a massa de alfarroba:
- 1 ovo
- 1 gema
- 50 gramas de açucar
- 50 gramas de manteiga sem sal amolecida
- 100 ml de leite morno
- 1 colher de chá de fermento de padeiro seco
- 30 gramas de farinha de alfarroba
- 300 gramas de farinha T55


Para a massa de baunilha:
- 1 ovo
- 1 gema
- 50 gramas de açucar
- 50 gramas de manteiga sem sal amolecida
- 100 ml de leite morno
- 1 colher de chá de fermento de padeiro seco
- 1 colher de chá de extracto de baunilha
- 350 gramas de farinha T55

- Doce de morango para rechear
- Geleia de marmelo para pincelar


Execução:

Massa de Alfarroba:
Colocar o leite numa tacinha juntamente com o fermento seco, deixando repousar até que se active.

Bater os ovos, o açúcar e a manteiga de maneira a obter uma mistura homogénea. Juntar o leite com o fermente e misturar. Juntar a farinha de alfarroba e a farinha T55, amassando suavemente até que a massa se descole da taça. Transferir para uma superfície untada com óleo e amassar durante cinco minutos. 

Colocar numa taça e deixar repousar num lugar cálido até duplicar de volume.

Proceder da mesma forma, para a massa de bauniha, adicionando a baunilha juntamente com os ovos. Os restantes passos são os mesmos.


Depois de levedar, amassar as massas de forma a retirar todo o ar formado. Esticar separadamente cada uma, até obter uma espessura de 3-4 mm. Cortar vários círculos de 10 cm de diâmetro.






Sobrepor os discos conforme a foto em cima, colocar o doce de morango e enrolar em sentido vertical. Cortar ao meio e dispor a parte cortada para baixo, numa forma sem buraco devidamente forrada com papel vegetal. Em total conseguirão 16 rosas, que serão colocadas do exterior da forma, para o interior, ficando colocada só uma rosa no meio.

Podem alterar a posição dos discos, conseguindo dessa maneira, outros matizes na massa.

Colocar num local cálido e deixar levedar até duplicar de volume.

Levar ao forno pré aquecido a 180ºC e deixar cozer durante 40-50 minutos, ou até que tenha um aspecto dourado.

Retirar do forno e deixar arrefecer durante dez minutos dentro da forma. Desenformar cuidadosamente e deixar sobre uma rede. Meter dentro de um saco de plástico e deixar arrefecer completamente.

Depois de frio pincelar com geleia de marmelo, previamente aquecida. Servir acompanhado de doce de morango.







- "Mãe, que estás a fazer?"
- "Estou a inventar!"
- "Oh Mãe, isso num é inventar!"
- "Ai não? Então o que é, espertinha?"
- "Então... Tás a usar a "maginação"!

Eu acho sempre que estas coisas que os pequenos me vão dizendo, são a melhor prenda que eu posso ter no largo da minha vida. Os dias establecidos não me dizem nada! Eles sim acham piada porque fazem sempre uma prendinha! E não há maneira de saber o que é, porque guardam segredo!

Segredos é o que não tem a receita. Realmente foi mais uma invenção na tentativa de fazer umas rosas diferentes. Sim, uma tentativa, porque não era bem isto que eu queria.

Ganhou o sabor! Pela primeira vez, consegui usar a alfarroba num dos meus bolinhos e o resultado não me podia ter deixado mais contente!!








Devia ter colocado mais doce de morango antes de enrolar as rosinhas. Mas como depois de feito, já não há solução, o melhor mesmo é acompanhar de mais uma colherada de doce de morango.

O contraste com a alfarroba é delicioso!

Resta-me só deixar um beijinho grande para todas as Mamãs do mundo mundial! Especialmente para a minha, para a dela e para todas aquelas, que de uma maneira ou de outra me ajudam a ser melhor Mamã!


Por aqui vou continuar a ser chata!! :)