sexta-feira, 25 de abril de 2014

Debaixo dos caracóis!



Os dias de repouso já acabaram e ainda bem que preparei esta receita quando ainda tinha tempo! Se calhar de me cruzar com ela noutra altura, acho que ficaria eternamente na lista de receitas TO DO!!! E o bendito monte de papéis e papelinhos continua a aumentar em vez de diminuir!


Eu cá não sou nada de Páscoas! Quando era mais pequena, sim que ligava mais e era diferente! Agora aqui? É um dia como outro qualquer! Só damos contas que estamos em Semana Santa, porque já se queimam os ultimos cartuchos nas pistas de ski e o número de visitantes é bastante reduzido, e as ruas da Sibéria parecem uma daquelas aldeias do faroeste! Só lhe falta mesmo uns vultos de palha a rodarem e mais calor!


Da última vez que tive uma receita da Dorie, não fiquei convencida! Esta quinzena no Dorie's às Sextas o desafio mudou de figura! Se antes chamava massa diabólica à massa que usa para a Galette, não sei que chamar a esta massa de brioche! Pois vou chamar a mesma coisa, porque é o cabo dos trabalhos! Mas vale bem a pena, porque o resultado é simplesmente maravilhoso!


Aviso que a receita é enorme e está feita para quem tenha uma boa batedeira e na falta dela, a força de braços também serve, porque eu tive que a fazer assim!
Colocarei a receita na integra, traduzida pela Susana, fazendo apenas apontamentos onde tenha feito as minhas alterações.





Brioche Raisin Snails
(receita retirada do Livro Baking, pag.56 de Dorie Greenspan)

- 1 chávena de passas grandes
- 3 colher de sopa de rum
- 1 1/2 colheres de chá de açúcar
- 1/4 colher de chá de canela em pó
- 1/2 receita de Golden Brioche Loaves, refrigerada e pronta a moldar (fazer a receita toda e cortar a massa ao meio, após refrigerar durante a noite) 1/2 receita de creme de pasteleiro


Para a massa de brioche (usar metade da receita):
- 2 pacotes de fermento seco activo
- 80 ml chávena de agua morna 
- 80 ml chávena de leite morno
- 470 gramas de farinha de trigo
- 2 colheres de chá de sal
- 3 ovos grandes, à temperatura ambiente
- 50 gramas de açúcar (usei 150 gramas porque a primeira versão partilhada no grupo, tinha este pequeno lapso, que os tornou ainda mais docinhos)
- 340 gr de manteiga sem sal, à temperatura ambiente mas um pouco firme


Para o creme de pasteleiro (usar metade da receita)
- 500 ml de leite gordo
- 6 gemas de ovos grandes
- 100 gramas de açúcar
- 50 gramas de amido de milho, peneirado
- 1 1/2 colher de chá de extracto de baunilha
- 40 gramas de manteiga sem sal, cortada aos pedaços e à temperatura ambiente


Para a cobertura (opcional)
- 3/4 de açúcar em pó, peneirado
- 1 colher de chá de água
- Uma gota de extracto de baunilha






Para a massa de brioche:
Colocar o fermento, água e leite na taça da batedeira e, usando uma colher de pau, mexer até o fermento dissolver. Adicionar a farinha e o sal e colocar a batedeira com o gancho de massa. Convém cobrir com uma toalha de cozinha para a farinha não sair para fora.

Ligar a batedeira numa velocidade bastante reduzida, se for preciso ir parando a batedeira até a farinha estar misturada; depois pode-se retirar a toalha e aumentar a velocidade para um nível médio/baixo durante 1 a 2 minutos, até a farinha estar bem incorporada. 

Nesta altura, a estará massa bastante seca, sendo conveniente ir rapando a taça com uma espátula para a massa ficar toda homogénea. Baixa-se a velocidade e adicionam-se os ovos, de seguida adiciona-se o açúcar. 

Aumentar a velocidade do misturador para médio e bater por cerca de 3 minutos, até que, a massa forme uma bola. Reduzir a velocidade ao ponto baixo e adicione a manteiga em pequenos pedaços (mais ou menos do tamanho de 2 colheres de sopa) batendo até que cada pedaço se incorpore na massa; só nessa altura se introduz o próximo pedaço, até acabar a manteiga.

Nesta altura a massa fica muito macia. Aumentar a velocidade para médio-alto e continuar a bater até a massa despegue dos lados da taça, durante cerca de 10 minutos. Mudar a massa para uma taça limpa, cobrir com película aderente e deixar à temperatura ambiente até dobrar o tamanho, o que será entre 40 a 60 minutos, dependendo da temperatura ambiente.

Tirar a massa da taça, levantando-a em torno das laterais e deixando-a cair com uma pancada ligeira na taça. Levar novamente à taça, cobrir com película aderente e colocar no frigorífico. Golpear a massa para baixo na taça a cada 30 minutos até que ela pare de crescer, o que demora cerca de 2 horas. De seguida deixar a massa tapada no frigorífico durante a noite.

**(Na falta de batedeira a massa torna-se mais complicada de fazer, mas consegue ser feita! Seguir todos os passos indicados em cima, usando uma colher de pau. Na parte de juntar a manteiga, esta deve estar um pouco mais mole para que seja também mais fácil incorporar na massa, manualmente.)

Para o creme de pasteleiro:
Levar o leite ao lume num tacho pequeno. Entretanto, num tacho médio com fundo pesado, bater as gemas, o açúcar e o amido de milho até ficar bem misturado. Sem parar de bater, deitar aos poucos 1/4 do leite quente, de modo a aquecer as gemas e evitar que talhem.

Batendo sempre, deitar lentamente o resto do leite. Levar o tacho a lume médio e deixar ferver, mexendo vigorosa, constante e consistentemente, tendo o cuidado de despegar sempre o creme das paredes do tacho. Deixar no lume durante 1-2 minutos, não parando de mexer, e tirar em seguida o tacho do calor.

Juntar o extracto de baunilha. Deixar repousar durante 5 minutos, acrescentando em seguida os pedacinhos de manteiga, envolvendo até estarem totalmente incorporados e o creme suave e sedoso. Transferir o creme para uma taça, cobrir com película aderente e refrigerar até estar frio (para arrefecê-lo mais depressa, colocar a taça numa outra taça, cheia de gelo e água fria, mexendo ocasionalmente até estar totalmente frio, o que deverá levar uns 20 minutos.





Para os caracóis:
Forrar um tabuleiro grande ou dois pequenos com papel vegetal ou com tapetes de silicone. Colocar as passas num tacho pequeno, cobrir com água quente e deixar repousar durante quatro minutos, até estarem inchadas. Escorrer bem, deitar novamente no tacho e, mexendo constantemente, aquecê-las em lume brando. Quando estiverem muito quentes, retirar o tacho do calor, deitar o rum e pegar-lhe fogo (afastem-se bem nesta fase...). Mexer até as chamas se apagarem, cobrir e reservar (as passas e o rum poderão ser guardadas num frasco coberto até um dia).
Misturar o açúcar e a canela.

Numa superfície polvilhada de farinha, estender a massa num rectângulo com cerca de 30x40 cm, o lado mais curto na nossa direcção. Espalhar bem o creme de pasteleiro sobre a massa, polvilhar com as passas e cobrir tudo com a mistura de açúcar e canela. Começando pelo lado mais próximo, enrolar a massa num cilindro, mantendo o rolo o mais apertado possível. Neste ponto, poderá envolver bem a massa em película e congelá-la durante dois meses ou, usar apenas a quantidade desejada e congelar o resto.

Com uma faca de chefe, aplicando gentilmente um movimento de serrar, aparar ligeiramente as pontas, caso estejas imperfeitas ou sem recheio. Cortar o tronco em fatias, com cerca de 2,5 cm cada. Colocar os caracóis no tabuleiro forrado, deixando algum espaço entre eles. Cobrir cuidadosamente os caracóis com papel vegetal e colocar o tabuleiro num local morno até dobrarem de volume (ficando inchados e macios) durante cerca de uma hora e 30 minutos.

Quando os caracóis tiverem crescido quase na totalidade, pré-aquecer o forno a 190º, colocando a grade ao meio se usar um tabuleiro ou dividindo as alturas se usar dois tabuleiros. Remover o papel vegetal do topo dos caracóis e levar ao forno durante 25 min (se se usar dois tabuleiros, trocar o de cima com o de baixo ao fim de 15 minutos, rodando-os também de modo a que os caracóis que estavam atrás fiquem à frente) ou até estarem crescidos e bem dourados. Com uma espátula de metal, transferi-los para uma rede de arrefecimento.

Para a cobertura: (opcional)
Colocar um pedaço de papel vegetal sob a rede onde estão a arrefecer os caracóis, de modo a apanhar quaisquer pingas que caiam. Numa taça, misturar o açúcar em pó com uma colher de chá de água. Continuar a juntar água, gota a gota, até formar uma cobertura que caia em fio da ponta da colher. Juntar o extracto de baunilha e salpicar os caracóis ainda quentes com a mistura.








Tenho que admitir, que quando vi a massa tão mole, pensei para comigo mesma: és uma azelha! Isto nunca vai ficar em condições de ser esticado!
Ainda assim foi para o frigorífico descansar!
Acho que o frigorífico faz milagres durante a noite! (risos)
Aquilo que era uma massa mole e longe de ser possível esticar, tinha-se transformado num bloco duro. O duro bastante para poder ser esticado e ser enrolado de seguida.









Depois de enrolar o rectângulo, já com o creme pasteleiro, pensei que se iam desmanchar. A temperatura ambiente começa a amolecer a massa e é complicado enrolar, e eu via com o creme pasteleiro me escapava pelos lados! Ainda assim, mais ou menos direitos, foram parar ao tabuleiro e restou apenas esperar que crescessem.









Que posso eu dizer mais?? Tudo aquilo que possa dizer será suspeito! Primeiro porque adoro tudo o que seja massas de brioche, depois adoro tudo o que leve passas, e terceiro, sou uma perdida por um primo irmão destes meninos, os famosos por estes lados como Pain aux Raisins. 

E é caso para dizer que era uma perdida por eles, porque estes ocuparam o seu lugar! São simplesmente fantásticos!

Acreditem que toda a trabalheira e sofrimento (risos), vale bem a pena no final!

Aceitam um chá?

terça-feira, 15 de abril de 2014

7º Round-Up da BundtMania - Tema: Primavera



Mais uma edição da BundtMania que chega ao fim! O tema foi a Primavera e o resultado não podia ser mais bonito e colorido!

A todos os que se juntaram a nós, só podemos agradecer! E como isto não pára, a Lia já tem prontinho mais uma tema e assim dar início à 8ª Edição da BundtMania. Passem lá pelo Lemon and Vainilla, para saberem o que vos espera!

Quanto a mim, resta-me dar início ao desfile Primaveril mais bonito, que os meus olhos viram!



"Primavera não é uma simples estação de flores, é muito mais! É um colorido da alma!"


A abir as hostilidades para esta Primavera que teimava em aparecer, saiu deste blog, um Strawberry Lemonade Picnic BundtCake.





Logo de seguida, chegou uma estreia na BundtMania e mais uma que se rendeu aos encantos destes Bundt Cakes. Do blog Delilicias, chega um Bundt Cake Primavera.






O blog Barriguinhas, já é presença obrigatória nestas edições! E para a Primavera trouxe um Bundt Cake de Morangos, Maple Syrup e Mel.... Docinho não é?






Do blog Um Toque de Canela, chega um Bundt Cake de Flor de Laranjeira e Pistachos. E eu imagino o cheirinho!






A Primavera veio lá dos lados dos Alpes, com um Bundt Cake de Crème Frâiche e Arandanos, pelas mãos da Cozinha da Kinhas. Resiste ainda a Primavera?






Num dia muito cinzento, apareceu este Bundt Cake de Côco e Calda de Morango e Anis, pelas mãos do Bem Bons. E de repente brilhou o sol! :)






Por causa da cor de uma glícinia no jardim, a Senhora Dona Anica, resolveu trazer estes Mini Bundt Cakes de Queijo Creme e Alfazema. "Pecanitos" diz ela!!!






O blog Basta Cheio, diz que a Primavera traz regressos! Mas o que trouxe para esta Primavera, foi um Bundt Cake de Claras, Lima e Groselha







A definição deste Bundt Cake de Limão e Sementes de Papoila do Bocadinhos de Açúcar é: "O cheiro limonado fantástico, pela cor bonita, pelo pontilhado dado pelas sementes de papoila, pelo glacé refrescante que torna o bolo ainda mais mimoso."
Palavras para quê?






Mais uma estreia nesta BundtMania! O blog Cozinha Aromática traz um Bundt Cake de Manga e Morango, para este desfile Primaveril!






O blog Partilhando Sabores e Receitas andava "fugido" desta BundtMania! Mas voltou com as amêndoas antecipadas, com um Bundt Cake de Baunilha e Framboesas com forma de Blossom! Lindo não?






"Colhe a alegria das flores da primavera e brinca feliz enquanto é tempo." Diz o blog Ideia Genial que se faz acompanhar de um Bundt Cake de Iogurte e Côco.







Sempre presente nesta BundtMania, o That Cake Sweet, também viaja com a Primavera! Eu cá viajava era com este Cherry Lemonade Picnic Bundt Cake.






Mais uma estreia! Uma seguidora que se rendeu aos encantos dos Bundts! Apesar de não ter blog, a Marta, quis marcar presença pela primeira vez! Trouxe um Bundt de Baunilha com molho de Morangos, acompanhado com uma Limonada de Morangos. Vejam aqui no álbum do Facebook as receitas que escolheu.





Embora tenha sido assolada por uma gripe, a dona do blog Ponto de Rebuçado - Receitas, não quis faltar a esta edição. Um Bundt Cake de Chocolate Branco e Morangos, é a melhor cura para estas maleitas!!!






O blog Doce de Fim de Semana, traz um Bundt Cake de Kéfir com Swirl de Doce de Morango e Laranja, acompanhado de um "Olá Primavera, que bem que chegaste!"





A Sílvia é mais uma seguidora que sempre que pode tenta estar presente, mesmo sem ter blog! Desta feita trouxe um Bundt Cake de Côco e Framboesas.






O blog Prazer a Cozinhar pergunta: "Haverá melhor maneira do que receber a Primavera, do que com um bolinho e flores?" Um Bundt Cake húmido de Limão e Sementes de Papoila é a resposta! Simmm!







A Dona Biscoito deixa uma pergunta no ar:
"O que é um bundt?
Eu digo; é um bolo de buraco no meio, fácil fácil!
O que é a Primavera?
É um bolo de buraco no meio, de lima... com passarinhos!!" Que não restem dúvidas na resposta: Bundt Cake de Iogurte e Lima!





A ultima das estreias nesta BundtMania, é do Blog Amor às Camadas. Ouviu o chamamento das andorinhas e resolveu trazer um Bundt Cake de Chocolate e Maracujá.









E para fechar em grande este desfile, o Bundt da Madame Bundette do Lemon and Vainilla! Um Bundt Cake de Chocolate com Doce de Morango e Ruibarbo! Soa bem não soa? Mas eu acho que ainda sabe melhor!







Acho que depois disto, a Primavera chega para ficar! Os dias já são muito mais bonitos e solarengos! 

E depois de tão bonito desfile, resta-me dizer que mais uma vez estou de coração cheio! Seja pelas obras de arte que nos vão fazendo, seja pelo carinho em cada bundt cake que fazem!

Desta feita, o miminho desta 7ª Edição é para: O Bundt Cake de Iogurte e Lima, do Blog Dona Biscoito. Parabéns Cláudia! Depois de chegares de férias, sim porque eu sei que estás de férias, envia uma mensagem aqui à Mamã!



Já foram espreitar o Lemon and Vainilla??



"Primavera significa desabrochar da Natureza, uma explosão de cores e formas naturais que embelezam as paisagens e nos fazem sorrir e estar de bem com a Vida."
(Lia Teixeira)

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Voltam as Dorie's!!!



Xiiiiii.... Eu já nem me lembro quando foi a última vez que fiz uma receita da Dorie! As mentoras do grupo, andam atarefadas e agora voltamos à carga!

A bem da verdade, já tinha saudades do desafio! E sempre que posso tento fazer, a não ser que a receita seja muito complicada ou que não tenha tempo!

Depois de umas quantas receitas já experimentadas desta senhora, às vezes tenho a sensação que as mais complicadas são sempre as melhores e há outras que de tão simples não me fascinam.

Desta feita voltamos com o chocolate para a reentrée! À primeira visto a receita é simples, mais um bolo de chocolate que piora com uma cobertura gulosa.

Para sair de teimas, o melhor mesmo é experimentar! E foi isso que fiz ontem.... Isto de estar por casa, não é bom!! Tenho muito mais tentações por perto! Oh valha-me Deus, tu não sabes o que queres!! Ora te queixas porque não tens tempo, ora te queixas porque tens tempo! Em que ficas? (risos)

É que eu não estou para nada habituada a estar de férias na Sibéria! Quando estou de férias rumo a Ocidente, não fico aqui a ver a chuva a cair, como é o caso deste momento!






Desenganem-se! Os frutos vermelhos e a crème frâiche é só para despistar! São tão somente o acompanhante do bolinho de chocolate da Dorie. Simples ou com a dita cobertura, tem que ser acompanhado de crème frâiche! E isto já sou eu que digo, porque desde que experimentei uma vez, agora não quero outra coisa.

Deixo-vos a receita tal qual foi traduzida do livro Baking, pela Susana Figueiredo, procedendo no final a mencionar as minhas alterações.


Almost Fudge Gâteaux
(receita retirada do livro Baking da Dorie Greenspan, pag.218)





Ingredientes:
- 5 ovos grandes
- 255 gramas de chocolate preto, cortado grosseiramente (70% de cacau)
- 1 chávena de açúcar (100 gramas)
- 70 gramas de manteiga sem sal, cortada em pedaços
- 2 colheres de sopa de café ou de água
- 1/3 chávena de farinha (40 gramas)
- Uma pitada de sal

Para a cobertura (opcional)
- 115 gramas de chocolate preto, cortado grosseiramente
- 1/2 chávena de natas
- 2 colheres chá de xarope de milho claro
- frutos vermelhos (opcional)

Para o bolo:
Colocar a grade do forno na parte central e pré-aquecê-lo a 175º. Untar uma forma de mola redonda, com 23 cm, com manteiga, cobrir o fundo com papel vegetal também untado, polvilhar com farinha e sacudir bem o excesso. Colocar a forma num tabuleiro coberto com papel vegetal ou um tapete de silicone.

Separar as gemas e colocá-las numa taça pequena, reservando as claras numa taça grande. Numa tigela à prova de calor colocada em cima de uma panela com água a ferver, juntar chocolate, açúcar, manteiga e café. Mexer de vez em quando até o chocolate e e manteiga estarem derretidos (não há problema se o açúcar ainda estiver ligeiramente granulado). Tirar a taça do lume e deixar a mistura repousar durante 3 minutos.

Com uma espátula de borracha, misturar as gemas uma a uma e, em seguida, envolver a farinha. 

Bater as claras em castelo com uma pitada de sal até estarem firmes. Misturar com a espátula 1/4 das claras na massa de chocolate, envolvendo em seguida as restantes claras. Deitar a massa na forma, abanado-a em seguida de um lado para o outro para nivelar a massa.

Levar ao forno entre 35 e 45 minutos, ou até o bolo ter crescido uniformemente (poderá crescer primeiro à volta e parecer feito, mas deverá ficar no forno mais uns minutos para o centro crescer também). O topo deve estar firme (poderá ficar rachado) e ao inserir uma pequena faca no centro, esta deverá sair apenas ligeiramente marcada pelo chocolate. Deixar o bolo arrefecer e repousar entre 5 e 10 minutos. Passar uma faca afiada pelos lados da forma e abrir a mola, retirando a parte lateral. Virar o bolo dobre uma rede, retirar a base da forma e o papel vegetal. Virar o bolo novamente sobre outra rede, deixando-o arrefecer até ficar à temperatura ambiente. À medida que arrefece, o bolo poderá afundar.

Para a cobertura (opcional)

Para cobrir o bolo, virá-lo novamente sobre uma rede para a parte lisa ficar para cima. Colocar a rede sobre um tabuleiro com papel vegetal ou encerado para apanhar quaisquer pingos. 

Derreter o chocolate em banho-maria, numa tigela resistente ao calor sobre uma panela com água a ferver ou, alternativamente, no micro-ondas. O chocolate deverá ficar apenas derretido e morno, nunca quente. Ferver as natas num tacho pequeno, deitando-as em seguida sobre o chocolate, mexendo gentilmente com uma espátula de borracha até a mistura estar suave e brilhante. Misturar o xarope de milho. 

Deitar a cobertura sobre o bolo e alisar o topo com uma espátula metálica. Não há problema se a cobertura escorrer para os lados de forma irregular. Deixar a cobertura ficar à temperatura ambiente ou colocar no frigorífico durante 20 minutos. Se a cobertura ficar baça com o frio, aquecer o bolo ligeiramente com um secador de cabelo antes de servir, de modo a retomar o brilho.






Ora vamos lá com as considerações:
- Fiz só metade da receita, usando uma forma de 15 cm e um molde múltiplo de muffins (de 6 unidades).
- Para a cobertura usei 1 colher de sobremesa de golden syrup porque não tenho xarope de milho.
- Decorei com frutos vermelhos e polvilhei com açucar em pó.
- O bolo simplesmente polvilhado com açúcar em pó é perfeitamente apresentável e muito mais saudável! (risos)





Sinceramente não sei se me enganei em algum lado da receita! Para ser uma bomba de chocolate, as minhas papilas gustativas, ficaram pouco convencidas! Mas isto sou eu que ando muito esquisita!

Porque os catraios, assim que lhe fincaram o dente, não queriam outra coisa!

Digamos que é daqueles bolos que colam nos dentes! (risos) Em que não sabemos muito bem como definir a textura que tem! 

Por isso experimentem e depois ajudem-me!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Pura gulodice!



E assim de repente dizem que estás de férias!!! Com esta não contava eu! Como o trabalho termina no dia 15, eu contava que me pagassem os dias de férias a que tinha direito, e não que as gozasse!! Pronto se as mudanças eram suposto começar só daqui a alguns dias, começam já!

O que também não me importa porque posso ir mudando as coisas e ir-me habituando a outro tipo de rotina!

Normalmente as mudanças são boas e eu espero que esta seja mais uma etapa bem sucedida!

Enquanto não chega o novo trabalho, porque estou de férias, vou aproveitando para experimentar coisas novas e ir "alimentando" este blog com receitas novas que bem precisa!

Quando me trouxeram as ultimas revistas sobre pastelaria, que mais podia ser, fiquei vidrada numa receita! Até tinha escondido a revista para não ver aquela imagem tão decadente! Como se isso fosse o bastante! Hoje enquanto levedava uma das proximas receitas para o blog, a imagem passou-me pela frente dos olhos! E isto que a revista está escondida! Nem pensei duas vezes!

Os catraios ficaram comigo e era o momento ideal de nos lambuzarmos os três de Nutella!! Há lá coisa mais decadente? Há e já vão ver porque o digo!!!






Este mês faz 8 anos que estou aqui pela Sibéria! Quando olho para o tempo, fico impressionada porque quase levo uma vida aqui! Cheguei aqui e não sabia o que ia encontrar... Só sabia que tinha muito que aprender, especialmente no que diz respeito a idiomas! Nos tempos o francês, o espanhol e o catalão fazem parte da vida diária! Alguns com mais dificuldades, mas outros muito mais facilidades! Isto se incluirmos o falar pelo cotovelos! (risos).

Ainda assim, as mesmas expressões que podem ser usadas em português, não têm o mesmo significado quando as tento traduzir! Por isso às vezes, a minha linguagem por aqui no blog pode soar um pouco macarrónica! Mas não levem a mal, pensem que tenho demasiadas expressões na cabeça e que misturo tudo!

É o caso da receita de hoje, que não sei que nome lhe dar! Se traduzo à letra, não fica chique né?





Há uns tempos atrás tinha visto no youtube um episódio da Nigella, que tinha uma receita muito parecida! Mas em vez de usar nutella, usava manteiga de amendoim! Bem depois disto, acho que ainda consigo ser mais gulosa do que ela!

A receita é feita com pão de brioche recesso, mas pode ser muito bem feita com pão de forma, tendo apenas que aumentar o açúcar se assim desejarem.

Deixamo-nos de conversa e vamos a mais uma decadência!


French Toast com Nutella e Banana Caramelizada
Na revista "Pain perdu gourmand)
(receita retirada da revista Maxi Cuisine Hors Série - Especial Desserts et Pâtisseries - Mars)

Ingredientes:

- 4 fatias de brioche com 1,5 cm de espessura
- 2 colheres de sopa de açúcar
- 150 ml de leite
- 1 ovo
- 1 colher de chá de essência de baunilha
- 20 gramas de manteiga
- 1 banana
- 3 colheres de sopa de nutella
- gelado de baunilha (opcional)
- cacau em pó para polvilhar

Execução:

Bater o ovo com uma colher de sopa de açúcar e juntar o leite e a baunilha. Colocar uma frigideira ao lume e colocar a manteiga. 

Cortar as fatias de pão de brioche e embeber no leite, fritando em seguida na manteiga. Virar as fatias de brioche quando douradas e deixar que se dourem do outro lado. Enquanto douram do último lado, polvilhamos o lado que já está dourado com o açucar que nos sobrou. Voltar a virar com o açucar e deixamos que se caramelize. Quando prontas retiramos e colocamos sobre um prato.

Colocamos a banana cortada ao meio na frigideira. Se já não houver manteiga, colocamos um pouco mais e deixamos que fritem. Quando estiverem douradas, polvilhamos de açúcar e deixamos que caramelizem.

Retiramos quando estejam bem douradas.

Derretemos a Nutella no microondas e procedemos à montagem do french toast.

Colocamos uma fatia de brioche seguida de uma boa colherada de nutella, seguida da banana caramelizada. Assim até à 3ª fatia, que leva só nutella. Cobrimos com a fatia restante e polvilhamos de cacau em pó.

Serve-se morno, acompanhado de gelado se assim desejarem.






Alguém me perguntava se existiria algo mais decandente que um bread pudding! Aqui está aquilo que eu pessoalmente acho muito mais decandente!!!

Pessoalmente prefiro usar o brioche, porque a textura é muito mais fofa que do pão! E o resultado nota-se a cada colherada, ou garfada....






A isto chamo eu, decadência perfeita!!!!!!! A sério! Simples, e estupidamente delicioso! Só basta que se goste da mistura de sabores: Banana e chocolate! O resto vem por acréscimo!!!





Sabem uma coisa? Há coisas que não se conseguem explicar, só mesmo experimentando! Por isso eu deixo-vos que experimentem e que depois me digam até onde pode ir a decadência!!

Enquanto isso, eu vou aproveitando a decadência do dolce fare niente!!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Verde que te quero verde!



Já andava há muito tempo sem fazer bolachas! Ou pelo menos ainda não tinha feito algumas que tivessem direito a vir parar ao blog! E porquê?? Porque desaparecem da lata e não ha fotografias para ninguém!

O que também é bom sinal e quando desaparecem é o melhor de todos!!!

Ora é de bolachinhas que falamos e vamos continuar, porque a Manuela do Cravo e Canela - Uma Cozinha no Brasil, deu início à segunda temporada do Vamos Fazer Bolachas!! Isto parece uma daquelas séries televisivas, que ao fim de uma temporada, mantém os artistas, mas mudam as histórias! Esta será diferente, porque a blogosfera está cheia de gente nova que a cada dia participa, mas a história agora é outra! Agora ao blog junta-se um grupo no Facebook, que podem ver AQUI, que espera por todos aqueles que tenham vontade de fazer bolachas! Por isso, já sabem!


Se antes era dado um tema, agora há um tipo de bolacha específico! Esta edição o tema escolhido, foram as Crinkles!


Voltamos a fazer estas bolachinhas! E desta vez não são de chocolate! Mas eu continuo a achar que há qualquer coisa que não faço bem! As bolachas lá "craquelam", mas não como deveriam! O problema não é do forno, porque está ajustado! Desta vez acho que foi no fermento! Quando li a receita, aqui, não pensei nem 10 minutos! E tive que meter a pata com o fermento e reduzir a quantidade, porque achei demasiado para a quantidade de farinha!! Visto o não visto, tinha que o ter colocado!

Ainda assim o sabor e a textura ficaram tão bons, que não podiam ficar só dentro da lata!






Crinkles de Lima e Côco




Ingredientes:
- 100 gramas de açúcar
- 1 ovo
- 80 gramas de manteiga derretida fria
- raspa de uma lima
- 2 colheres de sopa de sumo de lima
- 20 gramas de côco
- 220 gramas de farinha de trigo
- 1 colher de chá de fermento ( na original são duas)
- açúcar em pó e normal para polvilhar
- corante verde em gel a gosto (dependerá se quiserem uma cor mais escura ou menos) (opcional)

Execução:
Numa taça colocar a manteiga e bater juntamente com o açúcar. Juntar o ovo, o sumo e a raspa de lima, o côco e o corante verde. Bater até obter uma massa lisa. Juntar a farinha e envolver bem, até obtermos uma massa homogénea e não pegajosa.

Fazer uma bola e cobrir com película aderente, colocando no frigorífico durante uma hora.

Pré aquecer o forno a 180ºC.

Formar pequenas bolas de massa, mais ou menos 20 gramas, e passar no açúcar granulado e por fim no açúcar em pó envolvendo bem.






Colocar num tabuleiro espaçadas entre si e levar durante 10 minutos ao forno. Retirar e deixar arrefecer sobre o tabuleiro 5 minutos.

Transferir para uma grelha e deixar arrefecer completamente. Depois de frias, colocar num recipiente hermético.




Digamos que há que dar um desconto! As crinkles na Sibéria não ficam como nos outros lados! Deve ser problema da altitude! Mas como disse antes, são tão boas, mas tão boas, que não podiam ficar só na latinha!

Ainda assim, acho que não fogem muito ao aspecto de uma crinkle! Da próxima deito o fermento na totalidade!





E o verde? Pois porque me faz lembrar as limas! E os dias têm estado tão cinzentos, que é de cor que precisamos por estes lados! E se a isso lhe juntamos sabor, pois é ouro sobre azul!! Neste caso é verde!

Vai uma bolachinha??