sábado, 27 de julho de 2013

Simply gorgeous....



Quando estive de férias tive a oportunidade de "devorar" horas e horas de 24 Kitchen. Bem isto é, quando me deixavam.


Mas o que me valia era que havia uma televisão disponível onde ninguém estava e eu ficava aí sentadinha, com um monte de folhas brancas para fazer os meus apontamentos.


Entre a Rachel Allen e o Jamie Oliver, lá passava eu as minhas horas!! E foi num desses episódios dos Jamie que vi o Gorgeous Guacamole. Mas eu sou daquelas pessoas que tem que ver, para depois fazer. Como dizia a minha Mãe, vês com os olhos e fazes com as mãos.


Pois isto é tudo muito bonito!! O problema é que no meio de tanto gatafunho, fiquei sem perceber o que tinha apontado para o guacamole.


E eis que quando chego de férias, vejo no blog Sabores de Canela a mesma receita. Até parece que foi telepatia com a dona deste cantinho simplesmente maravilhoso. Gosto de me passear por lá, de me perder nas fotos e nas receitas, que só mostra a excelente comensal e cozinheira que está por detrás. E os gelados? Já não me chegava a minha Maria, agora também tenho a tentação neste blog. Não conhecem? Pois passem por lá e espreitem e já vão ver como tenho razão.


A única vez que comi Guacamole foi com um preparado que encontrei por aqui. Nada mais simples... Um abacate, uma saqueta dos pózinhos e já está. Como nunca tinha comido, achei que era aceitável... Depois de ter feito este, nunca mais voltarei a usar os ditos pózinhos!

Esta receita vem também em jeito de agradecimento ao 24 Kitchen por ter aceite este blog aventurado, na sua lista de blogs recomendados. Quando cheguei de férias tinha a surpresa na caixa de correio! É motivo para estar contente, né?

Chega de paleio rapariga!! O guacamole....


Gorgeous Guacamole
 Receita retirada do Sabores de Canela baseada no livro 30 Minutos do Jamie Oliver






Ingredientes: (só fiz metade da receita)
  • 2 cebolos (spring onions)
  • 1/2 ramo de coentros
  • 1/2 malagueta seca ( e ainda assim ficou picante)
  • 1 dente alho pequenino
  • 1 lima
  • 2 abacates pequenos
  • 5 tomates cherry pequenos





Execução:
Colocar num robot de cozinha os cebolos cortados, os coentros, a malagueta, o alho e sumo de metade de uma lima e um bom fio de azeite. Triturar. Descascar os abacates e juntar a polpa à mistura e triturar de novo. Coloque o tomate e dê apenas toques, para ficarem pedaços pequeninos. Rectificar os temperos e adicionar sal e lima se assim se achar necessário.
Servir com chips de tortilha*. 

* Na falta de chips comprados, podem sempre fritar as tortilhas de milho, que foi o que eu fiz. Ainda fica mais saboroso este guacamole com esses chips!!






Eu fico tão contente quando consigo fazer uma receita de outro blog, ou de um Chef famoso, que quase dou pulos de alegria! 

Este guacamole é simplesmente delicioso!! Como não tinha os tais chips comprados usei as tortilhas... Bem... É simplesmente delicioso e foi o bastante para o meu almoço!!







Não é propriamente light, mas perdoamos o bem que sabe pelo mal que faz, já diz o ditado!! Por isso não duvidem se quiserem experimentar! Vale a pena fazer e à volta dele reunir os amigos em amena cavaqueira!!

Faço mais chips?


"People who love to eat are always the best people." (Julia Child)

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Mas quem te manda?!




Como disse no post anterior do gelado, comprei uma maquina de fazer gelados. Agora dou comigo a pensar... Quem me manda a mim comprar uma maquina destas?? Agora o meu congelador não tem sítio para mais nada.


E sempre que vejo uma receita nova, lá vai ela parar ao livrinho dos apontamentos! 

No meio de tanto blogue há um que me tem derretida... Tal qual um gelado! Não sabem do que vos digo? Eu explico já a seguir!!


Gosto muito do blog A Oficina da Papitas, porque por detrás tem uma grande senhora. Uma rainha como eu carinhosamente lhe chamo. No fim deste post vou levar nas orelhas por causa disto, mas se há coisa que eu sei fazer é demonstrar quando gosto de alguém, e é este o caso.


Tirando isto, tenho a dizer que a Maria tem uma autêntica gelataria lá em casa!! Tivesse eu pelo mais perto dela, acho que dia sim, dia sim, passava lá por casa para ver o que tinha de novo. Mas ao não estar, resta-me fazer como os demais e babar de cada vez que faz um gelado.





Já sabem o que vos trago! Um gelado de manga que vi no Oficina da Papitas e ainda não tinha a máquina! E só esperava a oportunidade de o fazer!!!

Vamos antes que se derreta!


Gelado de Manga





Ingredientes: (fiz so metade da receita)
  • 1 manga bem madura ou 200 gramas de polpa de manga (usei polpa)
  • 2 claras de ovo + 1 colher de açucar
  • 100 ml de natas + 1 colher de açucar
  • 3 gotas de sumo de limão
Execução:
Colocar todos os ingredientes meia hora antes no frigorífico. Bater as claras em castelo juntamente com o açúcar, até ficar um merengue firme.

Bater as natas com o açúcar e o sumo de limão até montarem.  Juntar a polpa da manga às claras batidas em castelo em suaves movimentos para não perderem o ar. De seguida juntar suavemente as natas.

Colocar na máquina de gelados e seguir as instruções do fabricante.

Caso não tenha máquina de gelados, colocar num recipiente, e durante as primeiras 2 horas, ir mexendo a cada meia hora, para que não se formem cristais de gelo.






Cristais de gelo? Nem vê-los!! Uma pequena maravilha! Uma cremosidade incrível e eu acho que Hagen Dazz, ou lá como se chama tinha que contratar a minha Maria.
Quando vi o post já imaginava o sabor, mas agora posso mesmo dizer que é maravilhoso!!






Um gelado é um gelado! Mas quando como um corneto por exemplo, a melhor parte é mesmo quando se mistura o gelado com o crocante da bolacha!! Aiii.... Até me dá um arrepio só de pensar! Este cone fui eu que fiz... Uma aventura já vos digo, mas assim que descubra uma receita mais simples, já a partilho!

Não deixem que se derretam os gelados!!

Qual querem? Uma tacinha ou um cone?

terça-feira, 23 de julho de 2013

Mais simples não há!

Antes queixava que não tinha tempo para poder fazer as minhas experiências, porque tinha aqui os meninos e era muito complicado. Ainda assim tentava aproveitar o tempo nas horas de almoço ou nos dias de folga quando dormiam a sesta, quando a faziam....

E na última das hipóteses punha-os com a mão na massa a ajudar a fazer bolachas por exemplo.

Ora agora que estou mais abonada em tempo, não me dá para complicar! E chega-me mesmo a dar a preguiça para fazer alguma coisa para o meu almoço e para o jantar, e se faço tem que ser algo rápido! Mas mesmo nesta rapidez tenho que fazer algo que me encha a alma.

O tema do desafio do Cocineros del Mundo para este mês de Julho foram o Tomate e o Pêssego. Este ultimo já está tratado com o Gelado de Pêssego e Mel e faltava o tomate. Não quis dar grande voltas nem complicar e num dia em que dividia a cozinha com as bolachas apareceram estas tartelettes.








Aproveitando a deixa e mesmo sendo a coisa mais simples do mundo, participo com esta receita no desafio do Cocineros del Mundo do Google +. Já sabem que podem deixar o vosso +1, eu fic contente! :)


Tartelettes de Tomate e Mozarella





Ingredientes:

  • 6 tomates cocktail ( os da foto acima que são maiores que os cherry)
  • 1 bola de mozarella
  • massa folhada q.b ( neste caso 2 discos de 10 cm para as formas)
  • sal e pimenta preta q.b
  • azeite q.b
  • 1 rama de tomilho
  • folhas de mangericão para decorar

Execução:
Cortamos os discos de massa folhada para as formas que usarmos. Forramos e picamos o fundo com um garfo.

Lavamos e secamos os tomates. Cortamos em rodelas finas e colocamos sobre papel absorvente. Entretanto cortamos a mozarella em rodelas.

Colocam-se nas formas de tartelette rodelas alternas de queijo e tomate até encher. Temperamos com sal, pimenta e o tomilho. Regamos com um fio de azeite.

Levamos ao forno, pré aquecido a 180 ºC, até que a massa apresente os bordes dourados. Decora-se com folhinhas de mangericão.

Serve-se morno.






Esta receita pode ser feita em tamanho maior, bastando para isso aumentar a quantidade de ingredientes. Optei por fazer tamanho mini porque foi mesmo só para mim. 

Sou uma perdida por saladas que juntem estes dois ingredientes e sempre que posso faço! Mas como precisava de um pouco mais de conteúdo vestias com a massa folhada! E ainda bem... O cheirinho pela casa que deixava o tomilho deixava adivinhar o sabor desta miniatura.






Morna ou fria é daquelas coisas que nunca te deixam ficar mal, mesmo num jantar de amigos. E ao fim da refeição ficamos com aquela sensação de que estamos plenos. É bom sinal não é?

Por isso não hesitem e experimentem! Confort food em todo o alto!

Alguém almoça?

sábado, 20 de julho de 2013

Vai um geladinho?



Estava eu de férias quando lançaram dois dos desafios nos quais eu tento sempre participar. Por um lado o grupo da Dorie's às Sextas que lançava para esta quinzena um gelado, e por outro a comunidade Cocineros del Mundo, que lançava como desafio receitas com pêssego e/ou tomate.






O gelado da Dorie ficou em stand-by no meu inconsciente porque a bem da verdade nunca me saiem bem os gelados. Mas enquanto estive de férias aproveitei uma promoção e comprei uma máquina de gelados. Oh oh... Com a máquina na bagagem já não tinha desculpas para me escapar e lá fiz o gelado.


O facto de ser de pêssego já me resolveu mais um desafio e com esta receita participo do desafio da Comunidade Cocineros del Mundo do Google+, no apartado de Doce. Já sabem o que vos toca, passar por lá e colocar +1, sim? Deixo-vos aqui o link directo para não se perderem!!


Mena, deixa-te de conversas que o gelado vai começar a derreter!!




Gelado de Pêssego e Mel

Receita do Livro Baking da Dorie Greenspan traduzida por Maria Papitas

Ingredientes:
  • 4 pêssegos maduros (usei 3)
  • 1/4 cup de mel ( usei xarope de agáve)
  • 1 cup de leite gordo (usei meio gordo)
  • 1 cup de natas
  • 3 gemas de ovo de ovos grandes
  • 1/2 cup de açúcar
  • 2 colheres de chá de essência de baunilha
Execução:
Cortar dois dos pêssegos em pedaços pequenos e colocá-los numa panela pequena. Juntar o xarope de agáve, levar ao lume e quando ferver, baixar o lume, tapar a panela e deixar amaciar a fruta cerca de 10 minutos. Colocar o preparado num liquidificador ou processador e reduzir a puré. Reservar.

Misturar o leite e as natas e levar ao lume até levantar fervura. Entretanto, misturar as gemas com o açúcar numa tigela refractária e mexer com uma vara de arames. Verter lentamente sobre a mistura o leite e as natas fervidas e ainda quentes, mexendo sempre para não talhar as gemas. Deve-se deitar metade do líquiso, mexer e só depois de deve deitar a outra metada, muito lentamente. Deitar esta mistura numa panela e levar ao lume, mexendo sempre, até engrossar. 

Voltar a deitar a mistura numa tigela refractária e nessa altura juntar a baunilha e o puré de pêssego que estava reservado.

Refrigerar o preparado. Quando estiver bastante fresco, vertê-lo para a cuba da máquina de gelados e proceder seguindo as inbstruções do fabricante.






Partir em cubos pequenos o pêssego restante (no meu caso 1) e juntar ao gelado quando este já tiver com consistência espessa.

Quando pronto na máquina de gelados*, levar ao congelador mais cerca de 2 horas em caixa fechada, até que esteja pronto para ser retirado com a colher.

* No caso de não terem máquina de fazer gelados, nas primeiras 2 horas de congelação, devem mexer o gelado energicamente para desta maneira se evitarem a formação de cristais de gelo.






Para decoração usei umas tulipas de massa brick e polvilhei o gelado com um praliné que fiz com 100 gramas de açúcar amarelo e 100 gramas de amêndoas. Ao fim de caramelizar deixamos arrefecer e tritura-se e esta mistura pode ser guardada num frasquinho durante bastante tempo.

Quando a minha Maria fez o 1º comentário sobre o que mudaria neste gelado, fiquei hesitante e mesmo a matutar o que seria. Mas ela disse-me que o fizesse porque era bom. Depois de o ter provado e ter lido as primeiras opiniões, a minha não é muito diferente. É um gelado muito agradável, suave e docinho, mas que peca pelos pedacinhos de pêssego que encontramos meio congelados.






Uma receita certamente para repetir, mas sem os pedacinhos, ou então amaciar também estes como fizemos com os primeiros.

Mais uma receita da Dorie que não deixa a desejar a não ser por este pormenor, que é compensado pela harmonia de sabores.

E se juntarmos o praliné e a textura crocante da massa brick... Humm... Nem vos digo!!!

Vai um geladinho?

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O regresso!




Mas porque raio as férias passam sempre a voar?? Humm? Quando estou na praia nem me dou conta do tempo passar, a não ser quando o sol se começa a esconder!!!

É sempre assim, não é? O que é bom acaba depressa e ficamos sempre com vontade de mais!! Eu por minha vontade podia passar assim todos os meus dias, no dolce far niente, e era capaz de me habituar à vidinha boa.

E de repente acordo e dou de caras com a realidade. Que tenho que voltar à rotina, deixar lá longe a famíla, incluídos os "piquenos" que ficaram a aproveitar o Verão e os mimos da família, os amigos, o sol, enfim tanta coisa que mesmo pequenas me fazem sorrir.

Sorrir!! Palavra chave das férias!! Sol, calor e praia!!! Que bem que me souberam estes dias de praia!





Até na praia me lembrava do Blog! Viram? Pois é que está tudo relacionado com as Aventuras né? E aqui fica a marca que a estas horas o mar já apagou, mas que fica para sempre registada.

Entre a praia, a família, e os amigos, posso atrever-me mesmo a dizer que foram as melhores férias que tive desde que estou na Sibéria. Ou era eu que estava demasiado carente, e os pequenos gestos foram tão grandes que me encheram o coração. Bem, sentimentalista como sou, tudo isto é absolutamente normal.

Agora sem mais lamechices, vamos com a receita. Quando fui de férias levava o Vamos Fazer Bolachas na cabeça e por isso, hoje há bolachinhas!

O que vem mesmo a calhar, porque a lata está vazia! E é uma sugestão que podem levar para a praia, que foi o que a Manuela do Cravo e Canela - Uma Cozinha no Brasil, nos pedia para esta edição.



Rosquinhas Vienenses
(do Livro 200 Receitas de Bolos e Bolachas da Sara Lewis)





Ingredientes:

  • 100 gramas de manteiga à temperatura ambiente
  • 50 gramas de açúcar em pó
  • 2 gemas de ovos
  • 1/2 colher de chá de essência de baunilha
  • 125 gramas de farinha com fermento
  • 25 gramas de farinha de milho
  • Compota de framboesas ( usei uma de 4 frutos vermelhos)
  • açúcar em pó, peneirado para polvilhar

Execução:
Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme pálido. Aos poucos, incorpore as gemas e a baunilha e, por fim, as farinhas, batendo até a massa estar macia.

Coloque a massa num saco de pasteleiro com um bico largo em forma de estrela e fazemos circulos sobrepostos sobre o papel vegetal. Quanto maior fizemos os círculos maior será a bolacha.

Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante 15 minutos, até ficarem com de um tom dourado pálido. A meio da cozedura, retiramos, e no centro colocamos um pouco de compota, pressionando o centro com a colher.

Retiramos depois de cozidas e deixamos arrefecer e polvilhamos com o açúcar em pó.






Se tiverem um tabuleiro multiple de mini muffins, podem fazer sobrepondo os círculos, evitando assim que as rosquinhas se deformem.






Sabem aquelas bolachinhas que vêem nas latinhas azuis? Que toda a gente tem em casa escondida num armário? Pois estas bolachinhas a elas se parecem! Derretem literalmente na boca, e o impossível é mesmo resistir só a uma!





Pequeninas ou grandes, já vos digo que farão as delícias de pequenos e graúdos! Seja em casa ou até mesmo na praia, vale a pena experimentar!

Agora o chá quente não apetece, mas se for geladinho acompanha na perfeição.

Alguém é servido?!

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Dia Um... Na cozinha! Ensaladamos?




Pois ainda não fui de férias!! Ainda ando pela Sibéria e hoje o dia vai custar tanto a passar... Mas o simples facto de pensar que amanhã o ar que respiramos será outro, até me dá borboletas na barriga!!

E para animar o meu dia e fazê-lo mais curto tinha esta publicação no meu mural do facebook que me deixou, de sorriso de orelha a orelha.



“É essa a felicidade suprema. Abrir a cabeça e encontrá-la cheia. É como uma caixa de chocolates de todas as espécies, de todos os tamanhos, de todas as cores e feitios. A tua cabeça é uma caixa de chocolates. Cabe a ti escolher qual queres provar agora.”


Não sei de onde foi tirada a citação e a imagem, mas não podia deixar de partilhar com vocês, porque simplesmente adorei e fiquei aqui com a cabecinha às voltas.

E se a minha cabeça é como uma caixa de chocolates, normalmente eu provo sempre um de cada!! :))

Como no ultimo dia 1 de Junho, voltamos ao desafio Dia Um... Na cozinha!! Calma, não vai haver brownies outra vez... Como estamos em tempo de operação bikini, desta vez o tema escolhido foram as saladas. Que melhor que uma salada fresquinha para estes dias de calor? Se bem que na Sibéria ainda nao se fizeram sentir, mas que me soube bem a saladinha, soube!! Hummm....

E como na ediçao anterior neste desafio participam os blog's que vos deixo abaixo, todos eles pertencentes à família Cooking World! Escusado será dizer que há saladas para todos os gostos e, que estes blog's merecem a vossa visita.

Temos então:





Agora as saladas já não se vestem só de verde e vermelho. Ou seja tomate e alface!! Há tanta coisa que podemos usar para termos uma bela salada e fazer dela uma refeição que só temos que dar asas à imaginação!!

Na última publicação a minha querida Sonsoles, do blog Cocina con Vistas, o qual também aconselho a que visitem, comentava o colorido do Ceviche de Salmão, dizendo que para os chineses  uma comida sabe sempre melhor quando tem cinco cores. Ora isto que ela me disse andou comigo na cabeça durante uns dias! E quando pensava que ja tinha a minha salada feita, resolvi fazer outra.

Muito mais fresca e muito mais colorida!! Como os balões que vos deixei em cima!!





Salada Colorida de Melancia

O defeito de fazer as coisas consoante as vou tirando do frigorifico e com as asas da imaginação, tem um defeito, nunca peso nada nem tomo sequer apontamentos. Por isso tentarei colocar as quantidades aproximadas que utilizei nesta salada.

Ingredientes:

  • 1/4 de melancia
  • 1 abacate maduro mas firme
  • 1 queijo fresco
  • 1 tomate kumato 
  • 100 gramas de gambas congeladas
  • 1/2 dente de alho picadinho
  • sal e pimenta q.b.
  • Sementes de sesámo q.b
  • Salsa picada q.b

Execução:
Colocamos numa frigideira azeite e deixamos que aqueça. Deitamos as gambas e o alho picadinho. Temperamos com sal e pimenta a gosto. Deixamos que tomem um bocadinho de cor e que estejam cozinhadas. Retiramos do fogo e deixamos arrefecer.

Cortamos a melancia, o abacate, o queijo fresco e o tomate em pequenos quadrados. 

Para apresentação podemos usar um aro ou fazer um pequeno xadrez, como podem ver nas fotos. 

Com a casca do quarto de melancia que usamos, colocamos o aro e vamos colocando quadradinhos de melancia, queijo, tomate e abacate, misturando também algumas gambas.

Temperamos com sal e pimenta a gosto e com o azeite onde salteámos as gambas. 

Polvilhamos com sementes de sésamo e salsa picada a gosto.




Para comer como entrada ou como refeição principal. A melancia deve ser dos meus frutos preferido de Verão. Nos dias de calor uma bela fatia fresquinha sacia o corpo e alimenta a alma.

A mistura com o abacate e o tomate é simplesmente perfeita! E quando nos encontramos a bela da gambita, hummm....




Ao contrário do Xadrez que me aborrece pelas regras e pela falta de cor, tinham que ver a minha carinha de aborrecida com esta saladinha!! Soube-me pela alma como se costuma dizer!

Acabarei por dar razão aos chineses!! E enquanto vocês decidem com que peça começam esta partida, eu estarei finalmente a começar as minhas merecidas férias!! 

Esta cozinha por esse motivo estará fechada! Mas é um bom motivo não é? Prometo depois contar as aventuras das nossas férias! 

Um beijinho e até ao meu regresso!

Começamos esta partida??