sexta-feira, 31 de maio de 2013

Um guest post especial

Tudo começou com um descascador de alhos!!

Sim é isto que vocês estão a ler!! Foi assim que conheci a Ana, do blog Da nossa Cozinha. Pois ontem  fui a convidada especial da rúbrica Hoje na Cozinha está... e se querem saber, o meu ego disparou a mais de 1000%. Eu fico tão, mas tão feliz, quando vejo que as pessoas gostam de mim, do que fazemos, e mais que tudo, não pedem nada em troca.

Pois que isto não sirva de precedente, porque apartir de agora eu começo a cobrar um cachet!! O que me rio neste momento, vocês não podem mesmo imaginar!

Mas eu sou assim, uma sonhadora!! E com os olhos abertos para poder ver bem!! E desde que comecei estas Aventuras, tenho compartido não só o que faço na minha cozinha, mas um bocadinho de mim! Desde os sonhos às lágrimas, passando claro está pelas gargalhadas! E acreditem que para mim tem sido como um anti-depressivo.

Depois da entrevista de ontem, hoje também está no blog Da nossa Cozinha, uma receita minha. A senhora dos Bundt's anda meia preguiçosa, mas para tão especial dia, resolvi fazer uma sobremesa fresquinha.

Aparte de partilhar também com todos os seguidores da Ana, não podia de deixar de compartir convosco este pedaço de receita. Um Cheesecake de Cerejas da Nigella Lawson, que diga-se de passagem têm-me apaixonada.






É uma amizade que não se explica. Assim do nada, podem ser criados os laços mais bonitos que alguma vez poderia imaginar. Passem no blog Da nossa Cozinha, vejam a receita, e aproveitem para felicitar a Cozinheira, porque hoje está de parabéns!!!!


Clicar AQUI para ver a receita

Ana este será certamente o primeiro, de muitos aniversários que passarei contigo. As palavras neste momento teimam em não aparecer, e por isso fui buscar uma citação que adoro.

Obrigado por estares aí!

"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém... Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá). Terás vontade de rir comigo. E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto... e teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu. Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!" Saint Exupery - O Principezinho.

Eu adoro o Principezinho! Já não é a primeira vez que o digo e sei que não será a última! Já sei que sou lamechas, mas olha poderia ser pior!

Obrigado a todos os que viram a entrevista de ontem e que me deixaram de lágrima no olho. Vocês também fazem parte destas estrelas!


Amanhã volto com um post!! Especial por ser o dia da Criança, e a minha anda por aí à solta!!!

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Um toque especial.



Ultimamente tenho andado numa correria. Desafios, festas de anos, e afins, e como sou uma despistada deixo tudo para último e depois ando stressada.


E isto não está bem!! É que depois pareço uma barata tonta! Deixo depois que os afazeres da casa se acumulem... Nesta parte conste-se a roupa para passar!


Sim porque tenho torres e torres! Noutro dia dei por mim a dizer que a única relação séria que tenho é com o ferro de engomar! E é mesmo verdade, não há dia nenhum que não tenha que passar a ferro!! Oh vidinha....

O que vale é que dentro de pouco começo a contagem decrescente para as férias!! Ai que já me vejo por terras de Viriato! E que vontade tenho... A família, os amigos, os aromas, enfim.... É tão bom voltar a casa!!!


Agora voltando "al grano", um pratinho de porco, com um toque meio asiático, que levo para o projecto "A escolha do Ingrediente" que tem como autora a Susy do Tertúlia da Susy, e que nesta 2ª edição tem como Anfitriã a Carla, do Blog A Madeirense Carla Sofia, tendo como ingrediente, o Porco!!


Aproveitando que tinha as mãos na massa, ou melhor dito na carne, pensei, ora aproveitas aumentas ingredientes e vais à festa de aniversário do Tachos VS Panelas da Margarida. Já cheguei a meio da existência do blog, mas desde o primeiro dia em que deixei um comentário, foi como se a conhecesse de toda a vida. Por isso espero ver e estar presente nos próximos.


As especiarias como já alguma vez referi não são de todo o meu forte. Ultimamente tenho visto muita receita, e de tanto ver comida oriental acho que me deixei influenciar, para fazer esta sugestão. Por isso preparem os pauzinhos!!!






Porco Agridoce com Amêndoas

Ingredientes:
  • 250 gramas de bifinhos de lombo de porco
  • 150 gramas de cogumelos frescos
  • Metade de um pimento vermelho
  • Metade de um pimento amarelo
  • 1 dente de alho picado
  • 2 latas de rebentos de soja ( +/- 250 gramas de frescos)
  • 3 rodelas de ananás em calda 
  • 50 ml de sumo de ananás
  • 50 gramas de amêndoas tostadas
  • Azeite qb
  • Sal e pimenta negra qb
  • 1 colher de chá de gengibre em pó
  • 2 colheres de sopa de molho de soja

Execução:
Colocamos um wok ou uma frigideira anti aderente no lume. Cubrimos o fundo com azeite e deixamos aquecer. Entretanto cortamos em fatias finas os bifinhos de porco, os cogumelos, os pimentos e reservamos. No azeite bem quente deitamos a carne, juntamente com o alho. Temperamos com sal e pimenta e deixamos que se doure. De seguida juntamos os pimentos e os cogumelos e vamos mexendo. Juntamos o gengibre.

Cortamos as rodelas de ananás em pequenos pedaços e adicionamos à carne. Juntamos o molho de soja e o sumo do ananás e deixamos que ferva. Por fim juntamos os rebentos de soja. Envolvemos bem com a carne e por fim juntamos as amêndoas. 

Servimos acompanhado com arroz basmatti.






Apesar de não me entender com as especiarias, sempre gostei muito de comida chinesa. Ainda me lembro como se tivesse sido ontem, a minha primeira vez. E o gostinho ficou! O contraste da soja com o ananás é simplesmente fantástico! E quando menos contamos, trincamos uma amêndoa!






Adoro este contraste de sabor e texturas! E por incrível que pareça, até a minha pequena dizia: Oh Mãee isto tá bom!! E sabem que mais? Neste dia fiquei com os olhos em bico, porque os pequenos fizeram questão de comer com os pauzinhos. Adorei vê-los a lutar com o arroz, mas no fim lá se renderam e pediram uma colher!!


Por isso não se façam de rogados, que os pauzinhos estão na mesa!!!

domingo, 26 de maio de 2013

Os sonhos.

O sol volta a brilhar!!

E eu estou tão contente! Não só pelo sol, porque diz o senhor do tempo, que dentro de dias a neve volta, mas quando ele aparece eu aproveito para recuperar as energias.

Este post tinha uma entrada completamente diferente, mas como me deu o sol na mona, assim que o editei apaguei e mudei.

Vamos falar de sonhos? Afinal o que são os sonhos? Porque somente sonhamos quando dormimos? Ou temos pesadelos? Bem se vos digo a verdade nunca me lembro dos sonhos, mas sim dos pesadelos que me fazem acordar no meio da noite. Os sonhos esses eu deixo para a luz do dia. De olhos bem abertos para ver até que ponto se podem realizar.



Imagem retirada daqui.

Ora um dos sonhos que tenho é ir à Disney com os pequenotes. Ainda está o plano por delinear e faz falta que aqui a JE comece a fazer o pé de meia. Diga-se que não será fácil, mas já me estou a ver a vender bolachinhas e afins por toda a Sibéria. Mas que se dane o trabalho, que vale a pena ver o sorriso deles, quando virem o Mickey e a Minnie. Aqui em segredo, acho que quem vai ficar mais aparvalhada sou eu!! Xiii... nem quero imaginar euzinha na Disney! Vai ser a loucura neste mundo mundial.

Outra coisa que eu gostava muito, era de ter uma casa grande. Onde a maior divisão seja a cozinha! Pois claro! Que esteja em harmonia com um salão, onde possa receber a família, os amigos, todos aqueles que vierem por bem. E o bom disto tudo, é poder nestas reuniões familiares, dividir experiências, conhecimentos e sonhos.


Imagem retirada daqui.

Seria mais ou menos uma coisa deste género. Onde pudesse compartir de uma casa cheia!! Tinha que colocar mais uns banquinhos porque os que aparecem não chegam para todos.

Há lá melhor coisa que fazeres uma coisa que gostas, e ainda por cima para pessoas de quem gostas? Até pode haver, mas não é a mesma coisa.

O último a chegar arruma a cozinha! Vamos cozinhar!!

As minhas horas de almoço são sempre uma correria. E às vezes dessas 2 horas que tenho, sobram-me apenas uns míseros 30 minutos, mas que me sabem a glória. Esta sugestão de hoje, foi uma dessas correrias! Menos mal que a sobremesa estava feita do dia anterior.






Tortilhas de Espargos, Cogumelos e Gambas

Ingredientes:

  • 6 espargos verdes
  • 100 gramas de cogumelos frescos
  • 100 gramas de gambas descascadas
  • 1 dente de alho picado finamente
  • 1 ovo
  • 2 tortilhas de milho
  • azeite q.b
  • sal e pimenta preta q.b.
  • 1 tomate.
  • Salsa picada e crema balsâmica de Modena para decorar.
Execução:
Limpamos os espargos e cortamos em pedaços pequenos. Colocamos azeite numa frigideira anti-aderente, de preferência, e deixamos que aqueça. Juntamos os espargos e de seguida os cogumelos. Deitamos uma pisca de sal para que libertem um pouco de água.

Ao fim de 5 minutos juntamos o alho picado e de seguida as gambas. Tapamos e deixamos ficar o tempo de cozinhar as gambas. Rectificamos temperos e juntamos o ovo batido, envolvendo bem. Retiramos do lume e deixamos arrefecer ligeiramente.

Enquanto arrefece cortamos um tomate mediano em pequenos cubos e juntamos ao preparado anterior. Colocamos 3 colheres de sopa deste preparado no meio das tortilhas e enrolamos.

Serve-se de imediato.





Com os poucos espargos que tinha, tive mesmo que juntar outros ingredientes. O tomate aporta a esta mistura um toque fresco que combina na perfeição. Adoro crema balsâmica de modena e acho mesmo que lhe deu um toque especial a estas tortilhas.




Depois de duas tortilhas bem recheadas, esta hora de almoço tinha que acabar da melhor maneira. E no dia anterior tinha tido uma vontade súbita de comer uma sobremesa que já não comia há muito tempo. Mas daqueles apetites que só de pensar, já se me fazia a boca água. E sim, tem chocolate!!





Petites Pots de Chocolate Cremoso
A receita veio do Blog Coco&Baunilha

Ingredientes: (fiz só metade da receita)

  • 100 gramas de chocolate negro
  • 25 gramas de açúcar
  • 3 gemas
  • 150 ml de leite gordo
  • 100 ml de natas (30% mat. gorda)
Execução:

Colocar o  leite e as natas ao lume e deixar levantar fervura. Partir o chocolate em pedaços e reservar.

Bater as gemas com o açúcar ligeiramente. Verter o leite sobre as gemas cuidadosamente e mexendo sempre sem parar, para evitar que talhem as gemas. Depois de bem misturado, levamos novamente ao lume, mas desta vez em lume baixinho. Mexemos sempre até engrossar e ficar como uma leite creme. Juntamos o chocolate em 3 vezes, mexendo sempre até que esteja bem derretido.

Colocamos em tacinhas e deixamos arrefecer. Guardamos no frigorífico até servir.




Pronto já sei que a operação bikini está em plena marcha, mas esta sobremesa é daquelas que não se pode deixar de experimentar. É daqueles prazeres que não temos todos os dias. Já o tinha feito antes de ter o blog e já há muito tempo que não o fazia. Não podia deixar de partilhar esta pequena maravilha convosco.




Espero que com esta sobremesa, me perdoem o extenso que foi o post... Mas afinal a vida é feita de pequenas coisas, e grandes sonhos! E eu até posso sonhar alto com vocês!!

Bom domingo! Beijinhos no coração!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

A preguiça.

E os sete pecados capitais são:

A Gula, Avareza, Luxúria, Ira, Inveja, Preguiça e o Orgulho.

Deixei a inveja mais acentuada porque se no dia do juízo final me quiserem acusar, será porque sou uma preguiçosa.

Diz a definição da Wipipédia sobre este pecado:

preguiça

A Igreja Católica apresenta a preguiça como um dos sete pecados capitais, caracterizado pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que a leva à inatividade acentuada. Aversão ao trabalho, frequentemente associada ao ócio, vadiagem. Do latim prigritia


Quando li a definição fartei-me de rir! Admito que há dias que me deixo invadir pela preguiça, pelo Dolce far niente, e tudo isso devido a causas orgânicas como o cansaço. E também me identifico na parte do desleixo, na falta de capricho.... Mas bolas, são coisas passageiras. 

Prefiro dizer que se trata de um estado de melancolia que vai variando ao sabor do tempo. Por exemplo a falta de Sol, deixa-me sem vontade de nada. E mesmo quando brilha há dias que me dá a preguiça, até para fazer um miminho.

Ponham-me assim num sítio destes um mês que já verão como não há melancolia que se aproveite de mim. Sim porque entra assim e não há maneira!


Imagem retirada daqui.


Isto tudo para vos dizer que assim participo no passatempo que decorre no blog Limited Edition, em parceria com a Santa Gula e, aproveitando a minha preguiça, duplico a receita e levo também estes bolinhos para a Tea Party do blog Cravo e Canela

As minhas meninas que me perdoem, mas quando reina a preguiça tenho que aproveitar fazer um dois em um. De uma coisa posso-vos assegurar, nestes bolinhos não houve desleixo e são um verdadeiro capricho.






Crinkles de Amêndoa
Receita retirada daqui.

Ingredientes:

  • 300 gramas de amêndoa picada sem pele
  • 1 ovo + 1 gema
  • 120 gramas de açúcar em pó + açúcar para envolver
  • Raspa de um limão
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 colher de sopa de água de laranjeira
  • 1 colher de chá de essência de baunilha.







Execução:
Pré aquecemos o forno a 180ºC.
Colocamos todos os ingredientes numa taça e com a ajuda de uma colher de pau envolvemos e misturamos bem até obter uma massa homogénea.

Formamos pequenas bolas, as quais passamos por açúcar em pó, e colocamos no tabuleiro devidamente forrado com papel de forno.

Levamos ao forno 10 minutos. Deixamos arrefecer e guardamos fechados hermeticamente.





Estes crinkles apareceram num dia que me apetecia algo, sim como a do Ferrero, mas queria que fosse simples, que levasse amêndoa, que não me desse trabalho... Quando vi a receita, e foi a primeira em que pûs os olhos, disse: É esta!!

O perfume que se liberta do forno enquanto assam é simplesmente inebriante, deixando antever o resultado. Em menos de 30 minutos, com ou sem preguiça, estão feitos.





Provem um morninho e já vão entender aquilo que digo. Aparte de serem preguiçosamente deliciosos, deixem-se render também pela gula.

E agora alguém que faça o chá que eu tenho muita preguiça!

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Um abraço.




Haverá melhor coisa que um abraço? Há... Pois claro que há! Em vez de um, que sejam dois, ou três, ou... Sabiam que para nos sentirmos felizes fazem falta como minímo, 7 abraços diários?

Eu tento fazê-lo com os pequenotes. Assim que se levantam, reclamo logo os bons dias e um abraço. Quando os deixo, uma beijoquinha e mais um abraço, e assim sucessivamente. 

Agora já inventam dias para tudo! Ou melhor dias para comemorar tudo. Vá lá não se sintam inibidos e venha de lá esse abraço.








E se há coisas que me custa de definir, uma delas é o de sentir um abraço. Por isso deixo-vos com esta música do Miguel Gameiro que acho fantástica.



Ora depois de tanto tempo sem experiências na minha cozinha, no meu ultimo dia de folga decidi experimentar mais um ingrediente novo. O senhor Espargo. 

Parece uma tonteria, mas nunca tinha experimentado. E não por não os encontrar, mas nunca me tinha dado para comprar e experimentar. É claro que isto tem outro tema de trás e com esta receita participo no Reto do mês de Maio, da Comunidade Cocineros del Mundo do Google+, no apartado de salgado.





Tagliatelli com Espargos e Ovo Escalfado

Ingredientes: (Para 2 pessoas)
  • 100 gramas de tagliatelli fresco
  • 100 gramas de espargos verdes ou trigueiros
  • 2 ovos
  • 1 dente de alho picado
  • Sal e pimenta preta q.b
  • Noz moscada q.b.
  • 200 ml de nata (light)
  • 1 colher de sopa de uvas passas (generosa)
  • Azeite q.b.

Execução:
Começamos por limpar os espargos das partes mais duras e fibrosas. Com a ajuda de um descacador de batatas, tiramos a parte verde, se cortamos tiras como se fossem tagliatellis. Reservamos as pontas.

Colocamos um fio de azeite numa frigideira anti-aderente, de preferência, e deixamos aquecer. Juntamos de seguidas os espargos e salteamos durante 2 a 3 minutos para que fiquem al dente. Temperamos com sal e pimenta e reservamos.

Para cozer os ovos, cortamos quatro quadrados de película aderente e colocamos numa tacinha pequena. Deitamos um fio de azeite no fundo e de seguida colocamos o ovo. Colocamos uma pisca de sal e fechamos o saquinho de maneira a que fique a menos quantidade de ar possível. Levamos a cozer em água a ferver, durante 4 minutos. Retiramos e deixamos arrefecer.

Numa panela de água a ferver temperada com sal, cozemos os tagliatelli durante 5 minutos para que fiquem al dente. Escorremos e reservamos.

Nessa mesma frigideira colocamos um alho finamente picado, o mais picadinho possível, e deixamos que se comece a dourar. Juntamos as passas e as natas e deixamos que comece a engrossar. Ralamos noz moscada a gosto. Deixamos ferver um pouco mais e rectificamos temperos.

Colocamos os tagliatelli num prato, juntamente com os espargos. Colocamos ao centro o ovo e regamos com o molho de natas.

Servir de imediato.








Às vezes sinto-me como uma ignorante. Não fosse o dito reto, e algumas receitas que já vi pelas minhas cozinhas preferidas, acho que nunca experimentaria os espargos.

Pois fiquei agradavelmente surpreendida pelo sabor e pela textura dos mesmo. Sim, porque provei antes de por o molho das natas, e fiquei com a sensação que era com mais um legumes, com um toque especial.






Apesar de ser uma gulosa emperdenida, também gosto de preparar assim pratinhos que enchem a alma, da mesma maneira que o faz um abraço.

Tenho que confessar que adoro massas. E assim submergidas em molhos de nata, são a minha perdição, mas desta vez menos pecaminosa porque eram light. O bom desta massinha, é encontrar os tagliatelli de espargos pontuados com o adocicado das uvas passas.

O almoço ou jantar está pronto! Alguém é servido?

E já agora aproveito para pedir o votinho na foto que estará no evento, sim?

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Convidei para jantar



Na última edição do Hoje convidei para Jantar, foi-me completamente impossível participar. Faltou-me o ânimo suficiente para me dedicar ao meu restaurante, mas fica a promessa que mesmo sem participar, um dia a jeito de brincadeira mostro-vos o que seria o meu restaurante de sonho.

Assim que a minha Maria me avisou onde estava a 13ª Edição do Hoje convidei para Jantar, fui logo a correr, claro que virtualmente, ver! 

O blog anfitrião desta edição é o Pão de Cereais, e a iniciativa já sabem que vem do Anasbageri. O tema escolhido foi a família.

A família biológica é de facto enorme, mas a família afectiva ainda é maior. E eu também sou daquelas que acha que os amigos, são a familia que podemos escolher. Mas lá pensei bem na coisa e decidi trazer uma pessoa muito especial para mim. O meu avô Casimiro, pai da minha Mãe, que esteja onde estiver, sei que olha por mim.




Imagem retirada daqui.



"Oh Ménaaaa!!! Anda comigo à fonte que vamos buscar auga!! - Era assim que dizia o meu Avô.

Para mim era um festim cada vez que a minha mãe dizia que iamos ver os meus avós! Naqueles tempos demoravamos uma eternidade para fazer 200 e pico quilómetros e então, nem sempre estavamos ao pé deles. Mas quando isso acontecia, era simplesmente fantástico. Saímos da velha carrinha Ford e eu corria pela calçada empedrada. Cheira a casa dos meus Avós. Cheirava a flores frescas que pendiam nas paredes.
-Avô, Avô já estamos aqui!!
E corríamos em direcção a ele, e ele enquanto as forças o permitiam, sempre pegava em nós e fazia-nos trinta por uma linha.

Fomos crescendo, ambos. Eu tomando consciencia que ele também. Ficando com a cara mais marcada pela vida.

Não eramos só nós que os surpreendíamos. Eles também costumavam vir visitar-nos a Viseu. E lembro-me de quando já era uma teenager de contar os dias da sua chegada. Como era bom sentir aquelas borboletas na barriga, enquanto esperava a chegada do autocarro.

De cada vez que o meu Avô nos visitava, viviamos um estado de alma. Aproveitavamos todos os miminhos deles. Cada segundo era aproveitado em dobro.

"Ména, tu podias ajudar a fazer uma coisa. - dizia o meu Avô. 
- Claro! Quer ajuda para quê? Você não pense ir lá para baixo pró quintal! Já não tem idade para essas coisas.!
- Não é nada disso minha "douda". Quero que me faças a barba, porque eu já tremo muito e tenho medo de me cortar. 

Passo-lhe a mão pela cara e noto que tem a barba rija, a barba de um Homem grande, que lutou pelos filhos toda a vida. E respondo:
- Espera Avô! Vou buscar a gillete e o banco, e vamos tratar de ti."

Sempre que os visitavamos ou eles a nós, era sempre o seu pedido. Que eu o ajudasse a fazer a barba porque ele já não podia.

E às vezes fecho os olhos, e sei que se tivesse, me pediria a mesma coisa.

O meu Avô adora bacalhau com batatas, e lembro-me como regava generosamente com azeite e vinagre de vinho tinto. E a bem da verdade aquilo fazia-me um bocadinho de confusão, ver ali as batatas a boiar. E como é de peixinho que ele gosta, foi isso mesmo que eu fiz. 

Avô hoje o peixinho é à minha maneira! Por isso tu senta-te aqui connosco, e já verás que vais gostar.






Esta receita já a tinha fisgado há muito tempo no blog do Paulo, The Wild Kitchen's, que diga-se de passagem é um cozinheiro de mão cheia. Sim Paulo, eu vi os teus primeiros post's e sei o que digo. Tenho visto como cada dia vais crescendo e isso dá me uma alegria imensa, porque és dos poucos que sigo desde o princípio. E agora ainda por cima, dá-te para as bolachas!! :)

Por isso deixo-vos com a receita de Folhado de Pescada à Wild. Foi este o nome com o qual o batizei aqui em casa, para não me esquecer de onde o tinha tirado. 





Folhado de Peixe à Wild

Ingredientes:

  • 4 filetes de pescada
  • 1 alho francês
  • 1 cebola grande
  • 1 dente de alho
  • 3 cenouras raladas (não coloquei)
  • 1 cubo de caldo de peixe
  • salsa qb
  • pimenta preta qb
  • azeite qb
  • 6 gambas sem casca (opcional)
  • 1 ovo para pincelar
  • 1 placa de massa folhada (usei da congelada)
  • tomates cherry e azeitonas para acompanhamento

Execução:
Num tacho colocamos um fio de azeite e deixamos que aqueça. Cortamos em juliana todos os vegetais e colocamos a refogar lentamente. Quando tiver um aspecto translúcido juntamos os filetes de pescada e o caldo de peixe e um pouco de água.

Deixamos que comece a ferver, tendo o cuidado de mexer de vez em quando. Colocamos também as gambas para que cozinhem um pouco.

Retirar o tacho do lume, quando o peixe se encontre a meio da cozedura, para que se termine de cozinhar no forno.

Deixamos arrefecer um pouco antes de o colocamos na massa folhada.

Esticamos a massa folhada um pouco com a ajuda de um rolo da massa. Ao centro colocamos os vegetais, seguido dos filetes e por fim as gambas.

Dobramos a massa folhada como se fosse um travesseiro. Pincelamos com ovo e levamos ao forno a 180 ºC até que esteja douradinho. Servimos com salada.





Avô está o jantar servido. Senta-te e faz de conta que é bacalhau!

É um peixe que se apresenta bem vestido e como tal, num prato assim o melhor acompanhento é mesmo uma salada. Só havia estes tomates cherry lá no frigorífico, mas que serviram de maravilha para acompanhar este folhado.





Uma maneira diferente de comer peixinho. Ao não cozer demasiado o peixe e como termina de se cozinhar no forno, este folhado mantém todos os sucos do peixe dentro dele, proporcionando um festival de texturas a cada garfada.

Não demorem a experimentar porque vale a pena! O Avô Casimiro não me deixa mentir! E o Paulo também não!

Sirvo o jantar?

sexta-feira, 17 de maio de 2013

A cara da Felicidade...

A cada dia que passa, tenho mais certezas, que há coisas.... Sim coisas que acontecem, e que se penso bem, tinham mesmo que ter acontecido.

Menos mal que não podemos escolher tudo o que nos acontece, porque senão a vida seria en rose, como a música da Edith Piaf.

Pois então aproveitam-se os maus momentos como experiências, e os bons como recordações.

Foi mais ou menos isto que me aconteceu. Estas experiências menos boas, a que eu chamo de fantasmas, que em determinada altura do ano me assombram. Esse foi o motivo da minha baixa moral, da minha inactividade em tudo. Parecia um robot....

Mas quando tudo parece negro, acontece sempre alguma coisa que te faz sorrir! Verdade? E temos aquela sensação que somos capazes de mover o Mundo... Ou talvez não!

Quanto à felicidade, é relativa! Ou não? Costuma dizer-se que o dinheiro não trás felicidade...mas ajuda! Ou será isto um paradoxo? Pois é paradoxo dependendo do ponto de vista! Nos tempos que correm a maior parte das pessoas, vai-me dizer que felicidade é ter saúde e trabalho. Ok, estamos em sintonia! 

E se de repente, há algo urgente, em que precisamos de muito dinheiro? Os sonhos desvancem... Ou não?



Imagem retirada daqui.



Nunca fui ligada a bens materiais. Dinheiro não tenho, e o pouco que tenho é para pagar as contas de mês. E não sobra um cêntimo. Há dias que em penso, mas onde raio se enfia o dinheiro? A resposta vem no extracto do banco... É das cartas que menos gosto de receber.

E ora aí está uma coisa que me deixa feliz! Receber cartas! Daquelas de amigas de longa data, que não há nada que possa destruir esse vínculo. Pois já sei, que com isto das modernices, é muito mais rápido um email, mas não é a mesma coisa, ai não é não.

Outra das coisas que me deixa feliz é ir ao parque com os meus pequenotes!! Os gritos de alegria, a emoção de experimentar todos os artilúgios aí presentes, o dizer: Mãe empurra com mais força! E eu lembro -me de mim quando era mais pequena. O quanto eu gostava de andar de baloiço e o quanto gosto. Sim porque quando posso, também o faço e dependendo de como o faças, é a sensação que temos mais perto de voar....


A felicidade pode ser tão relativa não é?


E agora a felicidade máxima, é quando me ponho na cozinha com a pequenota!! E desta vez sairam Bolinhos de canela para o desafio deste mês do Cravo e Canela. Desta vez a Manuela desafiava-nos a preparar aquela bolachinha que de tão simples está sempre presente. Por isso a minha escolha.

A receita já a tinha apontado num caderno que já tem as folhas amarelas. Vi-a no blog Figo Lampo e estava apontada há eternidades. Isto é o que acontece quando aponto sem destino.






Bolinhos de Canela

Ingredientes:

  • 125 gramas de manteiga derretida e fria
  • 100 gramas de açúcar amarelo
  • 1 ovo
  • 300 gramas de farinha
  • 1 colher de sopa de canela

Execução:

Numa taça colocamos o açúcar, a manteiga e o ovo. Batemos com a ajuda de uma colher de pau ou uma vara de arames. Juntamos de seguida a farinha e misturamos até obter uma massa homogénea.

Pré-aquecemos o forno a 180ºC. Moldamos pequenas bolas e passamos pela canela em pó. Colocamos num tabuleiro forrado com papel vegetal e levamos ao forno durante 10 minutos. 

Ao retirar no forno se apertarmos os bolinhos terão uma textura mole, mas é assim mesmo, porque depois de frio vão adquirir uma textura mais sólida.

Guardamos tapados num lata.






Eu adoro canela!! Simplesmente adoro. E estes bolinhos são simplesmente a companhia perfeita para uma bela chávena de chá ou de café. 

Aqui por casa não duraram muito tempo, porque já repeti a receita duas vezes, porque literalmente desaparecem.






E para aqueles que não gostam de canela, como a minha Kinhas, podem subsituir a canela por açúcar amarelo, e adicionar na massa uma colher de chá de essência de baunilha. Ficam uma pequena delícia!

Oh menina Kinhas, agora já não tens desculpa!






E são assim pequenas coisas que me deixam feliz. A lata fica cheia em menos de 30 minutos e não tenho que ouvir os pequenotes a dizer: Mãe num há!! Prefiro ouvir esta reclamação que o meu pequenote chamar-me dinoussauria! Já viram isto?

Chá, café? Sirvam-se e experimentem! 

quarta-feira, 15 de maio de 2013

E fez-se luz!

É mais ou menos isso!! Andava a precisar de uns dias de descanso! Mas a bem da verdade acabei por não descansar nadica de nada!!

Como posso eu descansar, com duas criaturas lá em casa? Eu arrumo, eles desarrumam! E limpo, nós sujamos.... Enfim, uma luta desigual!! Muito desigual neste caso!

Mas pronto.... Aos poucos as baterias vão-se recarregando! E mais não seja por ver o número de fãs e seguidores a aumentar. E isso também ajudou a trazer um pouquinho mais de alento.

Tenho passado pelos cantinhos de que gosto e quando me sinto, eu, comento, e quando não vejo o que têm feito. Mas quando tiver outra vez com a bateria do mau feitio carregada a 200% volto à carga sim?

Ora mais uma vez havia bananas maduras na fruteira. Não é que não se comam, eu é que as deixo para lá, à espera que amadureçam para fazer mais bolinhos.

E foi o que voltou a acontecer neste regresso.







Bolo de Banana com Crumble de Nozes
(receita retirada daqui.)

Ingredientes:

Crumble

  • 45 gramas de manteiga fria
  • 2/3 cup de açucar mascavado claro
  • 1 colher de sopa de farinha
  • 1/2 cup de nozes picadas grosseiramente
  • 1/4 cup de flocos de aveia (acrescentado por mim)

Bolo

  • 3-4 bananas maduras
  • 80 gramas de manteiga
  • 120 gramas de açúcar mascavado claro
  • 2 ovos ligeiramente batidos
  • 250 gramas de farinha
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 colher de cha de bicarbonato
  • 1 pisca de sal
  • 1/4 colher de chá de canela
  • 1 colher de chá de baunilha






Execução:

Começamos por preparar o crumble. Colocamos o açúcar, a farinha, a canela, e os flocos de aveia numa taça. Juntamos a manteiga fria, partida em pequenos pedaços, e mexemos de modo a criarmos uma areia grossa. 
Reservamos no frígorifico até utilizar.

Pré aquecemos o forno a 180ºC. Numa taça colocamos a farinha, o bicarbonato, o fermento, a canela, e a pisca de sal e reservamos.

Numa outra taça colocamos as bananas esmagadas, juntamos o açúcar, a manteiga derretida fria, e a baunilha.  Juntamos os ovos ligeiramente batidos e mexemos até que estejam bem envolvidos. 

Aos poucos vamos adicionando a farinha mexendo com a ajuda de uma colher de pau, de modo a obter uma massa homogénea.

Forramos uma forma de bolo inglês com papel vegetal e colocamos a massa. Levamos ao forno e aos 10 minutos colocamos o crumble. 

Voltamos a colocar o bolo no forno e deixamos cozer, aproximadamente 30 minutos, dependendo de cada forno. Ao fazer o teste do palito este deve sair seco.






Quando vi a receita fiquei logo com vontade de ir para a cozinha, mas como estava no trabalho não podia. Então decidi fazer este bolinho no ultimo dia de folga.

Uma versão diferente do Pão de Banana que prima também pela sua textura fresca e aromática! Adoro bolos e afins que levem bananas! E por falar nisso, já não há bananas maduras na fruteira.






Aparte da textura do bolo em si, o crumble é simplesmente maravilhoso. O despertar de todos os sentidos! Experimentem e quando comerem a primeira fatia, fechem os olhos e sintam o crocante das nozes e a suavidade do bolo.

Preparamos o chá? E não se preocupem, porque se acabar amanhã há Bolinhos de canela!

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Isto anda meio cinzento...

Ultimamente não encontro vontade para nada, nem mesmo para fazer um Bundt! E isso é muito estranho na minha pessoa, porque se há coisa de que gosto é desses bolinhos.

Mas sinto-me vazia, sem inspiração! A verdade é que acho que preciso de férias, da minha terra, da família.... enfim....

Outro dia dei por mim a abrir as portas dos armários à procura de inspiração! Mas se vou sou sincera, parecia uma tolinha. 

Há uns dias dei conta que já não havia flans no frigorifico, e a minha pimpolha adora, mesmo os de compra!! 

Quando compro dessas coisas compro daqueles que são em tacinhas de cristal, porque assim posso aproveitá-las depois.

Ora esta sobremesa de colher, sim hoje não são bolachas, foi nem mais nem menos uma mistura de leites que havia por lá no armário! E não é que ficou deliciosa?







Petit Pots de Três Leites

Ingredientes:

  • 200 ml de leite condensado
  • 200 ml de leite evaporado
  • 200 ml de leite de coco
  • 2 ovos
  • Doce de leite q.b para o fundo dos potes (opcional)

Execução:
Pré aquecemos o forno a 180ºC.

Numa taça colocamos medimos e colocamos os leites. Juntamos os ovos e mexemos até que se misturem bem, mas sem bater.

No potes colocamos uma colher de sopa de doce de leite e de seguida a mistura dos leites.

Colocamos num tabuleiro com água e levamos ao forno durante aproximadamente 30 minutos, dependendo do forno. Assim que estiverem coalhados, já podemos apagar o forno e deixar o tabuleiro dentro a arrefecer.

Depois de frios levar ao frigorifico e retirar meia horas antes de servir.






Esta receita deu para 8 pequenos potes. O doce de leite adicionei, porque sim! Porque sou gulosa e a pequena também. 

O leite evaporado nunca tinha entrado na minha cozinha. Vi umas quantas receitas e decidi mistura-lo aqui. Tinha lido que se podia usar em substituição das natas e a verdade, é que nesta receita a textura resultou muito cremosa.





Sem o doce de leite, fica na mesma agradável, mas já sabem da minha perdição por esta gulodice! É que eu não resisto! E ainda por cima aqui, encontro em frascos, tipo de compota, prontinho a usar, que tenho que o ter escondido, senão é uma desgraça!






Escusado será dizer que duraram pouco mais de dois dias lá no frigorifico! No dia de hoje há um, e eu já sei que não vou ser eu a comer.

Não têm vontade de experimentar?



domingo, 5 de maio de 2013

Duas rosas para a Mãe


Lembro-me de quando era mais pequenita e andava no ATL que faziamos sempre alguma prendinha para a Mãe!! E o contente que eu ficava quando ela abria o presentinho.

Já tentei descobrir o que me fizeram os pequenos, mas nem subornando me dizem. E tenho a sensação que a minha Maria, se faz de desentendida quando lhe pergunto!! Ai a fedelha que me saiu melhor do que a encomenda...

Podia ter procurado pela net, ou por alguns apontamentos velhos, algum poema ou citação daquelas que eu gosto, mas a verdade é que não me apeteceu!

Depois do nascimento dos meus filhotes, que ja me fizeram reviver algumas situações caricatas, e aos quais a minha Mãe me dizia que eu era igual, entendi tudo aquilo pelo qual uma Mãe pode passar sem se queixar! Sem se queixar depende, porque eu queixo-me!! Pois eu sou assim, uma queixinhas!!

Mas daquilo que não me queixo é de ter a Mãe que tenho! Como todas... que passou noites inteiras acordada porque alguma de nós estava doente, que deixou de satisfazer algum capricho para nos poder dar alguma coisa, enfim.... Tanta coisa que uma Mãe passa para poder ver o sorriso na carinha dos filhos!!

E eu também sou assim! Basta-me o sorriso deles e o meu sol já brilha num dia cinzento!

E que mais pode pedir uma mulher? Somos as únicas que podemos sentir 2 corações a bater ao mesmo tempo, e nisso fui uma sortuda porque pude sentir 3!





A primeira rosa é esta! Para a minha Mãe, para as minhas Avós, para mim, e para todas vocês, para as vossas mães.... Enfim para que a aceitar!

Foi com esta simples rosa que participei no passatempo "Fotografa uma Flor" do Blog Cozinha da Duxa. E foi também aqui que vi este bolo. Que me trouxe à memória uma vizinha da minha mãe, que há muito tempo me ensinou a fazer um bolo que só ela sabia fazer.

A minha memória já não tem acesso a tantos pormenores e como tal decidi reiventar o dito bolo de rosas.

O dito bolo tinha uma massa especial e da qual não tenho a receita e assim sendo decidi alterar, e usar mesmo uma massa de brioche que tinha lá em casa. O recheio mantive igual e acrescentei algumas coisitas.






Bolo de Rosas

Ingredientes:

  • 1 pacote de massa de brioche para preparar
  • 250 gramas de amêndoa picada com casca
  • 125 gramas de manteiga
  • 125 gramas de açúcar
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • amêndoa granulada
  • açúcar pérola para enfeitar
Para a calda de açúcar:
  • 10 colheres de sopa de água
  • 5 colheres de sopa de açúcar
  • 1 casca de limão




Execução:
Preparamos a massa de brioche conforme as indicações do fabricante.

Entretanto vamos preparando o recheio. Misturamos a amêndoa com o açúcar e a canela. De seguida juntamos a manteiga derretida mais fria. Reservamos.

Depois de terminado o tempo de levedação da massa, com a ajuda de uma rolo da massa, esticamos a mesma na bancada polvilhada com farinha, até obtermos um rectangulo de 30 x 40 cm, ou mesmo um bocadinho mais.

Espalhamos a nossa pasta de amêndoa sobre toda a superfície do nosso rectangulo de massa. Polvilhamos com a amêndoa granulada a gosto.

Enrolamos a massa. Cortamos o nosso rolo em 7 bocados iguais, mais coisa menos coisa.

Forramos uma forma redonda com papel de forno e ao centro colocamos o primeiro pedaço. De seguida colocamos os outros seis pedaços dando forma de flor. Deixamos que repouso e levede durante mais 30 minutos.

Pré aquecemos o forno a 180ºC.

Levamos ao forno durante 30 minutos, dependendo de cada forno. Enquanto está no forno, fervemos a água com o açúcar e a casca de limão. Esta calda não deve ficar muito espessa, mas também não deve ficar muito líquida. O bastante para humedecer o bolo e ao mesmo tempo dar brilho.

Retiramos o bolo depois de cozido e pincelamos com a calda morna, para que desta maneira chegue ao interior do bolo.

Polvilhamos com açúcar pérola a gosto. Deixamos arrefecer antes de servir.





Podia ter feito um Bundt, pois podia... Mas a minha Mãe nunca provou nenhum, e este eu sei que era um dos preferidos!! Assim que estiver de férias vou-lhe fazer um! Sim porque ela apenas vê as fotos e as receitas.

Eu simplesmente adoro massas de brioches e com recheio são a minha perdição.





O ter utilizado a amendoa ralada com casca tem toda a importancia neste bolo. Acentua-se o seu sabor que contrasta perfeitamente com a canela. A calda ao humedecer o seu interior, faz deste bolo uma pequena delicia para ser disfrutado em companhia da melhor Mãe do Mundo.






Feliz dia da Mãe! Um beijinho grande a todas!!

sábado, 4 de maio de 2013

Chocolate e Pimenta

E desta vez não pica!!! Era isso que eu tinha medo.

Mais umas bolachinhas e mais um desafio da Dorie às Sextas. E mais uma vez fique reticente quando vi a receita. 

Mesmo antes de ver fotos as meninas do grupo já diziam que podia fazer que a pimenta não se notava e que podia fazer.

E eu até já tinha lido um artigo da minha Isabel, do Blog do Chocolate, que as especiarias bem combinadas são uma mais valia para realçar o sabor do chocolate, verdade Isabel?? Procurem na secção Sempre a Aprender este artigo e outros que seguramente vos interessam.

Visto o não visto, lá pûs as mãos na massa! Com a vantagem que podemos deixar preparada no dia anterior e até 4 dias no frigorífico.

Vai ser um post curto, ao contrário do anterior, visto que amanhã haverá novo post! Sim amanhã é dia da Mãe e não podia deixar passar em branco este dia, por isso ja ficam avisados.

Vamos lá com a receita destas bolachas....






Salt and Pepper Cocoa Shortbread (tradução de Patrícia Vilela baseado no livro Baking de Dorie Greenspan)

Ingredientes:
  • 1 1/2 cup de farinha de trigo
  • 1/2 cup de cacau em pó sem açúcar
  • 228 gramas de manteiga (temp.ambiente)
  • 2/3 de cup de açúcar em pó
  • 1 gema de ovo grande
  • 1/2 colher de chá de flor de sal (usei uma pisca de sal grosso)
  • 1/4 colher de chá de pimenta preta
  • 1 colher de chá de essência de baunilha

Execução:

Peneirar a farinha e o cacau e reservar.
Bater a manteiga numa velocidade lenta até ficar homogénea. Adicionar o a açúcar até que estejam completamente misturados.

Acrescentar a gema de ovo, o sal, a pimenta e a baunilha. Bater até ligar. Adicionar a farinha e o cacau em 3 adições, batendo devagar só até combinar.

Retirar a massa da taça da batedeira e trabalhá-la numa bancada. Dividir ao meio, fazer 2 rolos, os meus tinham aproximadamente 4 cm de diametro, embrulhar em película aderente e levar ao frigorífico durante 4 horas. Eu deixei toda a toda a noite e toda uma manhã, mas podem deixar até quatro dias.

Retirar a massa do frigorífico. Pré aquecer o forno 180ºC.

Cortar rodela do tamanho de um dedo, 2 cm, mais ou menos. Levar ao forno 14-16 minutos, mudando as bolachas de posição aos 7 minutos, ou seja virar ao contrario o tabuleiro.

Deixar arrefecer um minuto nos tabuleiros quentes antes de mudar para as grelhas, para arrefecerem completamente.






Esta foi daquelas receitas da qual estive todo o tempo pendente. Depois de cortar as rodelas e colocá-las no forno, estive ali pendente dos 7 minutos para virar as ditas. Quando olhei pra dentro do forno, assustei-me e disse, isto vai ser mais uma catastrofe.

Tentei virá-las mas estavam tao moles que se desmanchavam e limitei-me apenas a virar o tabuleiro. Depois de cozidas olhava para elas e dizia pro meu avental: " Rapariga deves ter-te enganado a medir as cup's!! Porque as das outras meninas não ficaram assim."

Deixei-as arrefecer e provei-as enquanto dizia a mim mesmo que não ia publicar. Depois de provar mudei logo de ideias!!! 

Oh my god.... São daquelas bolachas que derretem automaticamente na boca! A pimenta nem se nota, mas o que se nota, é um sabor extraordinário do chocolate.








A meu ver estava a desgraça completa. Enquanto olhava para elas e pensava como raio ia fotografá-las, lembrei-me de as rechear. Sim esta parte não está na receita, mas se as fizerem experimentem.

Usem 2 colheres de sopa de queijo creme e batam. Juntem açúcar se quiserem mais docinho e uma gotinha de baunilha, ou mesmo simples que foi o que eu fiz. E deixem-se levar....






Fechem os olhinhos e disfrutem de cada dentada!! Sou-vos muito sincera, se estas meninas não primassem pelo sabor e pela textura, tinham ficado arrumadinhas sem o devido destaque.

Ora agora a lata está cheia!! E daqui a nada é a hora de lanchar ou do café!

Que preferem?

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Vamos encher a lata....

Das bolachas pois claro!!

E preparem-se porque me vez de uma receita, vai haver duas!!! Já sei que os post's são mais longos, mas tem de ser, porque entretanto ha uma receita da Dorie também para publicar e uma para o Domingo que é dia da Mãe.

Ora então hoje vou vos trazer receitas que fui cuscar a cozinhas vizinhas! Até aqui nada do normal, se não fossem 2 cozinhas muito especiais para mim. Ou não fossem as duas donas pessoas que de alguma maneira me chegaram ao coração!

O que também não é difícil, mas quando chegam, aqui ficam e nunca mais saiem.

Não dando mais importância a uma que a outra, começo pela da Na minha cozinha, às 5, da minha Mafalda, que além de ser muito jovem, posso-vos assegurar que é uma princesinha! Eu em conversa com outras amigas, já disse que é uma jovem promessa nestas andanças! E as fotos?? Ai meu Deus as fotos desta menina, deixam qualquer mortal agarrado ao monitor! Não acreditam? Pois passem por lá e vejam vocês mesmo!

E além disso é a responsável pelo novo look do blog. Eu fui tentando mudar umas coisitas, mas em conversas off-record, disse-lhe que gostava de mudar e ela quis logo ajudar!! Obrigado Mafalda por tudooo!!!!

Da cozinha dela trouxe umas Bolachas de Aveia e Chocolate, e mais umas quantas, mas essas depois aparecerão por aqui, como todas as receitas que tenho para publicar.




A outra cozinha onde fui buscar a outra receita é Da nossa Cozinha, uma Cozinheira que entrou também pela porta grande aqui de casa, ou seja pelo coração. E porquê? Seguia-me no silêncio como ela dizia, até que um dia o resolveu quebrar e comentar. Pois começou tudo apartir daqui e dessas benditas bolachas que eu dizia que queria fazer mas que não podia porque não tinha o descascador de alhos. Também em conversa off-record se ofereceu para me dar um!!! E aqui começou uma grande história!! Posso dizer-vos que às vezes tenho a sensação que em outra vida tivemos algo em comum, e que agora estamos a recuperar o tempo.

As bolachas que lhe fui roubar, ou pelo menos a ideia, são uns Ninhos de Chocolate e Caramelo. Apesar de ser uma Cozinheira de mão cheia, tem publicado muito pouco, visto o dia dela ser como os meus, e não ter 48 horas!! Não é? Mas não te preocupes, um dia isso passa, e estarás mais tempinho no teu blog que eu tanto gosto.





Já chega de tanto paleio e vamos mas é meter a mão na massa!!


Bolachas de Aveia e Chocolate

Ingredientes:
  • 250 gramas de farinha com fermento
  • 1 colher chá de fermento
  • 175 gramas de aveia
  • 200 gramas de manteiga
  • 100 gramas de açúcar amarelo
  • 100 gramas de açúcar branco
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 mão cheia de pepitas de chocolate negro (que seja generosa)




Execução:

Juntamos a farinha, a aveia e as pepitas de chocolate numa taça. Juntamos o fermento, e envolvemos tudo muito bem com as mãos. Noutra taça, juntamos a mistura de açúcar com a manteiga previamente derretida, e mexemos muito bem até obter uma mistura cremosa e acastanhada. Adicionamos a baunilha e de seguida juntamos a farinha nesta taça, amassando bem com as mãos até ficar moldável e homogénea.

Forramos um tabuleiro com papel de forno e moldamos pequenas bolas que se colocam no mesmo, espaçadas entre si. Antes de levarmos ao forno, espalmamos as bolinhas.

Levamos a forno pré-aquecido a 180 ºC durante 10 minutos. Retiram-se do tabuleiro e deixam-se arrefecer sobre uma rede. É normal que estejam moles enquanto quentes. Depois de fria colocam-se dentro de uma lata.





E ao colocarem na lata, tapem bem!! E escondam a lataaaa!!! Sim porque começamos por uma, e depois mais outra.... e quando damos conta ouvimos assim: "Oh Mamã num há bolachas!"



Ninhos de Chocolate e Caramelo

Ingredientes:

Para as bolachas:
  • 250 gramas de farinha
  • 75 gramas de manteiga sem sal amolecida
  • 100 gramas de açúcar em pó
  • 1 ovo
  • 5 gramas de fermento
  • 1 pitada de sal
Para o recheio de chocolate:
  • 200 gramas de chocolate para cobertura
  • 100 ml de natas
Para o caramelo/toffee:
  • 100 gramas de açúcar mascavado claro
  • 250 ml de natas
  • 15 gramas de manteiga
  • 1 pitada de sal





Execução:

A massa destas bolachas é tipo uma massa areada. Começamos por colocar a farinha numa taça, juntamente com o açúcar, o sal e de seguida a manteiga. Vamos esfregando a manteiga com a farinha de modo a obter uma areia grossa. Juntamos o ovo e amassamos de modo a obter uma massa lisa e homogénea. Fazemos uma bola e envolvemos com película aderente e levamos ao frigorífico durante 1 hora.

Enquanto está no frigorifico preparamos os recheios que também deve ir arrefecendo. Para o recheio de chocolate, aquecemos sem ferver a nata e colocamos os chocolate, de maneira a que se vá derretendo suavemente. Misturamos bem até termos um creme liso e brilhante.

Para o recheio de caramelo fervemos a nata numa panela ou mircoondas. Colocamos os 100 gramas de açúcar num tacho, em lume brando, até que se derreta completamente. Fora do lume juntamos a nata pouco a pouco, mexendo sempre até obter um creme homógeneo. Por fim juntar a manteiga e o sal e mexer bem. Deixar arrefecer.

Retiramos a massa do frio e fazem-se depois pequenas bolas de massas com 20 a 35 gramas, dependendo do tamanho do vosso esmagador de alhos. Sim, é o utensilio que dá este ar de ninho às nossas bolachas.

Espreitem aqui o passo a passo porque eu ainda nao consigo fazer bolachas e fotografar ao mesmo tempo!

Pré-aquecer o forno a 160 ºC. Forramos um tabuleiro com papel de forno e vamos colocando os montinhos que vão saindo do descascador de alhos.

Colocamos uma pequena bola de massa no esmagador e apertamos bem, sem deixar a massa terminar. A ideia é que os fios não se partam e então fazer montinhos, que depois cortamos junto ao esmagador.

Depois de estarem os montinhos, fazemos o centro com a tampa de uma garrafa, pressionando no meio com a parte lisa da tampa.

Levamos ao forno até estarem douradas. Deixamos arrefecer sobre uma grelha.

Depois de frias colocamos uma colher de sobremesa de recheio de chocolate e deixamos que se seque, mais ou menos uns 30 minutos. Por fim colocamos uma colher de sobremesa de caramelo. Deixamos repousar e servimos. Quanto mais tempo repousarem, mas densos ficarão os recheios.






Não se aceitam reclamações! Um post com bolachinhas saudáveis e outras para aqueles dias de tentação!! Duas sugestões diferentes, mas cheias de glamour! Quanto a estes ninhos...





São umas bolachinhas de capricho e que se comem de olhos fechados! E mais uma vez vos digo, é caso para escondermos a lata! E o homenzinho aqui de casa assim que as provou dizia: "Oh Mamã a mim gusta este camamelo"!!!

E como tal, a lata está cheia! Sirvo o chá??