sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Um coração de chocolate

Pois.... É mais ou menos assim que eu sou... Ehehe... Isto é só presunção!

Ora andava eu de compras e encontrei um livrinho de receitas sobre Madalenas! Olhei para ele, o seu tamanho era o indicado para andar na carteira, e ainda por cima tem 100 receitas!
Antes de me ter decidido a comprar, dei uma vista de olhos... Claro está só pelas fotos! E lá me decidi a comprar.

O livro é de uma editora espanhola e intitula-se: " El arte de cocinar Magdalenas - 100 recetas sencillas para cada dia".

Realmente, é uma arte, isto das Madalenas! Há algumas que já estão fora de questão que as faças, e há outra que certamente as verão por aqui.... Com tempo....

A primeira receita que escolhi, traduzindo à letra, chama-se Madalenas recheadas com Chocolate, mas eu decidi que as vou chamar de Madalenas com coração de chocolate.

Fica então a receita.

Madalenas com coração de chocolate

Para 8 madalenas

Ingredientes
55 gr de margarina
55 gr de açucar
1 ovo grande (usei 2 pequenos)
85 gr de farinha com fermento peneirada
1 colher de sopa de cacau peneirado
55 gr de chocolate negro ( usei de leite)
açúcar em pó peneirado

Ligar o forno a 190ºC. Forrar um as formas ou um multiple de madalenas com formas de papel.
Numa taça bate-se, com a batedeira, a manteiga, o açucar, o ovo, a farinha e o cacau ate obter uma massa homogénea.

Repartir metade da massa pelas formas e colocar um quadrado de chocolate, fazendo um pouco de pressao. Encher as formas com a restante massa.

Levar ao forno durante, 20 minutos, aproximadamente.

Retirar e deixar repoursar 2 ou 3 minutos. Polvilhar com açucar em pó e servir mornas.

O coração de chocolate não se nota muito depois de frio. Mas talvez se deva ao facto de ter usado chocolate de leite, em vez de chocolate negro como manda o original. O problema é que não sou grande apreciadora de chocolate negro e por isso esta opção.
São uma pequena maravilhas estas madalenas. Super fofinhas e saborosas! Da próxima ponho chocolate branco no meio!!


Aqui nota-se que que há qualquer coisa ali no meio, mas mal se vê... As cores acabam por se parecer tanto que não se distingue. Mas as comermos sim, que se distingue... E o aroma que ficou pela casa? Experimentem...

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Bolachinhas de Amêndoa

Esta é daquelas receitas que está sempre pendurada na porta do frigorífico.

E sabem porquê? Porque depois de as ter experimentado, já as fiz vezes sem conta! Uma vezes faço com o doce e outra vez sem! É conforme a inspiração!

A receita desta vez tenho mesmo que a escrever, porque a tenho apontada na dita folha, que vai ficar amarela de velhinha, e tirei-a de algum blog, mas na altura não apontava de onde as tirava.

Se alguém reconhecer a receita, faça o favor de se sentir e de dizer, é minha!!

Ora então a receitinha....

Ingredientes

  • 250 gr de farinha
  • 1 ovo
  • 100gr de açucar
  • 100 gr de amêndoa
  • 100 gr de manteiga derretida (tb nao apontei, mas eu uso assim)
  • 2 colh. de sopa de leite
  • Doce de morango qb.

Preparação

Não apontei a quanto se põe o forno, mas normalmente ponho sempre a 180ºC.
Numa tigela misturam-se todos os ingredientes até obter uma massa homogénea e com consistência para usar a maquina de fazer biscoitos. Colocar num tabuleiro devidamente untado, ou então com papel vegetal.
Levam-se ao forno durante 10/12 min. ou então até que estejam douradinhas. A meio da cozedura colocar um pouco de doce de morango, ou outro que seja do vosso agrado.

Biscoitos de Amêndoa























É que não posso ter estas bolachas na lata!! São um vício!
Tinha perdida aqui esta foto no computador e como tinha a receita resolvi publicar, mas lembro-me que quando as fiz, estava um dia muito cinzento e eu estava por casa! E quando fico por casa, gosto de me meter entre os meus tachos e as minhas panelas.
Vai uma bolachinha?

A Árvore de Natal da Blogosfera

Pois hoje quando abria o meu Facebook, dei com uma pagina da qual gosto, e punha qualquer coisa de prendas!!

Ora quem não gosta de receber prendinhas?? Pois todos, e sobretudo agora, que estamos a entrar na época do ano em que mais se fala de prendas!

E como a curiosidade matou o gato, lá fui eu cuscar....

Vêem este símbolo que tenho do lado direito logo ao início? Pois quer dizer que sou participante.
Este simbolo que vos mostro já de seguida, para o caso de não verem o outro.



Não imaginam a ilusão que isto me faz! De ter um selo no meu blog!! Até eu estou admirada comigo mesmo.

Para explicar como funciona estaria aqui imenso tempo e sem necessidade!! Isto porque há umas "duendes" que já se deram a esse trabalho e como há que dar-lhe todo o mérito pelo trabalho e pela ideia fantástica, deixo-vos o link para esta Árvore de Natal da Blogosfera.

E vocês de que estão à espera?
Eu já me inscrevi e agora só me toca esperar pela minha prendinha!!

domingo, 25 de novembro de 2012

Uma tosta diferente


Adoro atum! Seja assim conforme sai da lata, devidamente escorridinho claro está, ou refogadinho com muita cebola e tomate! Hummm.... e aparte de gostar muito acho que é uma conserva bastante versátil e com falta de tempo, sempre se pode fazer uma refeição super rápida e não menos saborosa.

Andava eu a navegar e deparei-me com uma receita muito semelhante a esta e quando visitei o site da Vaqueiro encontrei a dita, e muitas mais, todas elas tendo como base o atum.

Acabei por não fazer a que tinha visto antes, porque ia ter que desarrumar muito mais a cozinha, e a minha hora de almoço passa sempre a voar. O facto de ser uma tosta, sim tem que se usar a tostadeira, chamou-me à atenção, e por isso arrisquei.

A única coisa da receita que me deixou mais renitente foi o molho de tomate com azeitonas! Nunca tinha visto e pensava que não o ia encontrar. E qual não foi o meu espanto quando fui ao supermercado comprar a mozzarella, ter olhado por acaso para a prateleira dos molhos, e eis que surge o dito! Se não o tivesse encontrado ia fazer na mesma a receita, mas assim até parece que ficou melhor. A única coisa que faltou mesmo foi a Vaqueiro alho. Fica então a receita.

Tostas de Atum com Tomate e Azeitonas

Ingredientes para 4 pessoas
  • 1 cebola
  • 30 g de Vaqueiro Alho (como não tinha, usei a mesma quantidade de manteiga President e adicionei um dentinho de alho picadinho)
  • 1 lata de atum
  • 4 colheres de sopa de molho de tomate com azeitonas
  • óregãos
  • 1 queijo mozarella fresco
  • pimenta preta de moinho
  • azeitonas pretas em rodelas ( como não diz quantidade, pûs umas 10)
  • 8 fatias de pão rústico ( isto seria um milagre encontrar por aqui e como tal usei um pão que me pareceu o mais adequado, porque é escurinho e acho que era o mais indicado)

Preparação
Descasque a cebola e pique-a finamente. Coloquei a manteiga, um fio de azeite e o alho picadinho. Adicionei a cebola picada e, quando a cebola começou a alourar, juntei o atum bem escorrido e já desfeito. Juntei o molho de tomate com azeitonas e deixei cozinhar lentamente, mexendo, até secar um pouco. 
Por fim juntei os óregãos e deixei repousar.
Entretanto corta-se o queijo em fatias finas e acendemos a tostadeira. Barra-se metade das fatias de pão com a pasta de atum, por cima colocamos as fatias de mozzarella e temperamos com pimenta preta. A receita original diz que se colocam aqui as azeitonas em rodelas e eu não dei conta quando a estava a preparar e já as tinha misturado na pasta de atum.
Leva-se à tostadeira até que o pão fique levemente torrado.
Serve-se com uma salada de alface e tomate.


Tostas de Atum com Tomate e Azeitonas







Fiz a receita na totalidade mas fiz só uma tosta para mim, porque não estavam os gémeos. Com devem calcular sobrou pasta, que guardei no frigorífico para preparar outra tosta quando tenha vontade. O mozzarella confere à tosta uma cremosidade incrível, que me deixou muito satisfeita com esta descoberta. Como não tinha alface e o queijo sobrou, aproveitei para fazer uma salada de tomate com mozzarella, devidademente regado com um fio de azeite, uma pisca de sal, outra de óregãos e para finalizar, um fiozinho de crema de vinagre balsâmico que é qualquer coisa de delicioso neste tipo de saladas.

Um café e.....


Quando trabalhava em fotografia, antes de começar, passava sempre pelo café em frente, e tomava um belo de um café e um bolinho de arroz. Humm.... que bons eram aqueles bolinhos.

Um dia de viagem, pela blogosfera claro está, encontrei uma receita, e depois de ter visto essa, encontrei outras, cada uma diferente!

Costuma-se dizer que não há amor como o primeiro e como tal fiquei com a primeira que me apareceu e foi essa que segui à risca, menos na forma de apresentação por falta das formas redondas. Como pelas gavetas de casa reinam as formas de queques foi mesmo nessas que foram feitos.

A 1ª receita encontrei-a no blog Coco & Baunilha e não acrescentei nadinha. A única coisa que fiz, foi fazer só metade da receita, e ainda assim deu para 9 queques. 

Sim porque eu chamo-lhes queques de arroz, porque para nada têm o aspecto tradicional do bolo de arroz.

Queques de Arroz



Aparte do açúcar que caracteriza os bolos de arroz, nesta minha versão queques a última fornada, levou umas amêndoas fileteadas que andavam perdidas lá no armário.

Quando chegou a hora do lanche nesse dia, achei imensa piada à minha Maria, que adora lambiscar o açúcar e achava imensa piada às amêndoas que se escondiam por debaixo do açúcar. Está quase a chegar o dia de anos dos gémeos e como tal, há que levar o lanche para a escola. Normalmente por aqui os papás têm tendência a levar guloseimas e outros que tal, mas a mim parece-me que este ano estes queques vão ser os reis da festa!

Simplesmente diferente....

Um dia destes fiz um velho clássico, o bolo de iogurte, e desta vez resolvi outro velho clássico, o bolo mármore.

Acho que é dos primeiros bolos que se aprendem e que sempre se vão repetindo pela simplicidade dos ingredientes. 

É o caso deste bolo mármore, que a única diferença que tem é o facto de levar açucar amarelo, em vez de açucar normal. Como por aqui não encontro do nosso açucar amarelo, sim porque aquele que encontro por aqui, não é nem de longe nem de perto parecido, usei um açucar de cana muito pouco refinado. Talvez por isso tenha achado o bolo pouco doce, como se lhe faltasse algo... Da próxima ponho mais açucar!

A receita encontrei-a no blog Ratatui dos pobres que já já adicionado na minha lista. Qualquer dia não tenho tempo para ver nenhum.

Bolo Mármore 


É muito interessante a subtilidade que aportam as pepitas a este bolo. Quando o provei ainda estava morno e não se notavam, mas no pequeno almoço do dia seguinte, aí estavam elas a dar o ar da sua graça. Certamente uma versão para ir repetindo!

Afinal quem amassa o pão?

Há dias assim, receita atrás de receita, mas não se habituem porque qualquer dias destes não posso dedicar tanto tempo ao blog, mas enquanto isso, vamos aproveitando.

Ora afinal de contas, o pão amassa-se ou não? Pois pelos vistos o Mark Bitman diz que não e diz muito bem... Sei que vi um vídeo algures e já não me lembro onde e depois voltei a ver a dita receita no blog Tentações Sobre a Mesa.

Quando vi pela primeira vez o vídeo fiquei com "a pulga atrás da orelha" e curiosa para saber se realmente seria assim tão simples como dizia o Mark Bitman, e eis quando, a Lenita publica no blog a receita! Andei à espera dois dias que aparecesse a vontade e quando apareceu, voltei ao blog e apontei a receita.

Eu isto das farinhas T55 e T65 não entendo nada! E de pão menos, a única coisa que sei, é que quando me ponho a inventar fica sempre muito duro. Não tenho máquina de fazer pão, mas tenho andado a namorar uma, mas já não é a primeira vez que compro os preparados que se usam nas ditas e faço no modo manual! Não ficam bem a mesma coisa, mas por exemplo os brioches, saiem um luxo.

A medida usada na receita a mim pareceu-me grande e dada a proporção de 3 de farinha para 1 e meia de água, usei uma caneca da Hello Kitty da minha filha. Em medida será aproximadamente 125 ml. Tudo o demais como diz a receita! Medi a farinha e antes de amassar pesei e sei que tinha quase 400 gr. Adicionei uma pitada de sal e o fermento. Uso a marca Vahiné que é o único que encontro por aqui para fazer este tipo de massas e usei o pacote todo.

A receita podem vê-la na integra no blog acima mencionado e depois podem procurar a versão sem chouriço.

Eu vou chamar carinhosamente a esta receita, Pão de Tacho! Visto ter sido cozido dentro de um tacho e nao era de ferro fundido, porque nao tenho, mas no blog diz que pode ser feito numa forma normal.

Pão de Tacho

























Este pão, ou melhor, a massa, repousa 18 horas. Depois de este tempo de levedação e depois de trabalhado, ainda repousa mais 2 horas, e eu deixei que repousa-se ainda mais tempo e as tais 2 horas a mais, foram saltadas literalmente. Quanto ao tacho como podem ver na foto não é de ferro fundido e também serviu para assar o pão. Esqueci-me de o por a aquecer quando liguei o forno e se calhar por isso o meu pãozinho não se parece ao do blog, mas comparado com outros que diz, posso-vos garantir que lá por casa só há um quarto. 
Não sei se o repetirei, mas foi a melhor experiência que tive com o pão e ainda por cima faz-me lembrar, a sêmea que o meu pai trazia aos domingos de manhã! E que saudades eu tenho de pãozinho fresco, salvo seja, porque por aqui o que há é pré-congelado, e este serviu para matar saudades de um pãozinho bom....

Monstro das Bolachas

Lembro-me como se fosse hoje, de ver, a Rua Sésamo! Alguns actores do panorama nacional deram os primeiros passos por esse programa infantil.

E ao falar deste programa é falar do Popas, do Egas, do Becas e claro está do monstro da bolachas! Pois eu, se tivesse que ser um, seria sem dúvida o monstro das bolachas.

Adoro comer bolachas e como tal fazê-las! E há uns tempos atrás comprei uma máquina, para que as ditas ficassem mais bonitas, sim porque eu como com os olhos.

Das primeiras vezes que a utilizei, vi-me em tal batalha, que estive a ponto de a meter no fundo do armário e nunca mais lhe tocar, mas depois pensei: "Querem lá ver que um utensílio de cozinha, vai ser mais forte do que eu?". Não. E assim foi, desde que lhe tomei o gosto e que a massa o permita, lá ando eu com a minha maquina de fazer biscoitos.

Na blogosfera há uma imensidão de informação sobre este tipo de utensílios e diversas receitas, uma para cada gosto, e eu tenho um monte de papéis de tantas que eu apontei!

Ora tudo isto para dizer que a Luísa Alexandra tem a melhor colecção de receitas e dicas que encontrei. Tirando estas dicas e estas receitas, perco-me cada dia no blog dela. É fantástico e não será por nada, afinal de contas faz parte da lista da Lusitana, como muitos outros. Mas como eu sou novata nestas andanças recomendo o que conheço.

E foi numa destas viagens que encontrei as bolacinhas que hoje enchem a lata lá de casa. Sim, porque acho que em todas as casas há uma, a minha não ia ser menos. Acho piada aos miúdos que assim que chegam vão direitinhos à lata, e é giro quando se deparam que está vazia. Só se ouve: "Mãeeeeee num há galletas!". Sim é que como falam 2 línguas, há dias que misturam tudo!

A receita das bolachas está aqui.

Já sabem que me dá preguiça escrever as receitas. A Luísa Alexandra tem lá tudo explicadinho e eu limitei-me a fazer o que ela dizia na receita. Acrescentei duas gotinhas de essência de baunilha à mistura e usei um moinho para picar os amendoins, visto que a Bimby ainda não chegou a minha casa. 

Bolachas de Amendoim e Manteiga de Amendoim



Ai que cheirinho ficou lá por casa.... A manteiga de amendoim que encontrei por aqui, tinha pedaços de amendoim, e quando dei conta pensei que teria um problema por causa da maquina de biscoitos. Tive que triturar a mistura antes de juntar a farinha para evitar que se entupisse o disco. E aqui estão as bolachinhas da lata! 

sábado, 24 de novembro de 2012

Um aroma inconfundível....

Se há aromas que me encantam e enamoram, esses são o da baunilha e da rosa de café.

Isto da rosa de café faz-me viajar ao outro lado do mundo. Há mais ou menos 11 anos, andava pela ilha do sonho e do encantamento, como carinhosamente lhe chamo, a Timor Leste. Sim, para aqueles que andam a par das notícias, na altura em que se realizaram os primeiros referendos e com os quais Timor Leste se transformou no mais novo país.

Enfim uma terra onde há de tudo e não havia de nada.... Mas havia café e foi por causa disso que com 23 anos andava por lá perdida! Fiz o meu estágio de curso sobre viveiros de café e quando surgiu o convite por parte da ESAV - Escola Superior Agrária de Viseu, não pensei duas vezes. Era uma oportunidade única!! 
De café não percebia nada, mas de viveiros algumas coisas! E nada melhor que aprender no local e assim foi. Trabalhei com um grupo fantástico, de quem tenho imensas saudades! Um grupo... Eramos 4...eheh... O Chefe, o Chefinho que passava mais tempo comigo, e vice-versa, e outro colega que estava noutro lado da ilha! O Chefinho era o que aturava as minhas paranóias e deixava que eu tomasse conta da casa! Pois não havia mais ninguém para o fazer! Aquilo que a gente se ria... Outro dia a ver as fotografias, dei com uma em que estavamos com um dos professores a cozer as cortinas! E estávamos com umas caras... Coisa boa não estavamos a dizer concerteza! Que saudades Rui....

E é nestas viagens pela ilha que me enamoro do perfume da rosa do café.... Sem dúvida um perfume inconfundível, e pelas manhãs então era quando mais se podia sentir.... É um amor de por vida!

Foi sem dúvida uma das melhores experiências que podia ter tido, quer a nível profissional, quer a nível pessoal. As pessoas que conheci lá guardo-as num cantinho especial do coração. Com estas modernices de Facebook e outros, encontrei alguns, e não imaginam a alegria que isso me trouxe!

Nessa altura não havia máquinas digitais e as que existiam eram caríssimas! Então fui munida com uma máquina minimalista que me permitiu captar algumas belezas da ilha... Enfim, no dia de hoje, são uma relíquia e as minhas recordações. Na impossiblidade de vos poder mostrar todas fiz uma montagem com algumas que tinha por aqui, só para terem uma ideia.


Depois de uma viagem como estas e continuando a falar de aromas, volto à baunilha...
Um aroma que adoro, seja onde for, então nas velas que tenho la por casa não pode faltar! E não esquecendo o toque subtil e harmonioso que deixa numa receita.

Foi por isso que decidi experimentar a receita que vi no Coco & Baunilha e já estava apontada numa folha que começava a estar amarilhenta! E como quando o fiz já tinha começado o blog, teve direito a fotografiazinha. Normalmente costumo fazer o flan, ou pudim de ovos, como lhe costumo chamar e sempre o ouvi chamar à minha mãe.


Flan Cremoso
  • 320 ml de leite
  • 230 ml de natas
  • 3 ovos grandes
  • 110g de açúcar baunilhado caseiro (Se não tiver açúcar baunilhado raspar as sementes de uma vagem de baunilha e juntar ao leite).*

Pré-aquecer o forno a 150ºC.
Colocar taças refractárias num tabuleiro com água quente no fundo.
Ferver o leite com as natas. Bater os ovos com o açúcar.
Deitar o leite fervido gradualmente sobre os ovos batidos, mexendo sempre e distribuir pelas taças. Colocar no forno a 140ºC durante 45 minutos (ou até ficar firme). Servir morno ou frio.

* No blog explica como se prepara o açucar baunilhado caseiro e aproveitando a dica tenho um copinho num armário, para a próxima vez.


Achei piada ao facto de estarem assim nas tacinhas e como tenho la por casa umas quantas, aproveitei a deixa.
Eu adoro flan e este é uma verdadeira tentação. Acho que cozeu um bocadinho mais do que tinha que cozer, mas não deixa de ser uma verdadeira delícia. O aroma da baunilha como sempre é subtil, mas que enriquece sem dúvida esta sobremesa.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Adoro pizzas...

Já há muito tempo que no meu facebook, não me aparecia nada do Ingrediente Secreto. Ai como eu gosto do Chef Henrique! A bem da verdade não me importava nada de ter uma cópia dele lá por casa, eheh...

E como tal não é possível vou-me contentando com a sua arte e as suas receitas... Andava eu então de video em video e adorei umas quantas receitas! Tenho umas quantas debaixo de olho, mas a primeira que tive que experimentar foi a pizza de cebola caramelizada com presunto e mozarella.

Vejam o site www.ingredientesecreto.tv e procurem o video da ultima semana e la está. É que hoje estou com uma preguiça de escrever que nem podem imaginar!

Bem experimentar salvo seja, porque fiz batota, usei só a mozarella e o presunto, porque não houve maneira de encontrar a cebola roxa! E se o chef diz que é cebola roxa, nem me atrevi a experimentar com a normal.

Mas mesmo assim fiz uma pizza, diferente daquela que costumo fazer. Normalmente dou-me ao trabalho de fazer a massa, o molho, mas desta vez não... rendi-me à massa pronta e a um pacote de molho de tomate especial para pizza da marca Knorr. Para facilitar o trabalho não está mal, mas eu prefiro o meu molho...

Deste molho usei umas 4 colheres de sopa que espalhei sobre a massa, seguidamente a mozarella cortada em rodelas e antes de colocar as fatias finissimas de presunto, pus uma pitada de sal e pimenta negra seguida de uma boa dose de oregãos! Para mim as pizzas se não têm oregãos já não me agradam. Terminei por colocar as fatias de presunto e para finalizar um fiozinho do nosso ouro liquído.

Et voilá....

Pizza com tomate, presunto e mozarella 























Ainda estou à espera que cheguem as cebolas roxas para poder experimentar a receita como manda o Chef. Esta ficou muito boa, mas como eu adoro pizzas, sou suspeita! Esperemos pelas cebolas....

Nem tudo o que é parece...

Pois hoje à hora de almoço andei entretida com mais um dos desafios do Dorie às Sextas. Um grupo bastante divertido que nos convida a fazer uma receita nova cada 15 dias. Depois do Soufflé de Chocolate, e dos Muffins de Abóbora, a última receita era Suspiros de Amêndoa e Cacau, isto traduzindo à "papo" seco. Tinha já tudo comprado e depois de ver o post de uma das meninas decidi fazer.

A receita está aqui. Isto das cup's a mim não me agrada muito! Prefiro as receitas com as gramas certinhas e mesmo assim há dias em que sai asneira.

Achei que fazer a receita total ia ser um desastre! Enquanto apontava as cups, procurei pela net um conversor que me deu imenso jeito, porque punha em gramas todos os ingredientes que pedia a receita. Sim ja sei, querem o site... O problema é que não apontei, mas quando tiver tempo já vou procurá-lo.

Ora então já tinha eu tudo em gramas e meti as mãos no merengue dividindo a receita!! Fiz tudo direitinho e ao fim e ao cabo, a massa fazia-me lembrar uma mousse.

Suspiros de Amêndoa e Cacau


Pois foi um suspiro foi.... Não sei que aconteceu, mas eu prometo que não abri o forno durante a cozedura! Acho que foram as colheradas exageradas que coloquei!
O aspecto já sei que não é o de um Suspiro, ou merengue, mas de sabor não ficou aquém das expectativas!  E para prova de tal, passou no teste dos gémeos! Assim que chegaram a casa, comeram um cada um!

Os meus Bundts




Em construção....

Sobre mim













Chamo-me Filomena, mas nunca me apresento tal qual. Prefiro que me chamem Mena, porque a única pessoa que me chama assim é o meu Pai e, quando isso acontece ou acontecia, era porque eu já tinha feito asneira.

Portuguesa de alma e coração, vivo há 7 anos longe da cidade que me viu nascer.

Neste cantinho vou contando as minhas Aventuras como Mãe de dois gémeos, as minhas correrias na cozinha e ao mesmo tempo, um bocadinho das minhas alegrias e tristezas aqui pelo coração dos Pirinéus.





"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."
(A Tabacaria - Álvaro de Campos)


Receitas Salgadas





Em construção...



Os meus livros





Em construção....

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Carta ao Pai Natal... E aproveitando a deixa, aos Reis Magos


Querido Pai Natal,
Escrevo-te esta carta com um lápis vermelho dos gémeos na parte de trás de um recibo da luz, sentada ao lado da maquina de lavar roupa, entre lavagem e lavagem, quem sabe quando volto a ter um pouco de tempo livre para mim nos próximos 18 anos.

Fui uma boa Mãe durante todo o ano. Alimentei, asseei e cuidei dos meus filhos todos os dias. Fomos várias vezes ao pediatra, e muito mais vezes que ao meu próprio médico, por mais mal que me encontrasse. Levo os meus filhos à escola, ao ATL, ajudo a trazer as mochilas,....

Arrumo e limpo o quarto deles, que mesmo assim, fica como um galinheiro, depois de passarem apenas algum minutos... É incrível como os brinquedos caem das prateleiras sozinhos.

Preparo as mochilas, a roupa, o lanche.... para que esteja sempre tudo pronto e não falte nada para mais um dia.

Enfim... Um esforço para fazer com que as suas vidas sejam mais alegres e felizes, sem problemas, nem preocupações. Com isto, pensei que talvez, como nunca te pedi nada, este ano poderia pedir-te algumas coisinhas!

Aqui deixo uma lista dos meus desejos!
  • Gostava de ter uma barriguinha plana como as actrizes de Hollywood, e uns braços que fossem fortes o suficiente, quando tenho que agarrar os gémeos no meio de uma birra em plena secçao de guloseimas num supermecado.
  • Também gostava de ter uns vidros e umas paredes à prova de impressões digitais e rabiscos de marcador e se tal fosse possível, um sitio secreto, onde me possa esconder para poder falar por telefone.
  • Num aspecto mais prático gostava de ter uma boneca que falasse e que diga: "Sim, Mamã" para ajudar-me com a minha auto-estima, assim como dos miúdos que não estejam sempre às turras, e já agora 3 pares de calças que se possam apertar sem necessidade de fazer mto esforço físico.
  • Também gostava de ter uma voz nova, já que a minha parece estar fora do alcance auditivo dos gémeos, que por muito que me esforce parece que não me ouvem.
  • Seria maravilhoso que os gémeos me ajudassem em casa, sem ter que dar algo em troca.
  • Se for mto tarde para encontrar tudo isto, quero ao menos tempo suficiente para mim.... Lavar os dentes, pentear-me em condições, maquilhar-me, cortar as unhas, ir de compras pelas secções femininas, e não só pelas infantis... 
Bem querido Pai Natal, a máquina de lavar acaba de apitar, dando sinal que terminou e os meus filhos deram conta que estava aqui fechada. Creio que andam à procura do lápis vermelho que lhes roubei para te escrever. Espero que tenhas uma boa viagem e lembra-te de tirar a neve das botas antes de entrar em casa. Podes comer as bolachas que estão em cima da mesa, mas tem cuidado para não espalhares as migalhas por todo o lado.

Com carinho,
Mamã

PS - Ah... outra coisa, podes anular todos os meus pedidos, se o que realmente quero é que os gémeos cresçam felizes, sãos e se convertam em pessoas de bem.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Uma coroa...

Pois nem todas as coroas pertencem a princesas ou rainhas... Esta mudou!!
Sempre gostei muito de experimentar receitas de bôlas e esta eu adorei pelo resultado!
A receita vi aqui.

Ficam então os ingrediente:

Massa:
  • 500 g de farinha t 65 (usei uma que tinha para fazer pão, uma marca francesa)
  • 285 g de leite morno 
  • 1 saqueta de fermento seco
  • 2c.(sopa) de azeite
  • 1c.(café) de sal

Recheio:


  • fiambre 
  • chouriço (só havia 4 fatias, e não foram usadas na coroa, os gémeos não deixaram)
  • queijo fatiado (aproveitei mozarrella ralado que já levava um dia aberto no frigorífico)
  • 1 ovo batido para pincelar
Na receita original dizia para colocar pistácios, mas como não tinha, salpiquei com umas folhitas e oregãos.

A receita da massa é para ser feita na máquina de pão, mas como pelos meus domínos tal ferramente não existe, preparei a massa como se fosse uma massa de pão. Primeiro o leite morno, onde dissolvi o fermento, o azeite, o sal, e por último a farinha. E depos já sabem, força muscular para deixar bem amassada a massa. Descansou uns 40 minutos dentro do microondas ao abrigo de correntes de ar. Depois deste descanso estica-se e sobre a massa coloquei o fiambre e terminei com o queijo e os oregãos.
Enrola-se a massa como se fosse uma torta, e depois da-se o formato de rosca selando bem as pontas.

Com uma faca fazem cortes e depois pincela-se com ovo batido.
A receita dizia que ia 20 minutos ao forno em programa de levedação mas eu saltei esse passo e pûs logo a cozer.  Ao fim de 30 minutos, mais coisa menos coisa, ou quando já esteja douradinha retira-se.



Quentinha é uma maravilha... Ou melhor, morna, porque quente corremos o risco de nos queimarmos.
Uma dica, não se podem fazer post's enquanto temos alguma coisa no forno, ia ficando sem a minha dauphinoise de batata. Já sabem qual vai ser uma das próximas postagens.
Enquanto "postava" ouvia-se....

Um velho clássico...

Ora então no meu último dia de folga, que estive todo o dia em minha casa, e não pela casa dos outros de faxina, experimentei duas receitas... Mas depois por preguicite agudissima não as coloquei no blog.

São as minhas aventuras afinal de contas... Todos os dias uma correria contra o tempo!

Resolvi experimentar, em versão bolo, uma receitas que vi aqui.

Afinal de contas o bolo de iogurte é dos primeiros bolos que se aprendem! Pelo menos em casa da minha mãe eu ajudava-a muitas vezes a fazer. Chamou-me atenção pelo facto de levar azeite em vez de óleo e por isso resolvi experimentar em bolo e não em queques.

Segui a receitinha do Coco&Baunilha na integra, menos na forma. Adoro este blog, tenho mais umas quantas receitas debaixo de olho e outras que já foram feitas, mas não fotografadas! Mas em breve repito e volto a fotografar.




O resultado fez-me lembrar uns bolinhos que a minha mãe comprava numa mercearia ao pé da escola. Completamente diferente do bolo de iogurte, pelo toque requintado do nosso ouro líquido.

Enquanto escrevia este post, ouvi este rapaz....

Há dias assim.... Em que me dá para ouvir só música espanhola....

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Jerimum?

Ora então o que é isto do Jerimum? Pois nada mais nada menos, que uma abobora!!

Quem já não ouvi falar de Bolinhos de Jerimu? Pois disso são feitos a receita que vos deixo a seguir...

Ultimamente por aquilo que tenho lido e visto, utilizam-se muito legumes em bolos! A Abóbora não me é estranha nestas andanças, porque sempre me habituei ao docinho de Abóbora, às filhoses de Abóbora pelo Natal, etc... Mas por exemplo de Courgette? Pois normalmente a courgette ponho na sopa e nunca me passou pela cabeça que se pudesse usar em bolos. Tudo a seu tempo.... neste post a senhora Abóbora!

Cada vez que falo em Abóbora, lembro-me da Cinderela... Ultimamente tenho estado mais atenta a estas coisas, porque a minha Maria adora a Cinderela....

Nesta receita a Abóbora também sofre alterações e o resultado é absolutamente fantástico. Este foi mais um desafio do grupo da Dorie às Sextas. Apesar de os ingredientes não serem de todo do meu agrado, resolvi arriscar...

Ora aqui fica a receitinha....

MUFFINS DE ABÓBORA
(do ótimo Baking From My Home to Yours, de Dorie Greenspan)
Tempo de preparo: 15 minutos + 25 minutos de forno
Rendimento: 12 muffins

Ingredientes: 
  • 2 xic. farinha de trigo branca, orgânica
  • 2 colh.(chá) fermento químico em pó
  • 1/4 colh. (chá) bicarbonato de sódio
  • 1/4 colh. (chá) sal
  • 3/4 colh. (chá) canela em pó
  • 1/2 colh. (chá) gengibre em pó
  • 1/8 colh. (chá) noz moscada ralada na hora
  • 1 pitada de pimenta-da-jamaica moída
  • 120g [8 colh. (sopa)] manteiga sem sal, em temperatura ambiente
  • 1/2 xic. açúcar cristal orgânico
  • 1/4 xic. açúcar mascavo claro, orgânico
  • 2 ovos grandes, orgânicos, em temperatura ambiente
  • 1/2 colh. (chá) extrato natural de baunilha
  • 3/4 xic. purê de abóbora sem tempero
  • 1/4 xic. buttermilk (1/4 xic. leite + 1 colherinha de vinagre)
  • 1/2 xic. uvas passas (procure as mais gordinhas e úmidas)
  • 1/2 xic. nozes ou pecãs picadas
  • cerca de 1/3 xic. sementes de girassol cruas (opcional)

Preparo:
  1. Pré-aqueça o forno a 205ºC. Unte com manteiga OU passe um spray de óleo OU forre com forminhas de papel uma forma de muffins comuns, de 12 cavidades. 
  2. Numa tigela, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento, o bicarbonato, sal e todas as especiarias. Reserve.
  3. Na tigela da batedeira (com a pá, se sua batedeira for planetária), bata a manteiga por 1 minuto em velocidade média, até que fique cremosa. Junte os açúcares e bata por vários minutos, até que a mistura esteja homogênea e clara. 
  4. Junte um ovo de cada vez, batendo por 1 minutos após cada adição, até que os ovos estejam bem incorporados. Junte a baunilha.
  5. Diminua a velocidade e misture a abóbora e o buttermilk. Nesse momento, pode ser que a massa talhe de um jeito absurdo. Ignore e prossiga. Se até então a mistura de ovos e manteiga estava homogênea e fofa, e só talhou nesse passo, tudo vai das certo.
  6. Com a batedeira em velocidade baixa, junte os ingredientes secos despejando de forma lenta e constante e bata apenas até não se veja mais farinha na massa. Para evitar bater demais, você pode fazer isso com uma espátula se preferir. 
  7. Com a espátula, junte as passas e as nozes. Divida a massa entre as cavidades da forma e polvilhe com as sementes de girassol, se estiver usando. 
  8. Asse por 25 minutos, ou até que um palito saia seco quando inserido no centro de um muffin. Retire do forno e deixe esfriar ainda na forma por 10 minutos. Desenforme com a ajuda de um garfo e deixe que esfriem sobre uma grade. Ficam deliciosos ainda mornos, com ou sem manteiga mas aguentam bem até o dia seguinte, num pote hermético. Você pode também congelá-los por até 2 meses, e reaquecê-los em forno a 180ºC por alguns minutos ou cortados ao meio, na torradeira. No caso da torradeira, só funciona se os muffins tiverem sido feitos sem as forminhas de papel.    

 Como não me apeteceu fazer tudo em formas pequenas, aproveitei a massa e fiz numa forma de bolo inglês! Simplesmente fantástico... Quanto à mistura de especiarias, usei, mas acho que as coloquei com medo... Certamente mais um a repetir, porque por acaso até sobrou puré de abóbora!

O Chocolate

Que mais se poderá dizer sobre o chocolate que não se saiba já? Há quem diga que é uma fonte pura de anti-oxidantes e como tal ajudam a evitar uma série de doenças da moda....

Para mim, que sou uma chocolatra de primeira, é o melhor anti-depressivo que conheço... Nem todos os dias como chocolate, mas quando como, xiiii.... É melhor nem pensar...

Não penso no que vou engordar, mas penso que só estou a aumentar a minha taxa de anti-oxidantes!

Um dia destes enquanto viajava pelo mundo cibernético, à procura de mais uma receita nova, acabei por descobrir no Facebook, um grupo que se intitula Dorie às Sextas.
Inspirado no projecto Tuesdays with Dorie, o Dorie às Sextas propõe, duas vezes por mês, receitas do livro Baking, de Dorie Greenspan.

Quando pedi que me adicionassem ao grupo estava já uma receita em fase de publicação e então esperei ansiosamente pela nova. E eis que surge... Soufflé de Chocolate...

Hummm.... Tenho que admitir que sou uma cozinheira de algibeira e faço muito com os olhos... Quando pesquiso na net, vou sempre às imagens e aquilo que mais me apaixonar só pelo aspecto é aquilo que experimento... Cozinho para mim, pros pequenotes e prós amigos.... Mas há dias que tenho que estar inspirada, porque senão é melhor esquecer.

Foi o que aconteceu no dia em que apareceu esta receita, estava inspirada e apesar de os souflés não serem os meus preferidos decidi atrever-me...

Fica então a receitinha....

Ingredientes:

  • 170g de chocolate amargo, picado
  • 1/2 chávena+2 colheres de sopa de açúcar
  • 1/3 chávena de leite gordo, à temperatura ambiente
  • 4 ovos grandes, separados e à temperatura ambiente
  • 2 claras de ovos grandes, à temperatura ambiente
  • Açúcar de confeiteiro, para polvilhar
Pré-aquecer o forno a 220ºC.
Barrar uma forma de souflé com uma camada espessa de manteiga, polvilhar com açúcar, retirando o excesso. Levar ao frigorífico.
Forrar uma assadeira com papel ou um tapete de silicone.
Colocar o chocolate e 1/2 do açúcar numa tigela refractária sobre uma panela com água fervente e, mexer sempre, até o chocolate derreter. Retirar do lume e juntar o leite. Deixar o chocolate arrefecer por cerca de 5 minutos e, depois, uma a uma, bater as gemas.
Bater as claras até que fiquem opacas e comecem a formar picos. Sempre a bater, adicionar as restantes 2 colheres de açúcar, lentamente, continuando a bater até que os picos fiquem brilhantes e quase firmes.
Envolver um quarto das claras no chocolate para torná-lo brilhante, e acrescentar delicadamente as claras restantes.
Deitar a massa na forma e polvilhar a superfície com açúcar de confeiteiro. Colocar sobre a assadeira*.
Não abrir a porta enquanto o souflé estiver a crescer!
Deixar cerca de 40 minutos no forno ou até que esteja inchado e uma faca fina saia limpa ao passar junto à forma. Retirar do forno e servir imediatamente, polvilhando o topo com mais açúcar confeiteiro, se desejar.
* Como não tenho um pirex para fazer souflés grandes, tive que fazer neste pequeninos. 

Eu tenho a sensação que houve alguma coisa que não correu muito bem.... Faltou-me aqui qualquer coisa, mas de uma próxima vez que volte a fazer, faço melhor! E isto de comê-lo quente, não tem piada... Primeiro porque queimei a lingua e acho que se perdem qualidades. Bom, bom, é comê-lo frio.... Dá aquela sensação de chocolat fondant...

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Austríacas de Limão

Ora se ha coisa que eu gosto de fazer e experimentar, são receitas de bolachas, bolachinhas e afins... Simplesmente adoro! Há dias em que corre bem e há outros que nem por isso! A minha ultima descoberta foram as Austríacas de Limão. A receita é do Flagrante Delícia. Tem umas receitas.... Bem espreitem e vejam por vocês mesmo!

Pois estas bolachinhas chamaram-me à atenção por levarem claras e entao assim eu posso aproveitar as que sobram quando faço uma sobremesa de chocolate que já colocarei quando a volte a fazer!

Experimentem... 

 Austríacas de limão

Para 12 unidades:
50 g de açúcar em pó
125 g de manteiga amolecida
1 g de sal fino
Casca de ¼ de limão
20 g de claras (mais ou menos meia clara)
150 g de farinha de trigo
Açúcar em pó para decorar


Misturar a manteiga com o açúcar em pó. Juntar a raspa de limão e o sal. Misturar as claras e por fim a farinha. A massa não deve ser muito trabalhada, deve ser apenas misturada até que esteja homogénea.
Deitar a massa num saco pasteleiro com um bico estriado. Sobre um tapete de silicone ou um tabuleiro de forno com papel vegetal, formar “w” com 4 cm de largura, espaçando-os entre si.Refrigerar no mínimo 1 hora.
Pré-aquecer o forno a 180ºC. Cozer as bolachinhas de 8 a 10 minutos.
Polvilhar com açúcar em pó.


Eu pessoalmente adoro a textura destas bolachas! Fazem-me lembrar as butter cookies da Dancake, que quando era pequena devorava às escondidas... Qual monstro das bolachas!

 



Começamos...

Não sei muito bem porquê, mas decidi que queria ter um blog...
Ora isto afinal de contas é quase como um diário não é?

Pois então... Assim será... O diário!

Entre as minhas aeventuras culinárias, e desventuras porque nem sempre tudo corre bem, aqui colocarei essas experiências! Algumas novas e outras que se vão repetindo... Afinal de contas cozinhar é o meu escape para uma vida rotinária....

Os meus filhos... Bem esses são o maior tesouro que alguma vez possa ter! Mas têm tanto de precioso como de reguilas... É para balançar a coisa...